Jorge Sampaoli, novo técnico do Santos! Conheça o perfil do Argentino.

Por Charlton Júnior

Sarrismo

Santos confirmou na última quinta-feira (13) a contratação do badalado Jorge Sampaoli, ex-técnico da Seleção Argentina na Copa do Mundo da Rússia. A notícia abalou todas as estruturas do futebol mundial! Se o Peixe quis surpreender, impactar com o novo treinador, conseguiu. Mas fica a seguinte questão, o que esperar desse Santos do Sampaoli? O que o técnico campeão nacional três vezes no Chile, campeão da américa com o Chile em 2015, pode adicionar ao Santos e consequentemente ao Brasil com suas ideias de jogo?

O técnico tinha proposta de um time do USA, mas, o projeto do Santos o atraiu, e isso foi um fator que contribuiu para que ele escolhesse treinar o time da Vila Belmiro, obviamente ele deve ter em mente o desafio que é treinar um time brasileiro e implantar suas filosofias. A dúvida paira no ar de como será a absorção por parte dos jogadores, se do seu jeito ele conseguirá colocar o seu modo como enxerga o futebol na cabeça destes atletas, em um país em que os treinadores ditos com conceitos atuais, modernos caem segundo muitos, prematuramente, talvez consequência deste problema da não/má absorção dos conceitos.

– O BARCELONA DAS AMÉRICAS

Daremos início pela Universidad do Chile, conhecidos por muitos como a LaU. Quando assumiu a LaU, era desconhecidos por muito, a equipe veio de um desmanche e demissão do último treinador, Sampaoli já chegou dando sua cara ao time e colocando suas características, posse de bola objetiva, ataques a todo momento, triangulações em toda parte do campo (tanto em sua defesa, como na defesa adversária), encantando a todos e assim passando a ser chamado de Barcelona das Américas, que responsabilidade, hein?

ismo

ismoDíaz sempre oferecendo opções de passe

ismoismo

O time tinha como principais táticas o 4-3-3/3-4-3, naquela ocasião Rojas atuava como defensor pela esquerda, e também como lateral fazendo uma parceria com o Mena confundindo muito os adversários. A equipe era muito sólida, Diaz e Aranguíz no meio campo ditavam o ritmo de jogo (no Santos Pituca e Sánchez faziam e podem fazer a função), e de muita intensidade ofensiva, saída de 3, constantes troca de posições, pressão na saída de bola, uma marcação individual forte em todos os setores do campo e também muitas infiltrações do Vargas e do Castro. A maior vítima do “Sampaolismo” foi o Flamengo de Ronaldinho, Thiago Neves e cia que praticamente devastou o Rubro-Negro no Engenhão em 2011.

Posteriormente, os principais jogadores daquele time receberam propostas, acabaram saindo (Gonzales, Vargas e Canales), ou foram desfalques pelas constantes convocações pelo treinador Argentino (na época), Claúdio Borghi, e consequentemente foi enfraquecendo tecnicamente o time, mas que não deixou de esbanjar as suas filosofias.

Devido ao insucesso da Seleção Chilena no ano de 2012 (6ª colocação nas eliminatórias e 42% de aproveitamento), Sampaoli foi escolhido em novembro para assumir a seleção, sendo assim, findou um ciclo que foi considerado o mais vitorioso da história da LaU.

 MAIS SUCESSO NA SELEÇÃO CHILENA

ismoEsquemas preferidos do Sampaoli, quando a seleção do Chile jogava com um “9”.

ismoEsquema do Chile sem um “9”.

Sampaoli com a sua ousadia característica, trouxe conceitos interessantes para a Seleção do Chile, tornando-a uma seleção com futebol agradável, vistoso e encantador, fazendo muitos gols nas Eliminatórias, já mostrando o seu cartão de visitas e preocupando os seus adversários, o que foi fruto de sua aptidão pelo futebol ofensivo, ou DNA ofensivo (adorado pelos Santistas).

Alguns dos princípios da equipe Chilena

Amplitude/Abertura dos Corredores Laterais: Amplitude explica-se pelo modo que a equipe ocupa horizontalmente o campo (de lateral a lateral). Uma equipe pode ser larga, quando usa o máximo do espaço lateral do campo em todos os setores; ou estreita, quando posiciona seus jogadores laterais mais fechados. O Chile explorava muito os seus “laterais”, por ambos os lados, então, eram frequentes as aparições dos jogadores pelos corredores (geralmente os jogadores centrais puxavam a marcação para o surgimento dos espaços).

ismo

Mobilidade: É necessária muita movimentação por parte dos jogadores, para que sempre possam oferecer opções de passe (formando triângulos) e também confundir a marcação adversária. O Chile era primoroso nessa questão.

ismo

Profundidade, Penetração e Aproximação dos Homens de Meio: Conceitos que juntos abordam a ocupação longitudinal (de gol a gol) da equipe no campo e a capacidade da mesma em entrar nas linhas defensivas adversárias. Os 2 atacantes e o falso 9, são responsáveis por penetrar na linha defensiva. A linha de defesa chilena, quando o time possuía a bola, sempre subia até mais ou menos o meio campo e recebia a aproximação do meio campo para controle da bola.

ismo

Sobrecarga na Defesa Adversária: A Seleção do Chile costumava chegar com muitos jogadores dentro da área adversária, além dos atacantes, os meias, os laterais, povoavam em busca da finalização (víamos algumas vezes com Dodô pelo Santos).

