O Leão não venceu, mas convenceu – ANÁLISE TÁTICA CSA 1 x 1 VITÓRIA

Por Ícaro Caldas Leite

O Vitória estreou na copa do nordeste fora de casa contra o CSA de Alagoas. Atuou com o time sub-23 e foi comandado pelo próprio treinador da base, João Burse. Ele colocou o time com uma escalação ofensiva, o 4-1-4-1.

O time titular de Marcelo Chamusca, ou o que ele pretende colocar como titular, não teve tanto tempo de treinamento e então resolveram dar um descanso.

Decisão acertada pela diretoria e pela comissão técnica do Vitória, visto que o ano é longo e haverá muitos jogos terça e sábado.

O jogo

O Vitória começou o jogo apertando em cima do CSA (marcação pressão). Muitos jogadores no campo do CSA tentando roubar a bola no ataque e já partir para o gol.

No entanto, não conseguiu colocar isso em prática na maior parte do jogo, devido às condições do gramado que não eram lá das melhores e também por ser o primeiro jogo da temporada.

Porém as ideias de Burse estavam bem fáceis de ser identificadas. Neste texto, eu não estou colocando como concreto, pois podem haver variações no sistema de jogo e um único jogo não é suficiente para vê-las todas.

funil

Com a bola na saída, o Leão fazia uma saída de 3: Hebert recuava entre os zagueiros e Mateus se tornava um segundo homem de meio-campo para auxiliar Nickson à frente da linha de 3.

funil

Sem a bola, o Vitória se defendia no 4-1-4-1 com o Hebert entre as linhas de defesa e meio-campo e o Eron à frente da linha de meio-campo.

Uma formação interessante, pois, com isso, Hebert pode fazer a cobertura dos laterais quando vão apoiar ou dos zagueiros quando têm que sair para jogar, pois o meio campo está todo marcado.

Os meninos têm tanto entendimento tático e compreendem a ideia do treinador que, na hora de voltar pra marcar, o Nickson, que atuou como meio-campo direito, vinha marcar até a linha de fundo do Vitória.

funil

Em momento de contra-ataque adversário, a linha defensiva era sustentada pelos 4 defensores. Com isso, os meninos deixaram uma boa impressão em jogo complicado.

Porém, ninguém é perfeito e eles apresentaram uma falha de marcação/atenção no gol do CSA que abriu o placar do jogo.

Tanto antes de sofrer o gol quanto depois, o Vitória manteve a postura de mandante e continuou jogando para vencer. Criou diversas chances de gols no primeiro e segundo tempo. Eron perdeu a melhor chance do primeiro tempo, após uma jogada sensacional do maior talento do Vitória, o menino Luan.

Aqui fica minha impressão do jogo e dos meninos:

@Caldas_Icaro

Anúncios

Deixe uma resposta