Novas alternativas em um Vasco mais “operário” – ANÁLISE TÁTICA MADUREIRA 0 x 1 VASCO

Por Ricardo Leite

Neste sábado, o Vasco enfrentou o Madureira e abriu o Carioca 2019 (fase principal). Infelizmente as condições climáticas e do gramado era muito prejudicial ao espetáculo.

Alberto Valentim optou por uma equipe mesclada e por dar uma pré temporada maior a alguns jogadores considerados muito importantes, como Andrey, Bruno César e Maxi López. Thiago Galhardo também deveria ter sido poupado, mas acabou relacionado para começar no banco devido à ausência de Caio Monteiro.

Apesar de não ter condições ideais para analisar, algumas coisas podem ser pontuadas. O comandante vascaíno começa a temporada com o mesmo esquema que terminou: o 4-2-3-1 – que se transforma no 4-4-2 na fase defensiva. Os dois jogadores mais avançados sem a bola eram Dudu (meia promessa da base) e Ribamar (centroavante contratado para fazer sombra à Maxi).

Uma diferença vista foi a tentativa da saída de bola pelo chão utilizando o goleiro. Fernando Miguel participou bastante do jogo e teve bom desempenho. A reposição rapida também pode ser destacada. Apesar de buscar a saída apoiada, o vasco teve dificuldades para progredir desta forma. Com os volantes adiantados e participando pouco na base da jogada, os defensores acabavam trocando passes improdutivos. Quando optava o jogo direto para Ribamar, o Vasco conseguia ganhar campo mais facilmente.

Na lateral direita o paraguaio Cáceres, teve estreia discreta e é exatamente isso que o Analise Vasco previu que aconteceria. O jogador opta sempre pela simplicidade e sua maior qualidade é o ataque ao espaço, e ele mostrou isso por duas vezes. Seu cruzamento também é um ponto positivo. No lado oposto, Danilo Barcelos, aparentando estar distante da forma física ideal, fez uma estreia de oscilação. Começou cometendo muitos erros e com muita dificuldade na marcação, assim como era esperado. O jogador tem dificuldade na conposiçao da linha de 4 e na leitura das jogadas na fase defensiva. Por outro lado entregou uma melhora expressiva ofensivamente. Com bons cruzamentos e boa bola parada, ele deu mais uma alternativa à equipe cruzmaltino.

No meio campo, Raul e Lucas Mineiro fizeram a dupla de volantes. Ambos poderiam aparecer mais para inciiar a construção, mas tiveram bons momentos, Lucas com facilidade de ir e voltar pelo campo e bons lançamentos e Raul, tentando dar dinâmica e ate chegando ao ataque, como no lance do gol.

Dudu foi o escolhido por Valentim para ser o armador da equipe. E foi muito bem. Mostrou o que estava fazendo na base, que aumentou sua intensidade de jogo e participação na partida. Distribui bons passes e fez o jogo rodar, ainda finalizou com perigo. Ainda ha muito a evoluir, principalmente na questão física, mas pode ter grande utilidade durante o ano.

No ataque Yan Sasse, foi o mais discreto dos reforços, até tentou com êxito algumas jogadas individuais mas peca na tomada de decisão e “desaparece do jogo” às vezes. Foi melhor quando jogou buscando o meio do que as pontas. Ele e Marrony trocaram de lado algumas vezes dursnte a partida, algo que Valentim sempre fazia ano passado. O menino inclusive teve boa participação na partida. Nada excepcional, mas é inteligente e dá sequência a naioria das jogadas e ainda pisa muito na área. Ele e Ribamar se entenderam bem. Quando o ex botafoguense saía da área, Marrony infiltrava no espaço vazio e teve uma grande chance, parando no goleiro.

O centroavante dividiu opiniões na estreia. Mostrou uma condição fisica invejável, e abusou da velicidade e força, ganhando a maioria dos lances, mas pecou na hora da finalização, perdendo pelo menos 2 grandes chances de gol. Mas ele pode dar alternativas interessantes à equipe.

O Vasco se portou bem na partida, com exceção do espaço dado no lado esquerdo, onde Claudio Maradona deu trabalho, tanto nas jogas individuais, quanto com as infiltrações. Apesar da dificuldade na saída de bola, o ataque funcionou e boas chances foram geradas. É importante ressaltar que o Vasco ganhou muito na bola aérea, aspecto que era extremamente ineficiente na temporada 2018. Em termos de intensidade, a equipe surpreendeu para início de temporada. Ainda há muito trabalho e muitos erros, o que é normal. Vamos acompanhar as partidas para poder façar em evolução, involução ou manutenção do desempenho.

@analisevasco

Anúncios

Um comentário sobre “Novas alternativas em um Vasco mais “operário” – ANÁLISE TÁTICA MADUREIRA 0 x 1 VASCO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s