A estréia colorada em 2019: ANÁLISE TÁTICA SÃO LUIZ 0x1 INTERNACIONAL

Por Luiz Martins

Pensando em ter uma melhor forma física do time principal e ter uma pré-temporada condizente com a quantidade de jogos da temporada, Odair Hellmann tratou de colocar um time alternativo contra o São Luiz, na estreia colorada no Gauchão. O técnico promoveu a entrada de alguns reforços (Rithely, neilton, Lindoso e Parede), além de Bruno José e Pedro Lucas, oriundos da base. Mesmo com um time desentrosado, o time conseguiu uma vitória por 1×0, no estádio 19 de outubro, em Ijuí.

Apesar do gramado com péssima qualidade, podemos retirar algumas conclusões da equipe colorada que foi a campo, no primeiro jogo da temporada 2019. A escalação alternativa, que casa com as entrevistas já realizadas por Odair, informando que nestes primeiros jogos irá rodar bastante o elenco, tanto para observação, quanto para encontrar os melhores encaixes, visando as principais competições do ano colorado, iniciou a partida com muitas movimentações dos jogadores de ataque, tendo como o grande expoente e responsável pelo ritmo da partida em Martin Sarrafiore. O argentino que estava posicionado no lado direito, como ponta armador, recebia a bola e já partia com intensidade buscando a área, com muitos dribles e demonstrando bom controle de bola, conquistando algumas finalizações, além de aproveitar muito bem as movimentações de Pedro Lucas, que se movimentou bastante dentro da área, abrindo espaços para infiltrações dos companheiros e se posicionando muito bem, pra receber a bola, mesmo que de costas, conseguindo girar em cima dos marcadores pra finalizar.

inter1Sarrafiore realizando a mesma função de Nico López, partindo da direita para o centro, abrindo corredor para a ultrapassagem de Bruno José na lateral. Rodrigo Lindoso buscando infiltração e Uendel fechando por dentro. (Fonte: Instat / Edição: Juno Martins)

Já do outro lado, Guilherme Parede também realizava as mesmas movimentações que Sarrafiore, mas não era tão acionado quando o companheiro, mas nas poucas chances que teve, chegou com perigo contra a defesa do time de Ijuí.
O adversário demonstrava dificuldades em defender a área dos ataques colorados, mas conseguia incomodar a defesa do time colorado, saindo no contra-ataque, sempre buscando as costas dos laterais do Inter, com os pontas Thiago Alagoano e Taua. Os dois jogadores se posicionavam as costas de Bruno José e Uendel, que tinham dificuldades em conter as investidas, principalmente pelo lado direito defensivo, onde atuava Bruno José, que mesmo tendo notícias de que tenha tido bons desempenhos nos treinamentos e tenha jogado algumas vezes como lateral na base, tem como posição principal a meia direita. Já pelo lado esquerdo a dificuldade de Uendel, ocorria muito mais pela falta de físico neste início de temporada. Com isto o técnico Odair, solicitou maior auxilio de Guilherme Parede para realizar maior auxilio ao companheiro, mas mesmo assim, algumas falhas ocorreram no setor.

Mesmo com as investidas adversárias, a dupla de zagueiros formada por Roberto e Emerson Santos, junto com o volante Rithely (uma das tão aguardadas estreias), teve muito êxito em suas ações defensivas, tendo uma grande taxa de ganhos em desarmes e interceptações (duelos defensivos), fazendo com que o goleiro Daniel não tivesse que fazer defesas milagrosas.

inter2Saída de bola do Inter, com os volantes se posicionando próximos a linha dos zagueiros. Neste lance, Rodrigo Lindoso  inicia a construção. (Fonte: Instat / Edição: Juno Martins)

Outro ponto que chamou a atenção foi organização na saída de bola colorada, onde Juan Alano e Rodrigo Lindoso, se posicionavam próximos aos zagueiros, para receber a bola e iniciar as jogadas. Rodrigo Lindoso demonstrava boa participação no início da construção e aparecia próximo a área como opção de passe ou finalização, mas parecia não chamar muito o jogo para si. Juan também pouco contribuiu no primeiro tempo, parecendo se esconder do jogo e é um jogador que a torcida demonstra certa confiança para desempenhar uma função de armação.

Na segunda etapa Odair realizou trocas que melhoraram as ações ofensivas do time, Uendel (por lesão) e Sarrafiore (desgaste), deram lugar a Iago e Neilton, respectivamente. Com a entrada dos dois jogadores, alterações de posicionamento de alguns titulares foram notadas, Juan Alano foi posicionado em uma zona mais próxima a área, melhorando sua participação no jogo, mas não tendo nenhum destaque expressivo, Guilherme Parede foi deslocado para o lado direito, mas continuou com o mesmo desempenho apresentado no primeiro tempo, com Neilton pela esquerda, tendo uma boa participação no jogo com muitos dribles., muitas vezes excessivos e combinações de jogadas com o lateral Iago. Além disto, Bruno José sentiu um desconforto e deu lugar a Klaus, posicionado na lateral direita.

inter3Na segunda etapa, Neílton e Iago ditaram o ritmo da partida, buscando muitas trocas de corredor, pelo lado esquerdo, levando perigo a defesa do São Luiz. (Fonte: Instat / Edição: Juno Martins)

Com o ímpeto o Inter abriu o placar em uma bela finalização de longa distância, realizada por Emerson Santos, que contou com um erro do goleiro. Na comemoração, o jogador se lesionou, deixando o Inter com nove em campo. Desta forma Klaus retornou para um posicionamento de zagueiro, tendo Guilherme Parede fechando a linha como lateral, até o fim da partida.

Um jogo morno de ambas as equipes, mas que proporcionaram algumas questões a serem revistas.A utilização de uma formação 4-2-3-1 casaria melhor com o modelo e as características dos jogadores utilizados nesta partida, liberando os pontas para um posicionamento mais próximo ao gol, pra finalizar, além de uma proximidade do centroavante.
Fora que Rodrigo Lindoso e Rithely, jogando mais alinhados, contribuiriam com mais ímpeto na criação de jogadas desde a base.

Este é somente o primeiro jogo de novos jogadores inseridos no ambiente do clube ainda em pré-temporada, mas já podemos ter uma breve noção do que eles podem apresentar nesta temporada de 2019.

@ojunomartins

Anúncios

Deixe uma resposta