O Vitória de Wesley Martinelli – ANÁLISE TÁTICA TUPY 0 x 0 VITÓRIA

Por Juliano Rangel

ibra

Se qualquer pessoa perguntasse a um torcedor do Vitória se havia esperança de classificação para as semifinais da Copa ES, após a derrota, em casa, para o Tupy por 2 a 0, no último dia 18 de agosto, a resposta certamente seria não.

O clima de descrença com relação ao avanço na competição era tanto, que até o presidente Ademar Rocha já havia entregado os pontos. Na deu outra, seis dias depois da derrota, o técnico Orlando da Hora pediu o boné, alegando motivos particulares.

Era difícil acreditar no Vitória, que sem um técnico efetivado, dois dias depois enfrentaria o Castelo. Quem assumiu o cargo foi o preparador físico Wesley Martinelli, e não saiu mais. Com três jogos no comando da equipe, Wesley reencontrou o Tupy, agora em outra função, e conseguiu o empate que confirmou o Vitória nas semifinais da Copa ES.

Mesmo sendo o placar final um empate sem gols, o duelo nos proporcionou conhecer um pouco mais sobre as ideias deste novo Vitória. Vamos destrinchar esses pontos:

ESQUEMA TÁTICO

A primeira delas foi a definição do esquema tático, muito por conta das constantes mudanças que ocorreram na equipe, que chegou a jogar com três zagueiros, quando comandada por Orlando da Hora.

Wesley definiu sua equipe num 4-2-3-1, que sem a bola varia para o 4-4-2, com os extremos Chiquinho e Henrique recompondo a linha de meio-campo pelos lados, e Deivison encostando mais no centroavante Nilo.

ibra

SAÍDA E BOLA

O Vitória, procura fazer um jogo bastante apoiado, com a saída de bola da dupla de zaga – Ferrugem e Reinaldo contando com a aproximação da dupla de volantes – Rodrigo César e Thiago, jogando por dentro

LINHAS COMPACTAS

Bem compacto, o Vitória costuma pressionar a saída adversária, com os quatros homens mais avançados – Nilo, Chiquinho, Henrique e Deivison, contando com o apoio de um dos dois volantes – Rodrigo César e Thiago. Isso acabou gerando uma dificuldade para o Tupy, que se armava num 4-4-2, sair jogando pelo meio do campo.

ibra

ibra

ATAQUE PELOS LADOS

Forte nos ataques pelos lados, a equipe Alvianil sempre busca contra-atacar de forma rápida, com os extremos caindo pelos lados e o centroavante Nilo gerando profundidade e se infiltrando “nas costas” da linha adversária.

ibra

O Tupy utilizava como armas para avançar os ataques pelos lados, lançamentos com bolas invertidas e os passes verticais, principalmente com Bruno Araújo, para assim conseguir furar as duas linhas, cada uma com quatro homens, do Vitória, que nos últimos três jogos havia levado apenas um gol.

ibra

APOIO DOS LATERAIS

Os dois laterais do Vitória – Cássio e Franklin também costumam avançar para o ataque, gerando amplitude e apoiando os extremos, que buscando se movimentar entre as linhas.

ibra

FORMATO DE ATAQUE

O Vitória também demonstra uma boa organização nas descidas para o ataque, com dupla de volantes atuando por dentro, um meio-campo avançando para atuar entre as linhas de defesa e meio-campo adversárias, um lateral e um extremo gerando amplitude pelos lados, com o outro extremo avançado para o meio da área e o centroavante puxando a marcação para os lados da área.

ibra

Prognóstico para Vitória x Serra

Com todas essas atribuições, o Vitória chega as semifinais para fazer frente ao Serra, que vem buscando uma sequência após oscilar no campeonato. Jogo franco para duas equipes que gostando de propor o jogo, com o Serra tendo isso em seu DNA, desde o Capixabão, e o Vitória apresentando essa faceta com mais evidência nos últimos quatro jogos.

@Julianords

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s