ismo

Rápida recuperação da bola (pressão intensa ao portador): Uma das características de mais destaque da equipe de Sampaoli era a pressão incessante ao portador da bola, geralmente com mais de um jogador, com o objetivo de retomar a posse o mais rápido possível.

ismo

Marcação individual (por encaixe): Sampaoli também gosta muito de fechar a linha de passe do time adversário para dificultar a movimentação da bola, posicionando sua marcação individual, fazia isso na LaU e levou para a Seleção do Chile.

ismo

 DE SEVILLA À SANTOS

 Sevilla

Sampaoli após passagem de sucesso pela Seleção de Chile quis voar mais alto, e esse vôo passou pelo time do Sevilla-ESP, onde ele chegou, em seu início, o time teve dificuldade em fazer o que ele mais gosta, que é circular a bola e bastante intensidade pelos homens de frente, o time agradou mais pelos resultados do quê pela forma de jogar futebol, que só veio atingir seu “ápice” do meio pro fim da temporada, a transição defensiva do time espanhol também era bastante deficiente, mas de qualquer forma, os números eram superiores ao do seu antecessor Unai Emery, o que lhe deu tranquilidade para o futuro.

Peça importante para suprir essa dificuldade em rodar a bola, Samir Nasri com sua capacidade deu uma maior qualidade ao time, devido a sua facilidade de condução da bola , dribles curtos e sua agilidade para mudar de direção, tudo isso somado aos nomes que já se encontravam na casa, que passaram a ser melhor utilizados por Jorge, um deles foi o N’Zonzi com toda sua elegância e passadas largas, passou de recuperador/entregador de bolas, para controlador de jogo e devorador de espaços vazios. Os laterais também foram importantes, explorando os corredores e dando opções por dentro.

Por muitos chamados de “mutante” esse time também era capaz de sair da sua zona de conforto para conseguir resultados importantes jogando de forma reativa, atrás da linha da bola e escapando quando haviam possibilidades. Mesmo em jogos que perdia, o time mostrava o jeito Sampaolista, ataques bem elaborados, construídos a partir da defesa, muitos jogadores em condição de conclusão, embora a defesa não inspirasse tanta confiança, existiam ideias para protegê-la quando necessária.

 Chegada em Santos

Após pífia passagem pela Seleção Argentina, Jorge Sampaoli chega ao Santos com uma difícil missão, trazer conceitos diferentes, fazer o time jogar um futebol com a cara da história do Santos (o time mais goleador da história do futebol), e fazê-lo também um time competitivo, vibrante e impetuoso.

Traremos algumas opções de como ele pode montar o Santos, utilizando os jogadores que se encontram no atual elenco. Como já foi dito ele é adepto a montar o seu time em um híbrido 4-3-3/3-4-3, dependendo do momento o time varia entre esses dois esquemas “in game”, ou o time estrutura-se em um desses e segue a partida. Lembrando que há muitas possibilidades para montar o time, então sintam-se à vontade para comentar sobre, e inclusive dizer quais são as suas preferências.

Santos no esquema 3-4-3:

ismo

Nesse modelo o Santos jogaria com 3 zagueiros destacados acima, Pituca e Sánchez atuariam como os controladores no meio campo e recuperadores de bola, ajudando também na criação de jogadas do time, aparecendo em todos os setores do campo para formar os triângulos já ditos. Dodô e Victor Ferraz abusando da amplitude/ultrapassagens, Rodrygo pode atuar como um armador móvel devido a sua capacidade técnica, ou utilizar o Felipe Cardoso, explorando sua força física para penetrar na área adversária e gerar profundidade. Bruno Henrique e Derlis Gonzales seriam responsáveis pelas infiltrações e também pelas jogadas de aproximação com os jogadores de lado de campo.

Santos no esquema 4-3-3:

ismo

No 4-3-3 o time manteria todas as características (amplitude, ultrapassagem, infiltração, troca de passe, movimentação intensa) a mudança seria um pouco mais voltado para estrutura, a entrada de Alison que no momento defensivo seria um meio campista recuperador de bolas, protetor da defesa e na parte com a bola ele participaria da linha de 3, auxiliando na saída e liberando os laterais Dodô e Victor Ferraz para atuar nos corredores e trabalhando com os jogadores de frente. Bryan Ruiz seria a peça em que por muitas vezes foi o Valdívia na Seleção do Chile, aquele jogador que buscava estar entre as linhas, nos lados de campo, com uma visão de jogo apurada servindo os atacantes, além de “empurrar” a linha de defesa adversária. Bruno Henrique/Rodrygo e Derlis Gonzales seriam os responsáveis pela linha de frente do time Alvinegro.

Como já foi enfatizado, a missão é difícil e por isso Sampaoli precisa de tempo de trabalho para implantar todos esses conceitos, será um ganho pro Santos e também para o cenário de futebol do Brasil, em tempos difíceis na Baixada Santista, esperemos que ele tenha paz, e estrutura para trabalhar e assim colher frutos futuramente. Ele é conhecido por ser um treinador bastante estudioso e obcecado por seu trabalho, aquele que busca conhecer tudo em que está ao seu redor, e também fora do seu redor como por exemplo a base, o Santos só tem a ganhar com isso.

@chaarltonjunior

Anúncios

Deixe uma resposta