No duelo de Rio Brancos, o capa-preta ficou devendo e o tricolor mostrou que pode surpreender – ANÁLISE RIO BRANCO 0 x 0 RIO BRANCO DE VENDA NOVA

Por Juliano Rangel e Vinicius Lodi

caxirola-bahia-brown-1-original

O Rio Branco de Venda Nova do Imigrante desceu a região Serrana do Espírito Santo para enfrentar o seu xará capa-preta na Grande Vitória, no estádio Kleber Andrade. A equipe surpreendeu pela dura marcação que fazia, parando os meias criadores João Paulo e Ronicley, o que deixava praticamente sem ações, para acionar a contratação mais badalada do futebol capixaba, o atacante Loco Abreu.

O capa-preta, que foi armado pelo técnico Caco Espinoza num 4-2-3-1, encontrou dificuldades para avançar com a bola desde a fase de construção. Optando pela saída curta com os zagueiros Wesley e Fabian, a equipe sofria na hora criar meio-campo, muito por conta do bloqueio imposto pelo xará naquele setor.

A equipe adversária fazia pressão para roubar a bola em bloco médio e obrigava o adversário a sair pelas laterais, sendo à esquerda a mais utilizada. Os encaixes individuais e a compactação no setor defensivo faziam com que houvesse superioridade numérica nas faixas do campo onde a bola era dominada e também cobria os espaços que poderiam ser explorados pelos alvinegros. Neste comportamento, os jogadores se posicionavam em uma disposição 4-5-1.

No lado do capa-preta, a aproximação na saída de bola também era um problema da equipe, com os volantes Dênis Pedra e Ranieri (depois Jefferson) sendo anulados com uma marcação por encaixes pelos atacantes do Rio Branco. Nas laterais, Sorriso (direita) e Canário (esquerda) pouco conseguiam avançar.

caxirola-bahia-brown-1-originalLegenda: Marcação encaixada do Rio Branco de Venda Nova na saída de bola do Rio Branco bloqueava as construções pelo meio com os volantes e a alternativa eram as bolas longas (Foto: Torcida ES)
caxirola-bahia-brown-1-originalLegenda: A marcação do Rio Branco de Venda Nova com superioridade numérica fazia com que o meia João Paulo participasse do processo de construção de jogada de costas para o marcador em alguns momentos (Imagem: Torcida ES)

Com isso, a opção eram as bolas longas, na maioria das vezes na direção do atacante Loco Abreu. O trio do meio (João Paulo, Ronicley e Edu) tentava fugir do 4-5-1 defensivo da equipe de Venda Nova do Imigrante apostando na mobilidade, com os extremos Edu e João Paulo tentando alternar entre atacar pelo meio ou pelos lados e invertendo com os dois laterais.

caxirola-bahia-brown-1-originalLegenda: Com o forte bloqueio do Rio Branco de Venda Nova pelo meio, a alternativa eram triangulações entre os extremos e os laterais (Imagem: Torcida ES)

Com a entrada de Jefferson no lugar do lesionado Ranieri, ainda nos minutos iniciais de jogo, a equipe passou a se estruturar ofensivamente num 4-1-4-1. Isso deu uma maior liberdade para Ronicley, mas a compactação entre a linha de meio-campo e a de defesa nas saídas de bola ainda era um problema.

Na frente, a grande expectativa sobre a estreia de Loco Abreu se resumiu ao atacante como uma referência nos ataques, seja na primeira ou na segunda bola. Mas o que se viu, foi um camisa 13 bem marcado pelo sistema defensivo adversário e sendo o destino de muitas bolas aéreas.

caxirola-bahia-brown-1-originalLegenda: Rio Branco utilizou muito da bola longa, tendo como principal destino o atacante Loco Abreu (Foto: Torcida ES)

Nesse cenário e com Loco Abreu na profundidade, as alternativas poderiam ser as descidas pelos lados, mas tanto Sorriso como Canário pouco conseguiam chegar com perigo pelos dois setores em ambas as etapas.

Com a posse de bola, o Rio Branco de Venda Nova no primeiro tempo também tentou utilizar bolas longas, mas em menores proporções em relação ao rival. Os laterais Jefferson e Leomir davam amplitude, sendo o último, pelo flanco direito, um importante parceiro de Vinicinho na criação de jogadas. Duas delas obrigaram o goleiro Alan Faria trabalhar duro.

A equipe conseguiu também criar a partir de sua defesa. O primeiro volante Ivan dava proteção, mas também cooperava na saída de bola, se associando aos defensores e ao segundo volante Gean Miller, responsável pela qualidade na progressão tricolor com bons passes de curto a médio alcance.

Legenda do vídeo: Leomir lançou em profundidade Vinicinho que fez a ultrapassagem e infiltrou na defesa adversária e chutou cruzado (Imagens: Torcida ES)

No segundo tempo, o capa-preta voltou com João Paulo e Edu tentando se infiltrar pelo meio da linha de defesa do Rio Branco de Venda Nova, mas lá trás as dificuldades em sair jogando continuavam, muito por conta da forte marcação encaixada da equipe visitante.

Mais presente nos ataques, o Rio Branco de Venda Nova do Imigrante começou a chegar pelos lados, principalmente no setor esquerdo, onde exploravam as costas do lateral Canário com movimentos de infiltrações.

A formação da equipe enquanto atacava também variava, já que Vinicinho, Gian e Sorriso se movimentavam e não mantinham posicionamento fixo, contribuindo para o processo de criação, penetração e finalização de jogadas. Cleyton foi referência na frente, mas também retornava para participar.

Quando se recuperava a bola, havia a tentativa fazer ataques rápidos. Se o adversário estivesse bem fechado o ritmo não deixava de ser intenso, com a utilização de passes curtos e de profundidade.

Como resposta aos ataques do adversário, Caco ainda tentou aumentar a presença no ataque, com Danilo Mariotto entrando para atuar na extrema esquerda e ser um companheiro para Loco Abreu dentro da área.

Tiquinho também foi lançando no jogo, deixando a equipe num 4-1-4-1, com apenas Jefferson atuando como volante de ofício. A presença no último terço de campo da equipe capa-preta cresceu, mas não se transformou em efetividade na hora de finalizar e também no placar que não saiu do zero.

O QUE ESPERAR DOS PRÓXIMOS JOGOS?

Para o clássico contra a Desportiva, a construção ofensiva com mais aproximação do setor de meio-campo é um ponto que precisa ser observado e trabalhado para que a ofensividade da equipe aumente junto com o jogo pelos lados e, assim, Loco Abreu ser mais acionado. Já pelo lado do xará de Venda Nova, mesmo com o gol não saindo, o desempenho deve servir como motivação para os próximos jogos.

@Julianords e  @ ViniciusLodi_                                 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s