Grande jogo as margens do Guaíba: ANÁLISE TÁTICA INTERNACIONAL 2×2 SANTOS

Em jogo válido pela trigésima rodada do Brasileirão,  O Internacional se distancia do líder Palmeiras, ao empatar um jogo dentro de casa, pelo placar de 2×2 com a equipe do Santos.
Abaixo analiso como foi a partida, em um dos melhores jogos do campeonato até aqui.

Análise da Partida

O jogo Iniciou com o Santos realizando uma marcação pressão na saída de bola colorada, igualando os duelos de disputa de bola, através da força física, uma característica da equipe de Porto Alegre. Desta forma encurralou o Inter mais próximo de sua área, deixando o adversário desconfortável dentro de campo.
Santos se defendia em duas linhas de quatro jogadores, com Sanchez aberto pelo lado direito, buscando muita velocidade pra progredir o time.
Cuca utilizou Rodrygo mais centralizado, atrás de Gabigol, na tentativa de abrir o meio-campo colorado, que tem a proteção de Dourado à zaga, como um dos pilares defensivos colorados.

Desta forma o Santos agredia mais a defesa colorada, jogava dentro do campo adversário, com aproximação em velocidade dos meias aos atacantes, tendo com Gabigol as melhores chances (ele finalizou uma bola no travessão em um contra-ataque).

Já o Inter teve algumas boas ações ofensivas dentro do jogo, com Leandro Damião brigando com os zagueiros, abrindo espaço para as chegadas de Patrick, Nico e Edenilson, conseguindo chegar pra finalizar com poucos toques na bola, mas sentia dificuldades de se organizar, muito em função de D´alessandro (principal jogador de criação do time), buscar se posicionar nos lados do campo, longe da base da jogada, onde sofreria muita combatividade dos volantes santistas.

Após os trinta minutos do primeiro tempo, a pressão santista foi diminuindo e com isto o Inter começou a subir sua marcação, pressionando dentro de seu campo ofensivo. Já aqui as infiltrações características de Edenilson começaram a surgir, mas ainda sem serem efetivas, dando indícios de melhora da partida como um todo.
Já próximo do fim da primeira etapa, o Inter se coloca a frente do placar em uma jogada que demonstra praticamente todos os aspectos do jogo colorado, que o consolida no G4.

Logo no início da segunda etapa, a equipe santista retornou com maior ímpeto ofensivo, dificultando novamente as ações de construção ofensiva do Inter, fazendo com que o time gaúcho cometesse erros e em um destes momentos, empata a partida em um golaço de Gabigol, demonstrando que o peixe veio a Porto Alegre pra buscar a vitória.  O jogador, que com a chegada de Cuca, vem fazendo um ótimo campeonato, jogava como uma referência móvel, buscando sempre movimentações em diagonal, aparecendo no meio, servindo como opção de passe aos companheiros e entrando na área com perigo, dificultando a marcação dos defensores adversários.

Mesmo sofrendo o empate, o time colorado não diminuiu a pressão na saída de bola e já conseguia rodar a bola com maior qualidade, em função de D´alessandro já estar se posicionando na base da jogada, desde momentos anteriores ao gol, melhorando a qualidade da saída de bola, além de acionar sempre jogadores em posições mais próximas da área.
O time já recupera a bola com maior velocidade e atacava a área com muitos jogadores, mas deixava alguns espaços nas laterais, muito mal protegidas. Bruno Henrique e Rodrygo/Gabigol, conseguiam vencer seus duelos contra os laterais colorados, ou possuíam auxilio de Dodô, pela esquerda, ou Vitor Ferraz, pela direita. Os volantes colorados sentiam extrema dificuldade de auxílio na marcação dos corredores, obrigando os zagueiros muitas vezes a realizarem muitas coberturas nos lados, deixando o miolo de zaga desprotegido.

Mesmo com estas dificuldades, a equipe colorada conseguiu fazer seu gol, em bela jogada de contra-ataque, outra das muitas faces do modelo de jogo colorado.

Mas nem tudo que é bom dura muito tempo e a dificuldade de defender a área, ficou nítida em um erro coletivo a dentro da pequena área, onde Fabiano marcou um gol contra, novamente empatando a partida. Já neste momento p técnico Cuca, realizou alterações importantes, dando maior velocidade a equipe santista.

Em contraponto, Odair buscando a vitória, colocou Wellington Silva e Rossi, na tentativa de ganhar melhor drible e velocidade próximo à área, recuando Patrick para a lateral. O volume ofensivo colorado aumentou, mas sem o sucesso esperado, consolidando o placar de 2×2 até o final da partida.

 

@ojunomartins

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s