Ajustando uma nova filosofia: ANÁLISE PÓS-JOGO ARSENAL 2×0 WATFORD

Por Luiz Martins

O Arsenal venceu mais um jogo pela Premier League. Desta vez bateu uma das sensações desse início de campeonato o bem organizado time do Watford, pelo placar de dois a zero no Emirates Stadium.

Análise da Partida

A partida iniciou com a forte pressão da equipe do Watford, realizando marcação individual aos jogadores gunners, sempre com muita intensidade. Quando conseguia recuperar a bola, aplicava velocidade em suas ações causando alguns sustos ao gol defendido por Cech.
Neste momento Hughes, Pereyra e Deeney, foram os maiores destaques pelo lado adversário, conseguindo as melhores chances ofensivas, utilizando bastante seu jogo físico e transicional. Já no Arsenal, Holding, Mustafi e Cech conseguiam defender a meta com certa qualidade. Para atacar, Torreira já buscava organizar o time desde a base, ainda com dificuldades de sair da pressão, mas acionava com facilidade Bellerin e Ozil. Os 2 jogadores de escape procuravam bastante os atacantes, mas Aubameyang não conseguia efetividade em suas movimentações, como Lacazette, que foi o jogador que levou maior perigo a defesa do time de Hertfordshire. Ramsey também buscava se movimentar entrelinhas adversárias, mas sentia dificuldades, por ser um jogador com um jogo mais posicionado e vertical. Neste ponto faltou profundidade a equipe.

Arsenal_01

Pressão inicial do Watford e sua marcação individual, com muita intensidade.

Sentindo que já cedia maior campo para que o Arsenal trabalhasse a bola através da posse, com Torreira e Ozil, partindo desde a base, organizando jogadas ofensivas, o Watford mudou o panorama de seu jogo, baixando as linhas de seu 4-4-2, protegendo melhor a área.
O Arsenal, como de costume, utilizava passes curtos e movimentação (Torreira, Xhaka e Ozil na construção), na tentativa de abrir o placar da partida, mas sentia dificuldade em vencer a forte defesa adversária. Desta forma se via obrigado a lateralizar o jogo, utilizando bastante as laterais, principalmente com a ótima chegada ao fundo de Bellerin, cruzando muitas bolas dentro da área, mas sem sucesso. A jogada de maior perigo dos gunners ocorreu com Lacazette, que roubou bola do zagueiro, mas errou a finalização cara a cara com o goleiro Bem Foster.

Arsenal_02Xhaka e Torreira na base, com Monreal atacando o espaço.

 

Arsenal_03Bellerin indo ao fundo pra cruzar. Uma jogada muito utilizada na primeira etapa.

Como o Arsenal jogava de certa forma adiantado, quando o Watford recuperava a bola, utilizava contra-ataques com muita velocidade através de Pereyra e Hughes, buscando o fundo e cruzando a bola para a área na tentativa de encontrar Gray e Deeney. Levou certo perigo, mas pecava no momento da finalização. Neste momento o jogo já começava a demonstrar o que seria até o final, com a clássica característica do jogo inglês: jogadas de rápida transição.
Já no fim do primeiro tempo, a primeira substituição da partida ocorreu, Cech sentiu a coxa e cedeu Lugar a Bernd Leno. A troca foi temerária e não houve perca de qualidade. Leno foi muito importante, realizando defesas importantes para a manutenção do placar, no segundo tempo.

A segunda etapa iniciou já como o final da primeira, tendo muito jogo transicional, com fortes contragolpes de ambas as equipes, um jogo típico de Premier League, dando a certeza aos torcedores de que teríamos gols no restante da partida.
Percebendo o contexto, Emery retirou Ramsey do jogo, um jogador de maior controle de bola, que fez uma apresentação abaixo do que pode produzir e colocou Alexi Iwobi. Com Iwobi em campo, o Arsenal ganhou um jogador de extrema velocidade e agressividade carregando a bola.

Arsenal_04Iwobi gerando profundidade, com Lacazette e Aubameyang buscando a área.

Iwobi se tornou peça importantíssima para a mudança de postura dos Gunners, recebendo a bola em progressão, buscava profundidade, trazendo marcadores para sua volta e a consequência destas ações abria espaços para Ozil, Lacazette e Aubameyang.
Por aumentar o seu volume ofensivo, arriscando mais no ataque, o Arsenal cedia campo para o Watford, que contra atacava com velocidade, mas continuava pecando na finalização. Javi Gracia, realizou troca parecida a de Emery, colocando Success em campo no lugar de Andre Gray. O jogador conseguia bons desmarques sempre no limite da última linha defensiva, dificultando a marcação do Arsenal, mas pecava em sua tomada de decisão, escolhendo mal as jogadas, sendo pego em impedimento e finalizando de forma displicente, principalmente.

Com a baixa produção de Aubameyang, Emery retirou o jogador de campo, colocando Danny Welbeck. Com Welbeck no jogo, a marcação pelos lados melhorou, tendo ele e Iwobi nas pontas recompondo, liberando mais Ozil para maiores obrigações ofensivas e tendo ainda mais profundidade pelos 2 lados do campo.
O primeiro gol nasceu de jogada de linha de fundo, onde Iwobi ataca o espaço no lado direito, recebe a bola e cruza baixo para Lacazette, mas o marcador se atrapalhou e marcou um gol contra. Já o segundo gol da partida, marcado por Ozil, nasceu de uma bola recuperada por Welbeck em campo ofensivo:

Após os gols que selaram a vitória Gunner, o panorama da partida permaneceu de forma transicional, mas bastante truncado no meio campo, sem mudanças significativas.

@ojunomartins

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s