Resumo tático – 25ª rodada

Por Felipe Henry

Esquema tático mais utilizado: (4-2-3-1 – 9x)

Grêmio, Atlético-PR, Bahia, Cruzeiro, Santos, São Paulo, Corinthians, Sport Recife e Chapecoense.

(4-3-3 – 4x)

Ceará, Botafogo, Atlético-MG e Internacional.

(4-4-2 – 2x)

Vitória e América-MG.

(4-1-4-1- 2x)

Paraná Clube e Flamengo.

(4-4-1-1 – 2x)

Fluminense e Palmeiras.

(4-3-2-1 – 1x)

Vasco da Gama

Uma rodada atípica em que a maioria das equipes optaram por outros esquemas, diferente da preferência ao 4-2-3-1. Mesmo assim, apenas Ceará e Botafogo saíram vencedores com propostas bem parecidas, baseadas em ligação direta e velocidade no último terço, muito embora o alvinegro carioca tenha proposto mais o jogo no 1T.

Entre as equipes que atuaram no 4-2-3-1, destaque para o domínio de CAP e Grêmio como mandantes, ultrapassando a marca de 60% de posse para aproveitar a fragilidade defensiva de seus adversários e conseguirem os três pontos;

Corinthians e Chape precisaram virar o placar para saírem vencedores. O gol de Hernane na Arena Corinthians obrigou o reativo Jair Ventura a soltar seu time, contando com a técnica de Jádson; Já a Chape, seja com ou sem a bola, guerreou muito e frustrou os planos do até então líder Internacional.

POSSE DE BOLA:

  1. Corinthians – 69%
  2. Flamengo – 62%
  3. Grêmio- 61%
  4. Atlético-MG – 60%
  5. Palmeiras/Vitória – 58%

Vamos aos diferentes cenários:

O Corinthians tem sérios problemas para propor o seu jogo, enfrentou um time que luta contra o rebaixamento e que havia saído na frente no placar. Chegando a 71% de posse no 2T quando migrou para o 4-1-4-1, ainda contou com um bom aproveitamento nos passes longos (23 de 27 tentados) para conseguir chegar à área adversária e finalizar (sete contra duas no 1T).

Flamengo e Atlético disputaram clássicos que por si só, exigem um alto nível de concentração. Assim como é necessário ter concentração para que sua superioridade no jogo propositivo seja convertida em gols, algo que não aconteceu tanto em Brasília, quanto em BH, já que ambos sofreram com atuações ruins de seus principais homens de criação, com o agravante das finalizações ruins do rubro-negro carioca.

Que o Grêmio tivesse mais posse que o Paraná, já era esperado. Mas o fato de seus jovens volantes terem sido os principais passadores, com alto nível de precisão, chamou a atenção na atuação entre os reservas; Já Palmeiras e Vitória foram destaques negativos pelas atuações desinspiradas na parte criativa.

FINALIZAÇÕES:

  1. Flamengo – 22
  2. Grêmio – 21
  3. Chapecoense – 19
  4. Vasco – 17
  5. Ceará – 17

Finalizar 22 vezes ao gol e 11 vezes para fora, exemplifica bem o que tem sido o sistema ofensivo do Flamengo nas últimas rodadas: Baixíssima qualidade na definição, onde Vitinho finalizou quatro vezes fora do alvo e o centroavante colombiano Uribe não conseguiu finalizar uma vez sequer; Vale destacar a boa fase de Leandro Pereira, liderando as finalizações da Chape (três das cinco, todas no alvo – dois gols) na partida.

Já o Vasco, explorou os espaços na defesa rubro-negra e finalizou mais do que o esperado, principalmente com os seus atacantes argentinos (Maxi e Ríos – 4x cada), fazendo com que o Gigante da Colina até merecesse a vitória por ser mais perigoso na fase ofensiva.

Confira na imagem de Ricardo Leite, um exemplo de como o Vasco explorou os espaços na defesa rubro-negra:

ibraFoto/Divulgação: Análises Vasco.

