JOGO DA TAÇA – ANÁLISE TÁTICA PALMEIRAS 3 x 2 VITÓRIA

Atuando no Allianz Parque, o Palmeiras recebeu a equipe do Vitória e venceu por 3 X 2, coroando a conquista do Decacampeonato. Foi uma partida tranquila, pois os dois times entraram na rodada com seus futuros definidos, o Alviverde campeão e esperando para erguer a taça, enquanto o Vitória entrou em campo já rebaixado para a série B.
20181128235825382379aImagem: César Greco/Palmeiras
  • Jogadores do Palmeiras durante a comemoração do Decacampeonato
De forma surpreendente, o técnico Felipão optou por não poupar o elenco e levou a campo um time no tradicional 4-2-3-1 (Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Víctor Luís; Felipe Melo e Bruno Henrique; Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Dudu; Borja), aonde o Palmeiras dominou e propôs às ações de jogo. O Alviverde teve 58% da posse de bola e 25 finalizações (17 dentro da área, demonstra a facilidade do verdão em explorar os espaços). O Palmeiras iniciou suas jogadas de forma apoiada, com Bruno Henrique e Felipe Melo recuados. O time de Scolari propõem o jogo de forma cautelosa, sempre tendo quatro ou cinco jogadores na saída, pois caso perca a posse, não sofra contragolpe do adversário.
photogrid_1543880062810Imagem: Premiere
  • Felipe Melo inicia o lance, com isso Mayke e Victor Luís sobem para o campo ofensivo ao mesmo tempo (raridade no atual verdão), ambos dão amplitude para saírem da marcação. Dessa forma, Felipe Melo pode fazer o lançamento ou optar pelo passe curto com Bruno Henrique.
Enquanto o Vitoria veio escalado no 4-3-3, porém, seus ataques passaram a ser realizados no 4-2-4. Os baianos defenderam-se no 4-5-1 e alternavam para 4-1-4-1, sendo que a primeira linha defensiva sempre era quebrada pelo lateral-esquerdo, pois Fabiano deixava crateras para a equipe palmeirense atacar pelo lado direito. Gustavo Scarpa e Mayke trocaram constantemente de funções, com Scarpa recuando e sendo opção de passe, enquanto Mayke soube explorar os espaços e levou perigo pelo setor.
photogrid_1543880062810Imagem: Premiere
  • O verdão iniciando a construção de forma apoiada, com Mayke ocupando e agredindo o espaço deixado por Scarpa, essa variação acabou confundido a marcação baiana.
No lance do primeiro gol palmeirense, o verdão cobrou de forma ensaiada o escanteio, deixando a cozinha rubro-negra bagunçada, foi quando a bola sobrou nos pés de Dudu e ele encontrou espaços pelo lado esquerdo (nas costas de Fabiano), onde Edu Dracena só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede. O segundo gol do Palmeiras, foi mais uma jogada ensaiada e extrema falha de orientação dos baianos. Na cobrança da falta, haviam 9 homens do Vitória, contra 4 do Palmeiras na área, ou seja, o dobro e mais um. Essa quantidade absurda de homens na área, resultou em espaços fora dela, que, posteriormente, o palmeiras teve a inteligência com Dudu ao dar o passe e Gustavo Scarpa finalizou muito bem no gol de João Gabriel.
photogrid_1543880062810Imagen: Cesar Greco
  • O Vitória marcando com muitos jogadores dentro da área e proporcionaram importantes espaços para incomodá-lo em nossa.
Com ampla vantagem, o verdão começou a diminuir a intensidade, os garotos do Vitória aproveitaram e descontaram com Yago, cobrando pênalti. Logo em seguida, outro ataque do leão da barra, pelo lado esquerdo, que consistiu em uma triangulação entre Fabiano, Yago e Erick. Fabiano continuou com a bola e esperou a infiltração do meia-atacante Luan, que recebeu a bola, fez um belo giro e balançou o capim no fundo do gol.
O segundo gol tem o destaque do atacante Eron, que com sua movimentação, conseguiu puxar dois homens de marcação do palmeiras e abriu espaços para que o Luan se infiltrasse pela defesa palmeirense.
photogrid_1543880062810Imagem: Premiere
  • Triângulações entre os jovens jogadores do Vitória, o Luan atacou o espaço como elemento surpresa e marcou um belo gol.
No 3º gol do Palmeiras, foi uma aula do famoso “Scolarismo”. O Alviverde saiu em rápido contra-ataque com o extremo Dudu, aonde em poucos segundos levou a bola do seu campo defensivo ao ofensivo, encontrando a defesa adversária desarrumada, o Craque do Brasileirão achou o venezuelano Guerra, que teve espaço para girar e achar Bruno Henrique, o volante mostrou precisão e potência na conclusão, fechando a conquista do Deca com mais uma triunfo.
Vídeo: Premiere
  • Dudu puxou o contragolpe, Guerra apenas ajeitou e Bruno Henrique, novamente sendo elemento surpresa, fez eum golaço, coroando sua ótima competição.
Dudu pelo lado palmeirense e Yago representando o Vitória, foram os destaques de suas equipes. Entretanto, vou ponderar e destacar a atuação do Bruno Henrique, outra partida em altíssimo nível.
photogrid_1543880062810Imagem: Premiere
  • Bruno Henrique teve 87,5% de precisão nos passes, três lançamentos precisos, quatro duelos ganhos,  três desarmes, cinco finalizações e foi coroado com um golaço. Fundamental na recomposição e ao diminuir os paços, além de presença de área, precisão e potência nas conclusões.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s