Sigam me os bons – ANÁLISE TÁTICA BARCELONA 3 x 1 LEGANÉS

Por Alif Oliveira

ds

Em busca de obter larga vantagem para os adversários, o Barcelona entrou em campo neste domingo (20) para se manter na liderança do Campeonato Espanhol, já que o segundo colocado Atlético de Madrid venceu o seu confronto anteriormente. A equipe conseguiu vencer bem o Leganés mas com atuação bem diferente entre a etapas.

Sem o seu principal jogador Lionel Messi, o técnico Ernesto Valverde entrou em campo no 4-3-3 com a novidade do jovem Aleñá entre os titulares ocupando a faixa central junto a Sergio Busquets e Arthur Melo. O jovem jogador fazia a parte de primeiro homem do meio-campo sendo a base da jogada, demonstrando grande personalidade e qualidade com sua perna esquerda, distribuindo muito bem os passes verticalizados. O Leganés fechava bem suas linhas na plataforma de 5-3-2 com seus dois atacantes fazendo pressão nos zagueiros e laterais culés.

dsBarcelona na plataforma de 4-3-3 com Debele e Coutinho se associando a Suárez/ Imagem: LA LIGA

A equipe do Barcelona obtinha um grande percentual na questão da posse de bola, mas ainda nos primeiros 20 minutos a equipe se mostrava bastante nervosa e afobada sem seu camisa 10 para reger o time, abusando de ligações diretas para Suárez. Nisto, o jovem camisa 21 Aleñá soube conduzir bem a equipe em busca de tranquilidade, onde procurava sempre temporizar, girar seu corpo com a orientação corporal que é muito vista em jogadores da La Masia e tirar da pressão do adversário. (Para entender esse linguajar mais técnico recomendo o texto do amigo Ícaro explicando alguns termos.

Por querer criar superioridade numérica entre os setores, a equipe quase pouco sofreu durante a primeira etapa e também pouco criou oportunidades de gol para o camisa 9, mesmo contando com a associação dos pontas interligando posições, ou seja, seu percentual de posse era pouco produtivo sem objetividade nenhuma. A equipe culé abriu o placar aos 33 minutos ainda da primeira etapa com Dembelé que foi/seria um grande destaque e notícia para Ernesto Valverde se não deixasse o campo machucado por ocasião de uma entorse no tornozelo.

A segunda etapa foi imposta por mudanças na forma de proporcionar o jogo da equipe mandante, com amplitude/abrir campo com seus laterais, seus meio campistas entrelinhas/ entre a linha de defesa adversária e com Suárez dando profundidade para que os pontas tivesse liberdade para que ficasse no 1 vs 1. Em um erro defensivo, logo ao início da segunda etapa a equipe do Leganés deu igualdade ao placar, com que fez que os comandados de Valverde ligassem um sinal de alerta que não seria uma partida fácil.

Pesando nisto, Valverde impôs duas mudanças com Messi entrando no lugar de Alañés e Rakitic no lugar de Arthur. Logo com seu principal jogador não demorou para a equipe virar o placar dando mais tranquilidade para administrar o jogo, que estava um pouco tenso. Messi nos acréscimos ainda fechou o placar selando a vitória que dá vantagem sobre os adversários.

dsAmplitude e triangulações com jogadores entre as linhas de defesa/ Imagem: LA LIGA)

O Barcelona tem ainda 3 jogos antes do grande confronto com o a equipe do Lyon válido pelas oitavas de final da UCL. A equipe tem mostrado grande maturidade quando está atuando principalmente com Messi, e tem tudo para garantir o favoritismo no confronto.

@Alif_OR14

Deixe uma resposta