Resumo Tático – Brasileirão 31ª Rodada

Por Felipe Henry

POSSE DE BOLA:

  1. Flamengo – 70%
  2. Atlético/PR – 69%
  3. Santos – 69%
  4. Grêmio – 68%
  5. Atlético/MG – 63%

No grande jogo da rodada, o Flamengo se impôs no campo de ataque, como tem atuado após a chegada de Dorival Júnior. Mas apresentou problemas para ser mais vertical, principalmente com um desempenho abaixo da média de Lucas Paquetá como principal responsável por criar as jogadas ofensivas, algo que melhorou após a entrada de Diego e Marlos, onde o Fla conseguiu entrar mais na área. Destaque para Gustavo Cuéllar (53 passes certos – 91% de precisão), novamente importante no início da transição ofensiva.

O CAP, por sua vez, não fez um grande jogo e foi superior no domínio territorial contra um time que optou por uma postura reativa, porém conseguiu aproveitar as chances criadas no 2T e a própria movimentação ofensiva melhorou ao ser mais objetiva. Antes, mesmo atingindo 75% de posse com o 4-2-3-1 de Tiago Nunes, havia um insucesso para quebrar as linhas de marcação do adversário. Bruno Guimarães, líder em passes certos na partida (74, com 93% de precisão) foi mais discreto do que parece e não fez um grande jogo.

Outro que venceu na rodada com domínio territorial e de ações na partida foi o Santos, que atingiu o auge de 71% de posse no 2T, onde realmente sitiou o campo do adversário e massacrou em busca da vitória. Também foi interessante ver como Cuca modificou o seu 4-3-3 ao trocar Alison por Bryan Ruiz, trazendo Diego Pituca para o meio e melhorando a qualidade no passe e a infiltração na área. Pituca, aliás, foi um dos líderes do time em passes certos (66, com 91% de precisão).

FINALIZAÇÕES:

  1. Santos – 24
  2. Flamengo – 22
  3. Grêmio – 17
  4. Atlético/PR – 16
  5. Vasco da Gama – 16

Rodrygo (uma na trave, uma no alvo), Gabriel Barbosa (gol e duas pra fora) e Carlos Sánchez (duas no alvo) foram destaques nas finalizações santistas, somando sete das 24 que a equipe realizou na partida (10 no alvo – 7 só no 2T), o que só exemplifica um total domínio santista contra o Flu, merecendo os gols no fim do cotejo.

Quanto ao Flamengo, melhor ataque do Campeonato, chamou a atenção o fato de novamente ter dificuldades para converter em gols o domínio territorial, tendo uma posse de bola muito mais horizontal do que vertical e o fato de não conseguir acertar uma finalização no alvo no 1T deixa isso bem claro. Lucas Paquetá, com três finalizações (duas pra fora) acabou sendo um destaque muito mais negativo do que o esperado no quesito.

Caldas teamConfira nessa imagem de Luan Silveira, a movimentação de Lucas Paquetá para entrar na área adversária.

Quanto ao Grêmio, sabemos que é um time que cria e finaliza bastante, mas que também não é de hoje que desperdiça muitas oportunidades. Apesar de atuar com um time B contra o Sport, não abdicou de suas características de exercer um jogo propositivo, mas pouco assustou principalmente em um 1T bem pouco produtivo nas ações ofensivas, principalmente pela falta de uma referência, já que Thonny Anderson não é centroavante.

Apesar da dificuldade vascaína de manter uma base estrutural e um esquema de jogo mais regular, o Gigante da Colina conseguiu superar sua média de finalizações (13 finalizações por jogo, em média) na partida contra o Inter, mesmo em uma partida mais equilibrada em ações ofensivas. Destaque para as quatro finalizações de Yago Pikachu (duas no alvo, duas pra fora) e para um bom desempenho de Andrey no último terço.

china fcNessa imagem de Ricardo Leite, é possível ver como Andrey se posicionou na estrutura do Vasco, com potencial de infiltração.

DESARMES:

  1. Sport Recife – 23
  2. Fluminense – 18
  3. Internacional – 17
  4. Vitória – 16
  5. Flamengo – 13

O alto número de desarmes bem sucedidos do Sport, mostra o quão dedicado e intenso na difícil missão de marcar o Grêmio. Interessante destacar que Jair, autor de dois gols na partida, liderou a equipe também em desarmes (quatro desarmes em seis tentados) e contribuiu diretamente para um bom funcionamento da estratégia reativa.

Caldas teamJair foi fundamental na vitória do Sport, liderando a equipe em desarmes e, como destacado na imagem de João Pedro Pereira, pisando na área gremista para finalizar.

Já o time reserva do Fluminense marcou muito enquanto pôde, principalmente pelo lado esquerdo da defesa com as boas atuações de Marlon (quatro desarmes de seis tentados)e Fernando Neto (cinco desarmes tentados – 100% de aproveitamento) para proteger o setor contra o trio Ferraz/Sánchez/Bruno Henrique, com Gabigol também caindo por ali. Porém, sem conseguir evitar a derrota no fim com o bombardeio santista.

china fcNessa imagem de Charlton Júnior, é possível perceber o quão forte foi o Santos pelo lado direito, com Derlis, Victor Ferraz e Carlos Sánchez ocupando essa parte do ataque.

Quanto ao Inter, o centroavante Jonatan Álvez entrou no 2T e ainda conseguiu dois desarmes e anotar o gol colorado, mostrando o quão difícil é enfrentar um Inter de muito vigor físico e eficiência nos contra-ataques. Aliás, o jogo contra o Vasco foi muito mais pegado e equilibrado do que se esperava, em uma partida de muito pouca objetividade ofensiva.

Pelo Vitória, o zagueiro Ramon fez uma boa partida e foi o líder em desarmes no jogo (três – 100% de aproveitamento), algo crucial nos duelos contra Carneiro, Diego Souza e Tréllez. O mais interessante é perceber que o Vitória foi superior na posse de bola, mas não teve a mesma eficiência ofensiva.

TIME DA RODADA:

Técnico: Cuca (Santos)

Esquema escolhido: 4-2-3-1

Caldas team

@Lipe_Henry

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s