Pouca criação, muita desconfiança – ANÁLISE TÁTICA BOTAFOGO X BANGU

Por Guilherme Monteiro

dsFonte: Flickr Botafogo/SSPress/Vítor Silva.

O Botafogo recebeu o Bangu na última quarta-feira (23) pela 2° Rodada do Campeonato Carioca. Um jogo equilibrado com um Botafogo com muita posse de bola e novamente com baixa criatividade. O Bangu buscava ser perigoso principalmente em subidas pelas laterais (principalmente pelo lado esquerdo) e alguns contra-ataques.

Escalação Alvinegra:

dsFoto: Guilherme Monteiro.

O Jogo foi bastante movimentado e equilibrado. O Alvinegro tinha mais a posse porém ela foi muito improdutiva durante a partida. Já o Alvirrubro norteava seu jogo principalmente em lances mais diretos, sempre com muitos lançamentos com Anderson Lessa tendo a missão de reter a bola no campo de ataque.

Construção:

dsFoto: Guilherme Monteiro.

O Botafogo iniciava os poucos lances criativos que tinha com Wenderson retornando a base, porém a lentidão e a pouca movimentação da equipe alvinegra atrapalhava a criação de jogadas, então a equipe apostava nas tentativas de cruzamento de Marcinho para levar algum perigo ao gol de Jefferson.

No último terço o Botafogo foi pouco assertivo tendo algumas oportunidades, principalmente com Luiz Fernando e por vezes tentativas de Alex Santana. A principal chance do jogo foi de Luiz Fernando como veremos no vídeo abaixo:

O Bangu fazia boas associações pelo lado esquerdo(aproveitando-se da lenta recomposição de Erik pelo setor) do campo com o Marcos Júnior (articulador da equipe) e Dieyson sempre pisando na área e fazendo bons cruzamentos.

dsFoto: Guilherme Monteiro.

No 2° Tempo após a saída de Wenderson o Botafogo que já tinha pouca mobilidade perdeu totalmente a sua criação com a entrada de Bochecha, que abusava de passes laterais e cadenciava demais as jogadas. E a posse de bola ficou na maior parte do tempo no 1° e no 2° terço do campo.

Com a entrada de Alessandro vulgo Zé Gatinha que fez sua estreia pelo alvinegro, buscava recuperar a respiração, já que a equipe sofria de desgaste físico. Porém foi muito discreto e parecia bem nervoso, cometendo faltas perigosas para o adversário, errando dribles e algumas tomadas de decisão.

Leandro Carvalho também entrou, mas pouco participou sofreu com a falta de aproximações de Gilson para criarem algum perigo.

O Uruguaio Aguirre que pode ter feito sua última partida com a camisa alvinegra foi bem; se apresentando para a jogadas, abrindo espaços para os companheiros. Para tirar o 10 faltou o gol.

Erik de volta ao alvinegro teve uma atuação razoável, com um bom 1° tempo fazendo a correria de sempre, apostando em sua velocidade e em dribles e contribuiu com alguns bons passes de ruptura. O que deixou a desejar foi sua recomposição lenta e na maioria das vezes sobrecarregava o frágil Marcinho na marcação.

O Botafogo não terá para próxima rodada o lateral Gilson que foi expulso. O momento no Botafogo é de repensar as ideias e fazer com que esse time que não é tão fraco renda, pois até agora este inicio é desanimador.

@Guizaomb19

Anúncios

Um comentário sobre “Pouca criação, muita desconfiança – ANÁLISE TÁTICA BOTAFOGO X BANGU

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s