Intensidade e vigor, uma final de gente grande – ANÁLISE TÁTICA SÃO PAULO 1(3) x (4) 1 PALMEIRAS

Por Pedro Galante e Breno Barbosa 

Palmeiras e São Paulo se enfrentaram nesse domingo (16) pela final da Copa Rio Grande do Sul.

Orlando Ribeiro escalou o São Paulo em um 4-2-3-1 e fez uma troca de posições para marcar Papagaio. O volante Diego veio para a zaga e o recém promovido ao sub-20 Fasson, virou volante.

A estratégia não deu muito certo. Logo aos 8 minutos, Papagaio abriu o placar para o Palmeiras. Em um lance onde a linha de defesa são paulina é quebrada, Meloni avança com espaço e cruza, Papagaio faz a leitura perfeita, ataca o espaço e marca.

ismoWelington é vencido e a linha de defesa é quebrada. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O Palmeiras foi superior na primeira etapa, onde o técnico Wesley Carvalho utilizou o esquema 4-2-3-1 (Gomes; Marcus Meloni, Gabriel Furtado, Patrick de Lucca e Lucas Esteves; Matheus Neris e Patrick de Paula; Airton, Alanzinho e Guilherme Vieira; Papagaio). O Alviverde pressionou muito o adversário em seu campo defensivo, inibindo que o São Paulo tivesse liberdade para iniciar às jogadas ofensivas.

ismoPressão encaixada e agressiva por parte do Palmeiras. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

É preciso destacar também o trabalho da primeira linha de marcação do Palmeiras mesmo depois de vencida. Os jogadores sempre estavam atentos para impedir o retorno da bola. Como o estilo do São Paulo é de um toque de bola paciente, esse mecanismo incomodou muito o tricolor paulista.

ismoJogadores do Palmeiras fechando as linhas de passe. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O Palmeiras teve volume. Apesar da pressão adversária conseguia sair com a bola. Alanzinho e Papagaio perderam chances preciosas.

ismoSaída de bola do Palmeiras. Laterais na amplitude e Neris e Alan dando opção de passe. (Foto: Breno Barbosa)

Na volta para o segundo tempo, o Palmeiras já não tinha a mesma intensidade e o São Paulo cresceu. Chegou ao empate aos cinco minutos com Toró. Após o gol conseguiu tocar um pouco melhor a bola, mas ainda sofria para estruturar ataques.

A disputa foi para os pênaltis e o Palmeiras venceu por 4 a 3. O grande destaque da competição foi Rafael Papagaio, que marcou sete gols em sete jogos na competição, chegando a marca de 38 gols em 46 jogos da temporada.

Pelo lado do São Paulo, apesar da derrota não é de se lamentar. A grande parte dos jogadores da categoria subiram para o profissional e agora é um período de adaptação. A Copa São Paulo será fundamental para o desenvolvimento desse time.

@Pedro17Galante e @12Brenobarbosa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s