Times históricos – ARSENAL INVINCIBLE 03/04

Por Rudiero Cassol Fogaça

Após trazer análise da Holanda de 1974 e do Santos FC de 1962-1963, senti a necessidade de incluir nesta lista uma equipe que marcou época.

Marca época não só pelo futebol apresentado, mas particularmente foi uma equipe que inspirava este ser que vos escreve devido ao fato de possuir grandes nomes do futebol do começo dos anos 2000, que apesar de ser vitoriosa o mundo sabe que poderia ter alçado voos mais altos. Hoje a análise é de um dos grandes clubes ingleses, o último campeão nacional, a nível mundial, a conquistar a taça de maneira invicta.

Com vocês: Arsenal Football Club da temporada 2003-2004.

22Em pé: Vieira, Bergkamp, Edu Gaspar, Lehmann, Lauren, Campbell e Touré. Agachados: Ashley Cole, Ljungberg, Henry e Pirés. Fonte: (O Futebólogo)

O Arsenal de 2003-2004 na Premier League foi responsável por marcar 73 gols e sofrer apenas 26. Venceu 26 confrontos, empatou 12 e não teve nenhuma derrota.

O Arsenal venceu inúmeras equipes nesta temporada, mas destaco as equipes em que os Gunners não conseguiram bater: Portsmouth e Manchester United, 13º e 3º Colocados respectivamente.

O feito dessa bela equipe é tão incrível que jamais um clube inglês na era moderna do futebol conseguiu tal conquista. A última dela foi no longínquo ano de 1888-1889 com o Preston North End que venceu 18 jogos e empatou 4.

Após analisar vídeos das 38 partidas disputadas pelos Gunners, trago dados de jogos que acredito chave para a conquista do campeonato:

9ª rodada: Arsenal 2 x 1 Chelsea

Estádio: Highbury, Londres

26ª rodada: Chelsea 1 x Arsenal 2

Estádio: Stanford Bridge

35ª Rodada: Tottenham 2 x Arsenal 2

Jogo onde o Arsenal se consagra campeão.

A partida escolhida para a análise técnica foi o empate do clássico do norte de Londres, válido pela 35 ª rodada do campeonato inglês da temporada 2003-2004 e frames de jogadas do arsenal em outros jogos para complementar e reafirmar o estilo de futebol reativo dos gunners.

O jogo foi disputado no estádio do mandante Tottenham Hotspur Football Club, o famoso White Hart Lane em Londres, com um público de 36.097 e arbitragem de Mark Halsey.

O Arsenal foi a campo com a seguinte formação:

vitoria

O jogo começou muito acelerado e logo aos 2 minutos de partida, em um excelente contra-ataque iniciado por Henry com assistência de Ashley Cole e finalização de Patrick Vieira, os Gunners abriam o marcador.

22Recuperação de posse de bola e início de transição ofensiva.

Após corte em escanteio, note que Henry (a frente) puxa o contra ataque pelo lado de campo e Vieira (centro) percebe e já avança pelo espaço deixado no meio campo. Note como Henry abre a marcação adversária, deixando o caminho livre para Vieira seguir avançando sem dificuldade.

22Equipe já em contra ataque com avanço de Vieira livre pelo meio.

O avanço agora é de Ashley Cole pela lateral, que percebe Henry com tendência de seguir aberto pelo lado esquerdo e se posiciona para receber o passe nas costas do marcador já na extrema direita do campo adversário, tudo isso sendo realizado em poucos segundos.

22Passe de Henry nas costas do marcador adversário percebendo a passagem de Cole.

Após receber a bola, Cole cruza para a área onde Vieira está livre para finalizar para o gol em um contra ataque rápido com apoio dos laterais e a subida dos meio campistas.

Contra ataque gunner

Agora vos trago análise do Arsenal em campo por outra competição, a Uefa Champions League, onde no dia 25 de novembro de 2003, a equipe patrolou por 1 x 5 a boa equipe da Inter de Milão em pleno estádio San Siro.

Os gunners foram a campo com a seguinte formação:

ismo

Existe uma jogada em particular em toda essa partida onde, particularmente acredito ser a essência daquele timaço montado por Arsène Wenger.

A seguinte jogada é a jogada que abriria o placar, no San Siro colocando os gunners a frente no placar.

ismoCole recebe a bola de Edu e do início ao contra-ataque.

Começo da jogada, Ashley Cole se desloca rapidamente da defesa e se projeta para receber a bola aberto do lado esquerdo do ataque inglês. Note também que Pirés percebe e já se projeta a frente para dar opção de passe.

ismoCole passa a bola para Pirés e movimenta-se rapidamente puxando a marcação.

Cole passa a bola para Pirés e já avança para a grande área levando consigo a marcação de Zanetti deixando espaço para Pirés receber a bola, raciocinar e passar para Henry postado a entrada da área adversária.

Após Henry receber a bola, a marcação que estava atenta ao lateral Cole dentro da área se volta para o Francês e ele, rapidamente passa a bola para Cole realizar um pivô dentro da área e devolver a bola para Henry finalizar para o gol, uma pintura de gol.

Tabela Gol

Vimos acima um exemplo da imensa reatividade e velocidade nos contra ataques que eram a principal marca daquele Arsenal, com transições defensivas rápidas, quando sem a bola fechando espaços dificultando troca de passes curtos pelos adversários obrigando-os a tentar passes em profundidade, passes esses muitas vezes interceptados e que geravam uma movimentação ofensiva rápida por parte do Arsenal, que quando com a bola a transição ofensiva se dava com um time mais espaçado em campo a fim de permitir que os ponteiros pudessem entrar pelo meio e permitir a passagem dos laterais para executar cruzamentos.

Para resumir brevemente a característica principal desta equipe comandada por Arsène Wenger, diria que era uma equipe de belíssima transição entre o 4-4-2 em duas linhas e uma mudança sutil para o 4-2-3-1 com o recuo de Bergkamp como ’10’, o Arsenal podia transpassar qualquer defesa com uma transição defesa-ataque dinâmica, vertical e facilmente perceptível aos olhos de qualquer adepto a tática no futebol.

Extremas rápidos, técnicos e de recomposição quando eram realizadas subida dos laterais, um meia armador extremamente técnico, um dos grandes que tive a oportunidade de ver jogar, com um domínio de bola jamais visto e ótima percepção de passes e um atacante que não precisa de adjetivos para descrever sua grandiosidade no futebol mundial, Thierry Henry.

Classificação final do campeonato inglês temporada 2003-2004:

ismoArsenal como melhor ataque e melhor defesa coroam tamanha superioridade.

Referências:

<https://footballia.net/es/partidos-completos/tottenham-hotspur-arsenal-fc-premier-league-2003-2004&gt; Acesso em 03 de outubro de 2018.

<https://br.soccerway.com/national/england/premier-league/2003-2004/round-1/r29/&gt; Acesso em 03 de outubro de 2018

<https://footballia.net/matches/fc-internazionale-arsenal-fc&gt; Acesso em 04 de outubro de 2018.

<https://premierleaguebrasil.com.br/arsenal-campanha-dos-invincibles-premier-league/&gt; Acesso em 04 de outubro de 2018.

@CassolRudiero

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s