A ESTREIA DE RAFAEL GUANAES – Análise tática de Athletico 0 x 1 Cascavel CR

Por: André Ribas

A estreia do time aspirante do Athletico não foi como o torcedor imaginava. Apesar disso, foi um jogo para observar algumas ideias do técnico Rafael Guanaes. E é sobre isso que iremos falar nesse texto.

Rafael Guanaes deixou claro algumas características do seu time: posse de bola, agressividade sem a bola e laterais atacando os espaços pelos lados, amplitude e um jogo de posição. Claro, nem tudo foi bem executado, mas mostrou a forma que procura jogar.

Vamos começar com a formação rubro-negra. Na primeira etapa, com a bola, o Furacão jogou no 4-2-3-1 (variando para o 4-1-4-1).

8a8bc648-f0e0-46c6-96ce-329b608dce79
Laterais ajudam os zagueiros na saída de bola. Anjos próximo de Nagib para qualificar o passe. Extremo dando amplitude pelo lado da jogada. Com isso, Reginaldo irá atacar o espaço pelo lado esquerdo.

O que mais chamou atenção foi no meio. Em sua saída de bola, os zagueiros tinham o apoio dos laterais e de dois meias (Nagib e Matheus Anjos). O camisa cinco ficava mais fixo nessa função, enquanto Anjos era mais móvel, mas sempre participando da construção da jogada, na base do jogo, sendo peça fundamental para a circulação da bola. Em alguns momentos, Marquinhos também fazia essa função. Com isso, Rafael procurava qualificar sua saída de bola.

Nos lados, Nícolas e Reginaldo participavam bastante da construção. Atacavam quando o espaço surgia e podiam sair em velocidade. Não fizeram um bom jogo. O passe final não foi bem feito e isso dificultou as vitórias nas bolas aéreas.

Os extremos, Juninho e Bruno Rodrigues, se alternavam com os laterais na busca de amplitude (abrir o campo). O problema é que não houve entendimento entre os jogadores (laterais e extremos). Poucas jogadas foram feitas, triangulações foram raras e muitas das vezes os atletas tomavam a decisão errada, optando por um passe em uma região com inferioridade numérica ou um drible que não era executado da melhor forma.

Bergson era o jogador mais adiantado, responsável por dar profundidade ao time. O atacante recebeu poucas bolas, não foi bem quando procurado.

No geral, o Athletico conseguiu construir com Anjos, muito pela postura do Cascavel CR, que marcava em bloco baixo. Mas, quando chegava próximo da área do time do interior, a jogada se perdia. Jogadores aceleravam na hora errada, tentavam finalizar a jogada o quanto antes e erravam na tomada de decisão. Pouca mobilidade e apoio ao portador da bola. A área não era bem ocupada. Era preciso ter mais calma, girar a bola gerar espaços e atacar no momento certo. Faltou um melhor ajuste ofensivo ao Furacão.

Sem a bola, o rubro-negro atuou no 4-1-4-1 (transições defensivas variavam para o 4-4-2), com Nagib na entrelinha. O time não entrou muito em organização defensiva, pois o Cascavel CR pouco atacou. Mas deu pra notar alguns posicionamentos. Quando adversário procurou sair com passes curtos, o Furacão adiantava suas linhas e realizava encaixes para impedir a progressão. E isso ele fez bem. Logo que perdia a bola, procurava pressionar e sair em velocidade. Algo que ainda deve evoluir.

O zagueiro Éder fez uma atuação segura. Já Bambu mostrou certa insegurança no começo do jogo. Falhou no gol, erros passes fáceis e sentiu a estreia.

8f0fb376-5504-414b-a55f-86e0405ddc58
Athletico bem compacto no seu campo de defesa.

No gol, um apagão geral foi decisivo. Cascavel CR cobrou falta rapidamente, aproveitou que o marcador estava sem marcação pelo lado direito para avançar e cruzar. Bambu errou no corte, Léo não segurou a bola, Éder não conseguiu evitar e Reginaldo não acompanhou o lateral do Cascavel CR, que ficou cara a cara com o goleiro.

MUDANÇA

Creio que Rafael errou ao tirar Anjos para colocar João Pedro. Marquinhos e Bruno Rodrigues eram dois que podiam ser substituídos. Apesar disso, o meia entrou bem, jogou próximo da área e deu bons passes chave para seus companheiros. Mostrou ser importante para o time titular.

O volante Erick também foi bem. Mostrou ter um bom passe, facilidade para girar o jogo e deve ganhar a posição com o tempo.

O jogo não foi dos melhores, mas já deu pra observar algumas ideias do Furacão. Vale destacar o meia Matheus Anjos. Ele se apresentou bastante pro jogo, virou bolas, armou jogadas e foi de extrema importância ao time rubro-negro.

@andre_frehse

Foto: Athletico

Anúncios

Um comentário sobre “A ESTREIA DE RAFAEL GUANAES – Análise tática de Athletico 0 x 1 Cascavel CR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s