Uma noite fria em Moscou para um chocho Real Madrid – ANÁLISE TÁTICA CSKA MOSCOU 1 x 0 REAL MADRID

Por Felipe Henry

Vamos combinar que sofrer um gol cedo quando atua-se fora de casa, sempre muda todo o contexto de uma partida. Mesmo quando você tem jogadores capazes de construir uma remontada em um campo hostil para os espanhóis em 2018. No mesmo estádio Luzhniki, a Espanha foi surpreendida e eliminada pela Rússia nos pênaltis, pelas Oitavas de Final da última Copa do Mundo. No mesmo campo e com apenas dois minutos do 1T, o Real já perdia para o CSKA com o gol de Vlasic após um passe errado de Toni Kroos.

A partir daí, o Real deparou-se com uma total de falta de objetividade ofensiva em boa parte da primeira etapa ao enfrentar uma defesa russa muito bem montada por Viktor Goncharenko, que migrava o 3-4-2-1 para eventuais 5-3-2 ou até mesmo 4-4-2 com a missão de defender a sua área, o que de certa forma deu certo com as fracas atuações de Marco Asensio e Lucas Vázquez pelas pontas e com Benzema sem espaços para buscar o jogo.

jairCSKA se defendendo com uma linha de cinco para proteger a sua área. Foto/Divulgação: SONY.

Mesmo assim, a trave foi o que impediu o Real de ir para o intervalo com o empate em remate de média distância efetuado por Casemiro e uma cabeçada de Benzema na grande área, sendo o que de melhor foi criado pelo time merengue no 1T, muito embora o adversário não conseguisse sair para contra-atacar devido à pouca falta de qualidade para acelerar e levar perigo ao gol do Keylor Navas.

No 2T, o Real sitiou o campo de ataque e buscava pressionar para conseguir o empate muito mais pela marra do que pela qualidade de sua atuação. Kroos destacou-se pela contribuição defensiva para manter o jogo no setor ofensivo, porém mesmo assim, havia um desentendimento entre o meio e o ataque, uma desafinação que impedia a criação de boas chances. Foi quando Lopetegui sacou Casemiro e Vázquez para as entradas de Luka Modric e Mariano Díaz, quando a estratégia era tentar chegar pelos lados, deslocando Asensio para a direita, Benzema para a PE, com o novo camisa 7 atacando a área.

jairNessa imagem, é possível notar como Mariano (círculo azul) atuou como referência no 2T, com Benzema (círculo preto) mais solto para se movimentar e buscar jogo.

Entretanto, sem sucesso. O melhor do mundo não entrou bem na partida e conforme o tempo passava, era notória a falta que Sergio Ramos e Gareth Bale faziam nesses momentos para encontrarem um gol durante o momento de frieza ofensiva mesmo com 74% de posse e 13 finalizações. No fim do jogo, Mariano ainda acertou a trave após cruzamento de Odriozola, que entrara no lugar do lesionado Dani Carvajal.

É evidente que Julen Lopetegui tem boas idéias e transformou o reativo Real de Zidane em um time que propõe e gosta de ter a bola, mas ainda levará tempo para que a equipe replique sua idéia com fluidez, até mesmo em uma partida que teve Sergio Ramos, Marcelo e Bale como desfalques e com Modric no banco de reservas. Está sendo uma sequência estranha para os merengues, com três jogos seguidos sem vitória e vendo o CSKA surpreendendo e assumindo a liderança do Grupo G com 4 pontos ganhos.

Definitivamente, 2018 tem sido um ano frio para os espanhóis em território russo.

@Lipe_Henry

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s