Vale à pena destacar como o Ceará poderia ter vencido por um placar mais amplo, principalmente se Arthur e Juninho Quixadá (ambos com três finalizações, todas para fora) estivessem em um dia mais inspirado na definição.

O Grêmio foi um time que teve suas finalizações bem distribuídas, onde o jovem Thonny Anderson (três finalizações – duas para fora), acabou sendo o que mais concluiu em gol.

DESARMES:

  1. Chapecoense – 16
  2. Sport Recife – 16
  3. Internacional – 15
  4. Bahia – 14
  5. Grêmio/São Paulo – 13

A presença de Chape e Inter no “Top-5 de desarmes” mostra o quão disputado foi o jogo na Arena do Indiâo Condá, onde o destaque nesse quesito foi o volante Márcio Araújo, conseguindo efetuar os quatro desarmes tentados na partida, sendo determinante para a vitória alviverde. Do lado colorado, Gabriel Dias e Iago conseguiram três desarmes, mas estiveram longe de terem boas atuações. Obs: As duas equipes empataram em tentativas de desarmar: 21.

Já no Sport Recife que complicou demais a vida do Corinthians em Itaquera, os destaques foram o lateral-esquerdo Sander (quatro em quatro tentativas) e o atacante Rogério (cinco de seis tentativas) que juntos somaram nove desarmes que por pouco não contribuiu para uma melhor sorte dos pernambucanos.

No chocho clássico SanSão, o tricolor paulista apresentou raros destaques com Hudson e Reinaldo somando oito desarmes e sendo decisivos para o valioso ponto conquistado na Vila. Ao lateral-esquerdo, vale acrescentar os oito duelos vencidos de doze disputados e os quatro cortes, formando uma boa dupla com Anderson Martins.

TIME DA RODADA:

Regras para a seleção de destaques da rodada:

  1. O esquema será sempre funcional. Ou seja, priorizará o jogo ofensivo e isso pode acarretar em deixar um ou outro jogador de fora, já que tentarei escolher pelo menos um jogador de cada partida.
  2. A posição natural do jogador será respeitada aqui. A não ser que ele venha desempenhar outra função na partida e seja um desequilíbrio fundamental para a vitória de sua equipe. Caso contário, será priorizado como ele atua normalmente na liga.
  3. Critérios utilizados para a escolha – Goleiros: Defesas difíceis, Clean Sheet e uma atuação que garanta a vitória; Laterais: Desarmes, aproveitamento em passes e cruzamentos e eventuais participações em gols; Zagueiros: Desarmes, duelos e interceptações, menos faltas cometidas e melhor aproveitamento nos passes; Volantes – Os mesmos critérios para a escolha dos zagueiros, com o acréscimo da participação na transição ofensiva nas jogadas que terminem em gols; Meias-Centrais: Aproveitamento nos passes, duelos vencidos e finalizações; Pontas/Wingers – Dribles, cruzamentos, duelos vencidos (1 x 1), finalizações certas e aproveitamento nos passes; Centroavantes: Finalizações certas, gols e aproveitamento nos passes;
  4. Em caso de jogos adiados, os jogadores das equipes não serão incluídos na seleção de destaques.
  5. Na escolha do técnico, será avaliado o desempenho de sua equipe na rodada dentro de uma proposta de jogo funcional. Em caso de uma rodada onde os times que optam por um jogo reativo e mais defensivo saiam vencedores, o processo de escolha será de preferência aos treinadores dessas equipes.

Esquema escolhido: 4-3-3.

GOL – Rafael (Cruzeiro)

Com importantes defesas no 1T, o goleiro reserva do Cruzeiro foi o destaque no clássico mineiro disputado no Mineirão, onde deve-se destacar a sensacional defesa após cabeçada de Luan na pequena área, que garantiu o zero no placar.

Menção honrosa: As defesas milagrosas de JANDREI que garantiram a grande vitória de virada da Chapecoense sobre o Inter.

