Objetividade, variações e equilíbrio – o título com campanha irretocável do Fortaleza de Rogério Ceni

Por Gêra Lobo

city ataque em superioridade

Um dos times que apresentou o melhor futebol, ou pelo menos o mais vistoso, no Brasil em 2018 foi, sem sombra de dúvidas, o Fortaleza. A equipe de Rogério Ceni, um técnico novo, moderno e com ideias bem pretensiosas, ainda mais quando falamos de um time como o Leão do Pici, foi algo incrivelmente interessante de se observar durante toda a campanha incrível na Série B 2018, que culminou no título nacional inédito do tricolor. Um time com futebol para frente, sem medo de enfrentar nenhum adversário e sempre propondo, gostando ficar com a bola no pé.

Pensando nisso, preparamos um resumo sobre a campanha irretocável do time de Ceni, mostrando números, recordes e suas principais virtudes, destacando a forma inteligente a qual o Fortaleza encaminhou uma caminhada de muito equilíbrio durante toda a competição.

Variações

Um dos aspectos que mais impressionou todos os adeptos que acompanharam o Fortaleza na Série B foi a facilidade do time conseguir variar suas formações durante todo o campeonato, seja de um jogo para outro ou até mesmo no decorrer dos confrontos, sempre visando suprir alguma necessidade, seja ela no momento ofensivo ou defensivo. Isso ficou nítido, principalmente em situações que o time tinha algum desfalque.

Bom, o esquema base do Leão durante toda a competição foi um 4-3-3, que variava para um 4-2-3-1 durante a partida, isso com a bola, claro. Sem a bola, a equipe se comportava no típico 4-1-4-1, até variando para um 4-4-2, com Dodô, o camisa 10 do time, avançando para pressionar mais na saída do adversário ao lado do centroavante, sendo ele Gustavo ou Éderson.

city ataque em superioridade

Como já dito, esse aspecto ficou ainda mais impressionante quando o time sofreu com desfalques, sendo por lesão ou suspensão. A forma como Ceni mexeu na estrutura do time sem perder sua filosofia impressionou. Um jogo destacável dessa ideia foi contra o Juventude, no final do primeiro turno. Sem o lateral-esquerdo Bruno Melo, um dos pilares do time, Ceni mudou o esquema do time para um 3-5-2, variando para um 3-4-3, com Leonan, reserva de Bruno, aberto pela esquerda como um ala, já que ele tem como principal qualidade o apoio.

Enfim, pode até parecer uma estratégia até precavida demais, certo? Não é bem assim. O Leão venceu esse jogo por 3 a 0, se destacando tanto ofensivamente, quanto defensivamente, exatamente pela formatação qualificada que Ceni deu ao time. Os alas foram essenciais nessa partida, por formarem uma linha de 5 com os zagueiros no momento defensivo. Inteligência para mudar, e isso não foi visto apenas nesse jogo, mas sim em alguns outros fora de casa.

city ataque em superioridade

O ponto aqui é a facilidade de variar do Fortaleza durante todo o campeonato. Mudava esquema e o time simplesmente não caía de produção. É muito importante em um time vencedor isso, pois consegue se adaptar a várias situações do jogo e do campeonato também, como, já dito, desfalques. É preciso ter esse entendimento para ter sucesso. Ceni deixou o time imprevisível muitas vezes, o que confunde demais a cabeça dos adversários.

Equilíbrio

Os números vão comprovar esse fato, mas o equilíbrio defesa/ataque de uma equipe é importantíssima para o sucesso ao fim dos torneios, e com o Fortaleza não foi nada diferente. Desde o início do campeonato a equipe mostrava ter regularidade tanto no momento ofensivo, como no defensivo. A versatilidade do ataque, de chegar tanto por dentro como pelas laterais, seja por passes em profundidade ou em triangulações, impressiona demais, tanto que o time terminou com o segundo melhor ataque.

Na defesa, o Leão não aparece tanto entre números de desarmes ou bloqueios, por exemplo, mas a inteligência defensiva do time é o grande fator aqui, pois a forma como todos ajudam no momento defensivo, a leitura de linhas e espaços fizeram com que o clube terminasse com a terceira melhor defesa da competição. Resumindo um pouco, os números ofensivos impressionam bem mais que os defensivos, mas a defesa do Fortaleza não foi resumida em números, e sim em eficiência e resultados.

MELHORES NÚMEROS DO FORTALEZA NO CAMPEONATO

Assistências para finalizações: 411 (1º) – Média de 10.8 por jogo (1º)
Assistências para gols: 35 (3º)
Cruzamentos totais: 1032 (3º)
Cruzamentos certos: 245 (1º)
Finalizações totais: 532 (3º)
Finalizações certas: 196 (3º)
Gols marcados: 54 (2º)
Gols sofridos: 33 (3º)
Passes totais: 15719 (1º) – Média de 413.7 por jogo (1º)
Passes certos: 14231 (1º) – Média de 374.5 (1º)
Posse de bola: 56.7% (1º)
Faltas cometidas: 512 (1º)

DISTRIBUIÇÃO DAS FINALIZAÇÕES

Focando agora nas finalizações, o Fortaleza foi um dos times que mais buscou o gol no campeonato. Uma equipe com um volume incrivelmente alto e que não tinha medo algum de arriscar. Abaixo, algumas das imagens que comprovam e destrincham esse alto indíce de chutes do tricolor. Na primeira imagem, a origem das finalizações, ou seja, da onde o Leão mais arriscou.


city ataque em superioridadeOrigem das finalizações do Fortaleza. Locais onde o time mais finalizou (Via: Footstats)

A segunda imagem destaca o destino dos chutes do Fortaleza.

city ataque em superioridadeDestino dos arremates do time em todo o campeonato (Via: Footstats)

Por fim, uma imagem mostrando a distância em que o Fortaleza mais finalizou certo, errado e marcou gols. Vale destacar a quantidade de chutes errados de 26-30 metros. Um time que realmente não teve medo de arriscar.

CONSTRUÇÃO OFENSIVA

Finalizando a sequência com estatísticas, aqui tem a construção ofensiva do Fortaleza no campeonato, com quem mais finalizou, deu assistência, seja para gols ou finalizações, além do penúltimo e antepenúltimos passes. A versatilidade do time impressiona, pois vários jogadores deram assistências. Um coletivo impressionante.

city ataque em superioridadeConstrução do ataque do Leão. Destaque para Dodô, um dos que mais deu assistência para finalizações no campeonato (Via: Footstats)

O ano de 2018, do Centenário, foi muito especial e terminou da maneira mais perfeita possível para o Fortaleza, um clube que passou 8 anos longos anos na terceira divisão e agora volta a ser destaque no futebol nacional. O trabalho de Ceni foi a beira da perfeição e isso é importante demais para sua carreira como treinador, que ganha um empurrão gigante. Não foi apenas um time que venceu por vencer. Tinha ideias e as aplicou da melhor forma possível. Agora é esperar, caso ele fique, se o Leão vai repetir boas atuações na elite do futebol brasileiro.

@gerinhalobo_

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s