Ataque bélico no Emirates: ANÁLISE TÁTICA ARSENAL 4×2 TOTTENHAM

Por Luiz Martins

Qual a melhor maneira de consolidar uma nova identidade, conectada com a cultura de seu clube?

No domingo (02 de dezembro de 2018), o Arsenal demonstrou essa consolidação de uma maneira totalmente contundente e imponente, vencendo seu maior rival o Tottenham, dentro do Emirates Stadium, em uma partida digna do North London Classic.
Este clássico londrino, que contou com nervos à flor da pele, tanto de jogadores, quanto das torcidas, que vestiram totalmente a camisa do lado que defendiam, demonstrando um tom de uma grande partida, culminando com duas viradas de placar e uma goleada do lado vermelho de Londres.

Uma partida que o Emirates Stadium terá sempre gravada em sua história, que demonstra toda a qualidade das ideias que começam a surgir com Unai Emery na casamata Goonner. Vibrante, intenso e jogando junto com jogadores e torcida, o técnico retoma algo perdido nos últimos anos com Arsene Wenger, dando indícios de que o futuro é promissor para os canhões ingleses.

Análise da Partida

Pochettino iniciou a partida utilizando um esquema 4-3-1-2, formação que vem sendo muito utilizada pelo técnico nesta temporada, onde ele povoa o meio-campo com jogadores de maior físico, obrigando o adversário a utilizar os corredores para atacar. Sabendo desta estratégia, Unai Emery postou o Arsenal em uma formação 3-4-3, tendo Bellerin e Kolasinac em zonas altas, se juntando a Iwobi e Mkhitaryan, com muita intensidade e velocidade em jogadas mais verticais e diretas, buscando a todo instante Aubameyang que realizava muitas jogadas em profundidade, uma de suas características principais, desde os tempos de Borussia.

arsenal1Arsenal postado em 3-4-3, sendo intenso e veloz no momento ofensivo e já pressionando o adversário quando perdia a bola, ou na saída de bola (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

Com a formação, Emery pressionava a saída de bola adversária sempre com intensidade, além de quando perdia a bola em algum ataque, os jogadores gonners já realizavam o perde pressiona, para roubar a bola em zonas altas. Desta forma o Arsenal conseguiu a marcação de um pênalti, convertido por Aubameyang abrindo o placar.
Os Spurs sentiam dificuldades em sair desta pressão inicial do adversário, mas causavam algum perigo ao goleiro Leno com o retorno de Harry Kane no auxílio a Dele Alli, assim liberando espaços entre a linha de zagueiros para as infiltrações de Son, principalmente pelo lado esquerdo.

arsenal2.pngHarry Kane saia da referência, associava com Dele Alli, atraia a marcação e concedia espaços a Son, para que o sul-coreano pudesse realizar infiltrações (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

O Totteham melhorou seu desempenho na partida e conseguiu ainda no primeiro tempo a virada em pênalti de marcação duvidosa (jogada típica de utilização do VAR), assim configurando um cenário já antes vistos diversas vezes no Emirates, deixando a torcida do time mandante apreensiva e questionando se os gunners conseguiriam ter forças para ir atrás do placar adverso.

Com o início do segundo tempo, Emery retorna com duas alterações que mudariam o cenário a partida a favor do Arsenal. Retirando Iwobi e Mkhitaryan, por Ramsey e Lacazette, respectivamente, Emery altera a formação inicial para um 3-4-1-2, apostando em ofensividade por dentro com a mobilidade dos dois jogadores, tendo melhor leitura de espaços ofensivos, articulação de jogadas (aqui a importância de Lacazette em retornar sempre pra se associar com o camisa 8), mas mantendo a pressão e intensidade nos adversários, mas agora de modo mais individualizado.  Além disso Torreira, que era um jogador importante defendendo, além de ser importante na saída de bola, aparecia em zonas mais altas, se juntando aos meias, sendo uma outra opção de ataque, através de infiltrações desde a base da jogada.

arsenal3Ramsey e Lacazette buscavam sempre organizar as ações ofensivas por dentro, sempre tendo opções pelos lados com os laterais em amplitude em zonas altas (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

As alterações surtiram o efeito esperado e o Arsenal conseguiu reverter o placar adverso e ampliar a vantagem configurando uma goleada no Emirates em cima do rival.
Uma vitória totalmente importante para as pretensões do time, que além de ser importante dentro da Premier League, por tirar pontos de uma equipe que tem condições de briga por título, aumenta cada vez mais a confiança dentro do clube e dos torcedores em voltar a pensar com dias de glórias, consolidando a competitividade, ainda mais vencendo o maior rival.

@ojunomartins

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s