Estreia sem brilho – ANÁLISE TÁTICA RB BRASIL 1 x 1 PALMEIRAS

Por Breno Barbosa

O Palmeiras estreou no último domingo (20), contra o RBB e ficou apenas no empate por 1 X 1, gol marcado pelo centroavante Borja. O técnico Felipão manteve o esquema 4-2-3-1 e a maioria dos jogadores que encerraram a última temporada, entretanto a falta de ritmo e intensidade, fez com que o verdão não conseguisse impor velocidade no setor ofensivo.

ds

Palmeiras no 4-2-3-1 (Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gomez e Diogo; Thiago Santos e Felipe Melo; Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Dudu; Borja). O Alviverde utilizou muito o lado direito.

O Palmeiras abriu o placar, após associações e triangulações rápidas pelo lado direito. Gustavo Scarpa cruzou para Miguel Borja atacar o espaço e fazer o primeiro gol da temporada.

O verdão iniciou a construção das jogadas com a dupla de médios Felipe Melo e Thiago Santos, porém com lentidão e erros nas trocas de passes. Foram 462 passes, sendo 82% de precisão, mas o Alviverde não encaixou seu jogo vertical, com lançamentos diretos e vencendo às segundas bolas.

ds

No último terço, Scolari optou por alternar as posições de Scarpa, Lucas Lima e Dudu, a todo instante mudavam de lugares, buscando confundir a marcação adversária, encontrar espaços e criar oportunidades, foram apenas três finalizações na primeira etapa.

ds

O Red Bull Brasil finalizou de todas as formas, sendo dez conclusões. De tanto persistir, os mandantes empataram o duelo, com o volante Jobson, após erro de marcação de Diogo Barbosa.

No segundo tempo, Felipão levou a campo Bruno Henrique e o estreante Felipe Pires, desta forma o time teve mais a posse (55%), porém com pouca efetividade. Bruno Henrique, foi participativo, movimentando-se entre os setores e circulando em todas às zonas do campo.

ds

Às duas equipes pouco criaram na segunda etapa, sendo um jogo físico e de muitos duelos, porém a questão física fez total diferença, deixando o ritmo lento e os lances previsíveis. O extremo Felipe Pires, entrou dando amplitude e partindo para os lances individuais, porém não teve tanto êxito.

ds

O Palestra até tentou uma marcação pressão, com encaixes e tirando as opções de passes do portador, entretanto não conseguiu recuperar a posse no último terço. Esse pressing será aperfeiçoado durante a temporada, pois foi muito positivo em
2018.

dsImagem: Análise verdão

A torcida palmeirense esperava os três pontos, mas não deve se preocupar, foi apenas o início de uma longa temporada. Felipão vai impondo suas novas idéias, aperfeiçoando as antigas e dando ritmo aos jogadores com os próximos jogos.

@12brenobarbosa

Anúncios

Deixe uma resposta