LD – Samuel Xavier (Ceará)

Um dos grandes personagens da rodada, Samuel foi o cara na vitória do Vozão sobre o rubro-negro baiano no Castelão com um golaço e uma assistência, potencializando sua forte chegada ofensiva pelo flanco direito, principalmente na aceleração para contra-atacar. Além disso, também contribuiu defensivamente com dois cortes, duas interceptações e três duelos vencidos (de quarto disputados),

ZAG – Léo Pereira (Atlético-PR)

Autor do terceiro gol da vitória do Furacão sobre o Flu, ele também se destacou por vencer todos os quatro duelos disputados, além de conseguir três cortes, duas interceptações e um desarme, sem esquecer do bom aproveitamento nos passes longos (acertando 11 de 14 tentativas). Chama a atenção como é importante no lado esquerdo, principalmente no início da transição ofensiva.

ZAG – Léo Duarte (Flamengo)

Mesmo em uma partida conturbada em todos os âmbitos para o Flamengo, Léo Duarte conseguiu se sair bem ao vencer sete dos nove duelos disputados e cortar sete cruzamentos na área rubro-negra. Mas um detalhe chama a atenção: Acertou 100% dos passes (33 ao todo, incluindo dois passes longos), dando segurança para o início da transição ofensiva.

LE – Reinaldo (São Paulo)

Olha… Foi muito difícil escolher alguém do clássico paulista!

Mas, Reinaldo até que conseguiu ser o melhor em campo mesmo sem grandes números, vencendo oito dos doze duelos disputados e conseguindo quatro desarmes e principalmente após a saída de Everton, foi a principal alternativa ofensiva da equipe.

VOL – Felipe Melo (Palmeiras)

O cão de guarda alviverde foi decisivo com o gol de empate na Arena Fonte Nova, inclusive acertando a única finalização certa do Verdão na partida. Além disso, venceu nove dos doze duelos disputados, conseguiu quatro cortes e dois desarmes. Sem esquecer da importância dele na proposta de jogo reativo, com cinco passes longos concretizados em oito tentados.

MC – Rodrigo Lindoso (Botafogo)

Autor do gol de uma vitória fundamental para o Botafogo, Lindoso é o líder do meio-campo alvinegro tanto na parte defensiva (três interceptações) e principalmente no setor ofensivo com a boa movimentação no lado direito.

MC/MEI – Jádson (Corinthians)

Com um golaço e a liderança técnica para conduzir o Timão à virada, o camisa 10 foi o melhor em campo com duas finalizações e 91% dos passes concluídos (43 ao todo), mantendo o domínio territorial no setor ofensivo, sem esquecer das três chances criadas ao longo da partida. Ou seja, como se todas as jogadas passassem por seus pés.

PD – Alisson (Grêmio)

Com uma assistência e muita movimentação no último terço, foi o melhor em campo na vitória do Grêmio sobre o Paraná. Criando quatro boas chances de gol e duas finalizações, venceu sete dos onze duelos disputados e foi fundamental para o domínio territorial, além de demonstrar estar em uma fase de real ascensão desde o seu heróico gol contra o Estudiantes na Libertadores.

ATA – Leandro Pereira (Chapecoense)

Com um doblete heróico que tirou a Chape do Z4, Leandro liderou a equipe com três finalizações (todas no alvo) e conseguiu sair-se bem contra uma forte e sólida defesa colorada, encontrando espaços para movimentação no último terço.

PE – Pablo (Atlético-PR)

Como um atacante que se movimenta muito pelo lado esquerdo e pela ótima atuação contra o Fluminense, Pablo merece estar no time da rodada. Um gol e dois desarmes que demonstram o quão importante é no esquema tático de Tiago Nunes, além de criar boas chances, principalmente com assistências para finalizações.

Técnico: Lisca (Ceará)

Quarto jogo seguido sem derrota e mais uma vitória importante na briga contra o rebaixamento. Lisca foi bem novamente em sua estratégia de ter uma forte marcação no campo defensivo e um ataque veloz e que aproveitasse os espaços na defesa adversária. O Ceará poderia vencer por uma vitória mais ampla sem nenhum exagero.

@Lipe_Henry

#AprendemosJuntos!

Confira o Resumo Estatístico do Brasileirão após 25 rodadas feito por Rafael Maciel:

ibra

ibra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s