Mais uma vitória Alviverde – ANÁLISE TÁTICA PALMEIRAS 2 x 1 CEARÁ

Atuando novamente no Pacaembu, o Palmeiras conquistou mais três pontos, dessa vez em cima do Ceará, pelo placar de 2 X 1. Os gols do verdão foram anotados pelo volante Bruno Henrique, enquanto os visitantes descontaram com Arthur Cabral.
O técnico Felipão de novo levou a campo um time misto, porém às peças estão entrosadas e o esquema definido, isso potencializa a forma de atuar do líder da competição. Com o domínio da bola, o Palmeiras organiza-se no 4-2-3-1, com os dois volantes recuando para iniciarem a criação das jogadas ofensivas. Quando é necessário defender, o Alviverde passa a jogar no 4-1-4-1, pressionando o portador da bola.
22Imagem: Canal Premiere
  • Palmeiras marcando no tradicional 4-1-4-1, começando a pressão no campo ofensivo, impedindo o adversário de ter liberdade na criação das jogadas.
22Imagem: Canal Premiere
  • Palmeiras iniciando suas jogadas ofensivas no 4-2-3-1, Felipe Melo e Bruno Henrique, os dois volantes, são fundamentais para começar a criação.
Uma característica marcante na Era Felipão, é sufocar o adversário, diminuindo os espaços e buscar sempre sair na frente do placar. Dessa forma, abre a possibilidade dos mandantes terem um comportamento pragmático, deixando o adversário com a posse da bola, tendo que correr atrás do resultado, enquanto o verdão marca com às linhas baixas e encaixadas, sofrendo poucos riscos e saindo com rapidez e força nos contragolpes.
22Imagem: Canal Premiere
  • Verdão sufocando o Ceará, observem as setas com cores diferentes, mostrando o lugar aonde cada jogador pode ocupar. Todos esperam o portador da bola tomar a decisão, para pressionar quem receber a bola.
Os dois gols do Palmeiras foram do volante Bruno Henrique, principal jogador em campo. O primeiro de pênalti aos 18 minutos e o segundo no minuto 35, em conclusão de longa distância.  O volante esteve em todos às partes do gramado, participou da marcação, auxiliou na criação das jogadas e ainda foi elemento surpresa no ataque, sendo decisivo para a vitória palmeirense. Bruno Henrique teve 84,6% de precisão nos passes, ganhou dois duelos, sofreu uma falta, deu dois dribles, conseguiu um desarme, fez um passe decisivo e teve duas finalizações, marcando os dois gols do triunfo verde.
22Imagem: Canal Premiere
  • Bruno Henrique em todas as partes do campo, quebrando as linhas de marcação e sendo decisivo no último terço, marcando os dois gols.
O duelo estava controlado, mas com a expulsão de Deyverson, no final da primeira etapa, o Ceará retornou pressionando nos 45 minutos finais, e colocou em prova o sistema defensivo do verdão. Os visitantes tiveram 62% de posse da bola e 21 finalizações, tendo muito volume e incomodando o líder da competição. Aos 9 minutos, o Palmeiras subiu para o ataque com quatro jogadores, entretanto perdeu a bola e sofreu o contra-ataque, a defesa ficou desprotegida e o Ceará descontou com o centroavante Arthur Cabral.
Com um jogador a menos, os paulistas defenderam-se no 4-4-1, com as substituições (Mayke, Dudu, Moisés entraram nos lugares de Jean, Hyoran e Bruno Henrique), o Palmeiras contou com Dudu e Lucas Lima (passou a jogar como extremo pela esquerda) sendo fundamentais na recomposição e na marcação pelos lados, enquanto os dois volantes faziam a proteção da defesa pelo meio e Willian Bigode dava o primeiro combate mais a frente.
 22Imagem: Canal Premiere
  • Linhas próximas e agrupadas, ao diminuir os espaços, os visitantes não conseguiram ter profundidade e amplitude, apenas rodavam a bola.
Com o Alviverde marcando com às linhas baixas, o Ceará não conseguiu penetrar, afunilar ou infiltrar os lances, tendo que explorar os cruzamentos, foram 12 no total. Pelas jogadas aéreas, os cearenses incomodaram e pressionaram o sistema defensivo dos mandantes, porém criaram somente dois lances de perigo.
 22Imagem: Canal Premiere
  • Palmeiras defendendo-se com nove jogadores, deixando Dudu para o contragolpe. O líder da competição precisou acertar sua defesa antiaérea.
O professor Felipão mudou o posicionamento de Willian, limitando suas “obrigações” na marcação e dando liberdade para puxar os contra-ataques. O Bigode venceu quatro duelos, teve quatro finalizações e 90.5% de precisão nos passes, incomodando  o sistema defensivo do adversário. Willian movimentou-se e ocupou os espaços, sendo o destaque palmeirense na segunda etapa.
22Imagem: SofaScore
  • Mapa de calor com a importância de Willian, o atacante movimentou-se pelo campo e foi fundamental para o time sair do sufoco.
O Palmeiras precisou adaptar-se de acordo com o contexto da partida, mesmo com dez em campo, soube ter frieza e inteligência para se defender e velocidade nos contragolpes. Mesmo sofrendo em alguns momentos, o Palestra impôs novamente seu estilo e conquistou mais três pontos, fundamentais na sua briga pelo título do torneio. O Ceará foi valente, mas esbarrou-se no forte sistema defensivo palmeirense, um jogo programático e com qualidade nos contragolpes.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s