O futuro de La Roja: promessas do futebol espanhol – Parte 1

Por Gêra Lobo

Após uma Copa do Mundo bem decepcionante, muitas questões surgiram para a Seleção Espanhola, uma delas é sua renovação. Com Luis Enrique como novo técnico, a expectativa são quatro anos bem intensos e de oportunidade para vários jogadores, visando chegar bem ao Catar, e isso passa pela inclusão de atletas jovens e com vontade de mostrar serviço ao novo chefe. Jogadores como Gerard Piqué, Andrés Iniesta e David Silva, base do sucesso da Fúria, se aposentaram, apresentando já uma reformulação no elenco.

Pensando nisso, preparei uma série de três textos com um total de 24 jogadores abaixo de 22 anos, alguns já consolidados e que são figurinha garantida em La Roja, outros que estão buscando seu espaço e vem se destacando e outros bem jovens, mas com um potencial gigantesco para se destacar num futuro próximo.

Unai Simón (Athletic Bilbao) – Goleiro/21 anos

ata

O futuro no gol da Espanha já está bem encaminhado, com Kepa Arrizabalaga sendo, em tese, o substituto de David De Gea. Porém, logo depois de Kepa, mais um goleiro criado em Lezama, base do Athletic Bilbao, já está chamando a atenção e tem tudo para beliscar uma vaga nas convocações da seleção principal no futuro. Unai Simón, que foi emprestado ao Elche na temporada 2017/18, agarrou bem a chance de ser titular no Athletic após a saída de Kepa ao Chelsea, fazendo boas atuações pela equipe de Eduardo Berizzo na atual temporada.

Qualidades
– Boa estatura (1,90m)
– Reflexos velozes
– Saída do gol em situações de 1 contra 1
– Seguro debaixo da trave

Jesús Vallejo (Real Madrid) – Zagueiro/21 anos

ata

A Espanha sempre se destacou por ter verdadeiros capitães na defesa. Desde Fernando Hierro, passando por Carles Puyol e chegando em Sergio Ramos, a Fúria nunca teve muitos problemas no quesito. E isso deve se repetir no futuro, tendo em vista que Jesús Vallejo contém as características de um líder, mesmo tão jovem. Sempre titular inquestionável nas seleções de base, o zagueiro da base do Real Zaragoza é, provavelmente, o zagueiro espanhol com mais potencial. O grande problema envolvendo Vallejo é sua série de contusões, que podem atrapalhar sua evolução. Porém, talento ele possui, mas precisa se manter saudável.

Qualidades
– Maturidade. Muito inteligente para a idade
– Velocidade e senso de posicionamento
– Habilidade de ler o jogo
– Duelos pelo alto

Angeliño (PSV) – Lateral-esquerdo/21 anos

ata

Um dos jogadores que mais tem me impressionado é o jovem lateral-esquerdo do PSV. Angeliño, que era da base do Manchester City, mostrou uma evolução incrível desde que chegou ao futebol holandês, se mostrando ser um lateral bem moderno, lembrando em vários momentos Jordi Alba pelo seu poder de apoio, velocidade e qualidade em criar sociedades e triangulações no setor da bola. Mesmo sendo irregular defensivamente, consegue compensar na fase ofensiva. Tem um potencial muito interessante para se tornar um dos melhores da posição no futuro, ainda mais atuando em um país que dá essa liberdade ao jogador.

Qualidades
– Velocidade
– Cruzamentos
– Dá muita profundidade
– Apoia muito bem
– Muito técnico

Igor Zubeldía (Real Sociedad) – Volante/21 anos

ata

A Real Sociedad tem se destacado por revelar grandes jogadores nesta década, como Antoine Griezmann, Asier Illarramendi e Iñigo Martínez, se consolidando, assim, como uma das grandes bases do futebol espanhol. Pode-se dizer que, junto de Mikel Oyarzabal, que será citado nos textos, Igor Zubeldía tem tudo para se tornar uma grande estrela internacional. Ao lado de Illarramendi, o jovem volante se tornar peça fundamental no funcionamento da equipe de Asier Garitano, participando da organização ofensiva e defensiva, sendo importantíssimo nos dois momentos. Em breve, deverá deixar o país basco por algo maior.

