A importância da análise de desempenho no futsal durante a formação técnica e tática

Por Rafael Santos

Sarrismo

Trata-se de estudo quantitativo descritivo observacional, que permite a coleta de dados em situações de competição sem interferir diretamente na dinâmica dos participantes (GAYA, 2008).

Consistiu em 74 gols (média de ± 4,11, desvio padrão de 1,85 e variância de 3,43) retirados de 18 jogos entre 23 equipes (60.52% de todas as equipes em um total de 38 equipes) de diferentes níveis competitivos que disputaram a da Taça Cidade de Londrina 2018 na categoria Sub-11. Campeonato Metropolitano 2018 1° e 2° divisão e Copa Kids Metropolitana 1° divisão durante o primeiro semestre de 2018.

Este estudo teve o objetivo de comparar gols de equipes de diferentes níveis competitivos da categoria Sub-11 em relação a três indicadores: Os contextos técnicos-taticos que originam os gols, a distância da meta e a localização na quadra.

Quanto ao contexto tatico houve uma regularidade em que o contra-ataque foi mais frequente nos três niveis competitivos variando de 8 gols (36,40% e média de ± 2 gols por partida) na 2° divisão e chegando a 16 gols (55,20% e média de ± 1,77 gols por partida) na 1° divisão, apresentando.

Analisando o indicador de distancia, foi possível ver que 43 gols (58,10%) são marcados de perto (até 6 metros de distância da meta), sendo seguido por média com 22 gols (29,72%), inclusive na 1° divisão média ficou a frente de perto com 12 gols (41,40%), enquanto perto teve 10 gols (34,50%).

O indicador de localização foi o único que apresentou diferença estatística, pelo fato dos gols marcados pelas alas não apresentam relação entre eles, enquanto na 1° divisão os gols são oriundos principalmente de contra-ataque e posteriormente bola parada; enquanto na 2° divisão só existiram gols de bola parada; e na Kids os gols se dividem nos três principais contextos (contra-ataque, bola parada e ataque posicional).

REVISÃO DE LITERATURA

Os jogos esportivos coletivos ocupam um lugar importante no quadro da cultura desportiva contemporânea, dado que, na sua expressão multitudinária, não é apenas um espetáculo desportivo, mas também um meio de Educação Física e desportiva e um campo de aplicação da Ciência. (GARGANTA, 1998).

O futsal é, por definição, um jogo de oposição, imprevisível, no qual os aspectos técnico-táticos possuem grande relevância. Assim como os demais jogos esportivos coletivos, a lógica interna do futsal, do ponto de vista tático, é composta por ataque, defesa, transição ofensiva e transição defensiva (SANTANA, 2008).

O processo de recolha, seleção, tratamento e análise dos dados obtidos a partir da observação do jogo, assume-se como um aspecto cada vez mais importante na procura da otimização do rendimento dos jogadores e das equipes. (GARGANTA, 2001).

Em síntese, pode-se dizer que a análise da performance nos jogos desportivos tem possibilitado: configurar modelos da atividade dos jogadores e das equipes; identificar os traços da atividade cuja presença ou ausência se correlaciona com a eficácia de processos e a obtenção de resultados positivos; promover o desenvolvimento de métodos de treino que garantam uma maior especificidade e, portanto, superior transferibilidade; e indiciar tendências evolutivas das diferentes modalidades desportivas. (GARGANTA, 2001).

METODOLOGIA

Foi criado um campograma para quantificar a distância da meta em que houve a finalização que terminou em gol por estimativa, com as seguintes configurações:

  • Perto: Até 6 metros de distância da meta.
  • Média: De 6 a 10 metros de distância da meta.
  • Longe: De 10 a 15 metros de distância do gol.
  • Distante: O restante da área da quadra.

Foi criado um campograma para quantificar localização do chute em que houve a finalização que terminou em gol por estimativa, com as seguintes configurações:

  • Ala direita: Os cinco primeiros metros entre a linha lateral direita e o centro da quadra.
  • Ala esquerda: Os cinco primeiros metros entre a linha lateral esquerda e o centro da quadra.
  • Centro: Os sete metros centrais da quadra.

Os campogramas servem de base para análise dos dados:

city ataque em superioridadeCampograma do indicador distância da meta
ismoCampograma do indicador localização na quadra.

Vale destacar que as dimensões oficiais foram reduzidas pelo fato do futsal competitivo durante a formação ter algumas adequações na regra, dimensão de quadra e etc.

CONCLUSÃO

Isso pode se dar ao fato da relação de jogo ofensivo pelas alas não ter uma conformidade, já que durante o contra-ataque é indicado buscar o centro de quadra para ter um maior ângulo em relação ao gol e em apenas duas situações ocorreu o gol pela ala em jogada de ataque posicional, sinalizando que as equipes usam a verticalidade e profundidade pelo centro visando o gol, isso pode acarretar na maior probabilidade da perca de posse de bola ao invés de utilizar as alas como opção ofensiva após a equipe adversária impor uma oposição.

Um dos principais fatores para que os indicadores perto e média estejam na frente tem relação com a maior concentração de gols de contra-ataque, levando em conta esse fator é possível afirmar que em superioridade numérica é indicado se aproximar do gol para aumentar a probabilidade de efetuar a finalização, existe uma relação direta do contra-ataque com as finalizações de perto e média distancia. 

@Rafinha_Esporte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s