Cada vez mais copeiro – ANÁLISE TÁTICA PALMEIRAS 2 x 0 COLO COLO

O atacante Dudu, da SE Palmeiras, durante partida contra o Colo Colo, válida pelas quartas de final, da Copa Libertadores 2018, no Allianz Parque.
Imagem: César Greco/Palmeiras
Pelo jogo de volta das quartas de final, da Copa Libertadores 2018, o Palmeiras venceu novamente o Colo Colo por 2 X 0. O verdão sobrou em campo, sem sofrer sustos e garantiu a classificação com sobras.
A principal mudança da equipe brasileira, foi o esquema tático, o técnico Felipão vinha utilizando o 4-2-3-1, entretanto lançou a campo um 4-3-1-2, sendo formado pela linha defensiva (Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís), uma trinca de volantes (Bruno Henrique pelo lado direito, Thiago Santos na zona central e Moisés fechando a parte esquerda), Dudu de forma centralizada, fazendo a função de “10”, e a linha de dois jogadores ofensivos, com Miguel Borja e Willian Bigode.
jairImagem: Rede Globo
  • Dudu atuando na zona central, o atacante exerceu muito bem a nova função imposta, confundido a marcação adversária.
O Palmeiras teve uma marcação por zona, compacta e pressionando o portador da bola. O verdão sofreu apenas duas finalizações na primeira etapa, neutralizando o adversário e controlando às ações do jogo. Com o novo esquema, o volante Thiago Santos fez uma marcação intensa em Valdivia, o cérebro da equipe chilena e impediu que o meia criasse jogadas.
jairImagem: Rede Globo
  • Thiago Santos marca Valdivia, enquanto Moisés fica próximo para dobrar a marcação. Bruno Henrique saí para dar o combate na última linha, enquanto os três jogadores ofensivos fazem a recomposição.
O Alviverde com 44% da posse de bola, explorou os lançamentos em direção ao centroavante Borja, contando com a aproximação dos volantes Bruno Henrique e Moisés, às infiltrações de Willian Bigode, que agrediu os espaços e principalmente às movimentações de Dudu, o camisa 7 flutuou nos setores ofensivos, criando os principais lances da equipe palmeirense.
jairImagem: Rede Globo
  • Ao perceber a movimentação de Moisés para pressionar o portador da bola, o jogador Dudu faz a recomposição na segunda linha. O camisa 7 flutuou em todos os setores, contribuindo na marcação e dando sequência na criação das jogadas.
Aos 37 minutos, o gol do verdão saiu da forma que o time estava atuando, os setores compactados e sufocando o adversário, com isso pressionou e recuperou a posse em cima do portador da bola. O volante Bruno Henrique ganhou o duelo, o atacante Dudu flutuou atrás dos volantes e fez linda jogada, marcando um golaço para os palmeirenses.

 

Vídeo: Fox Sports

  • O Palmeiras no 4-3-1-2, pressionou o portador da bola, recuperou a posse e avançou com Dudu, que acertou lindo chute.
No segundo tempo, O Palmeiras passou a atuar no 4-3-3, Dudu pela extrema esquerda e Willian pela extrema direita, entretanto com o domínio da posse, Dudu flutuava, os laterais davam profundidade e os volantes infiltravam. Logo aos 8 minutos, Dudu explorou o lado esquerdo e fez jogada individual, ocasiando em pênalti. Na cobrança, Miguel Borja aumentou a vantagem dos mandantes. Com um amplo resultado, os paulistas seguiram administrando a vantagem e controlando o confronto. Os visitantes aumentaram a posse de bola, chegando a 62%, porém não reverteram em conclusões, tiveram novamente duas finalizações.
jairImagem: Rede Globo
  • Fica nítida a trinca de volantes (Bruno Henrique, Thiago Santos e Moisés), com Dudu mais pelo lado esquerdo, apesar de ter liberdade em circular por todas às faixas.
Nos 90 minutos, o Palmeiras demonstrou solidez defensiva e eficiência ofensiva. Os jogadores obedecerem e cumpriram suas funções táticas. O verdão cometeu treze faltas, matando a jogada no campo ofensivo e impossibilitado o adversário de oferecer perigo.
jair Imagem: SofaScore
  • O Palmeiras teve superioridade nos números. Os paulistas exerceram uma ótima marcação e criou lances ofensivos. Efetuou de forma eficaz seu jogo reativo.
Com o triunfo, os palmeirenses chegam a semifinal da Copa Libertadores, após 17 anos e seguem como um dos favoritos no torneio. Uma equipe inteligente, com às linhas bem postadas, esquema definido e adaptando-se de acordo com a ocasião. Os comandados de Luiz Felipe Scolari estão cada vez mais copeiros.
Anúncios

Deixe uma resposta