Qualidades
– Leitura do jogo e das linhas de passe
– Auxílio no perde-pressiona
– Interceptações
– Inversões
– Gestos e movimentos com e sem a bola
– Inteligente na saída de bola

Brahim Diaz (Manchester City) – Meia/19 anos

ata

Brahim Diaz é, sem sombra de dúvidas, um dos menos conhecidos dessa lista, mas não se engane: ele irá fazer barulho em breve. Apelidado de “Messi espanhol”, o meia-atacante de 19 anos já vem chamando a atenção há algum tempo nos Citizens ao lado de Phil Foden. O que mais me faz crer que o próprio será um atleta de destaque no futuro, seja no clube ou na seleção, é o fato dele ser treinado e lapidado por Pep Guardiolao. O próprio Pep disse observar com carinho o talento desse jogador, que realmente tem o estilo de Lionel Messi em termos de conduções e controle de bola. Só falta saber se ele terá, pelo menos, metade do sucesso e qualidade do argentino.

Qualidades
– Excelente controle de bola
– Consegue criar espaços
– Velocidade
– Criativo
– Facilidade de quebrar linhas com passe

Carlos Soler (Valencia) – Meia/21 anos

ata

Titular absoluto no time de Marcelino García Toral, Carlos Soler vem sendo, há muito tempo, uma das grandes promessas do futebol espanhol. Bem maduro em termos táticos para a idade, o meia de 21 anos estará na seleção principal em breve, exatamente por entregar tudo que um treinador necessita: juventude, intensidade e entendimento do jogo em todos os seus sentidos. Sua versatilidade impressiona e isso faz com que se torne um jogador bem especial.

Qualidades
– Veloz e objetivo
– Muito bom em transições. Um dos melhores do time em contra-ataques
– Intenso nas duas fases do jogo
– Inteligente taticamente. Ajuda a manter a estrutura do time no ataque e na defesa
– Gosta tanto do jogo aproximado como do mais longo
– Jogador imprevisível

Dani Ceballos (Real Madrid) – Meia/22 anos

ata

Falar de Dani Ceballos chega a ser difícil pela quantidade de qualidades do próprio. Ganhando cada vez mais espaço no Real Madrid, o meia de 22 anos tem tudo para se tornar uma referência no meio de campo da Espanha em breve. Sua forma elegante e moderna de atuar nas mais diversas situações impressiona e isso torna ele um jogador bem diferente da maioria. Com mais tempo de jogo, ele vem demonstrando seu potencial de forma impressionante. O futuro (e presente) é incrível para o meia merengue, ainda mais com a reformulação em La Roja.

Qualidades
– Controle de bola
– Facilidade em levar a bola até o último terço do campo e a criar no mesmo local
– Controle de velocidade e espaço das suas ações
– Consegue simplificar o difícil
– Facilidade para quebrar linhas
– Ajuda muito no perde-pressiona. Jogador bem intenso

Abel Ruiz (Barcelona) – Atacante/18 anos

ata

Para fechar o primeiro texto, falamos de um dos únicos da lista nascidos neste século. Abel Ruiz, que ainda não estreou oficialmente pela equipe principal do Barcelona, tem todas as características para se tornar um dos melhores da posição no futuro. Mesmo com 18 anos, sua habilidade é incrível em todos os sentidos do jogo, desde o mental/psicológico até o técnico. Se nada atrapalhar, creio que o Barcelona não precise ir atrás de um substituto para Luis Suárez, pois ele já está na sua base.

Qualidade
– Incrivelmente inteligente para a idade
– Tem facilidade de jogar tanto dentro, como fora da área
– Impressionante ativando seus companheiros
– Movimentação sem a bola para criar espaços
– Técnico e excelente finalizador

– Mesmo alto, é rápido

@gerinhalobo_

Anúncios

2 comentários sobre “O futuro de La Roja: promessas do futebol espanhol – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s