Os adversários do Real Madrid na Champions League

Por Caio AIves

Após o sorteio, decidiu-se que o Real Madrid passaria a integrar o grupo G como cabeça de chave – por ganhar a última edição. Na sequência, o destino se responsabilizou por colocar Roma, CSKA Moscow e Viktoria Plzen como seus adversários na fase de grupos da competição.

Tendo o objetivo de defender o título e trazendo novidades na temporada 2018-2019, como a saída de Cristiano Ronaldo e Julen Lopetegui como novo comandante, o Real Madrid busca, acima de tudo, passar para a próxima fase com certa soberania, o que é bastante possível de acontecer, ainda que tenha o time italiano como sombra.

Roma

Os soldados de Eusebio Di Francesco são, com sobras, os que mais podem, tecnicamente, jogar de igual com o Real Madrid. Além do fato de haver sequência de trabalho e a equipe ser semifinalista da última Champions, a Roma executa um futebol bastante propositivo e promissor, ainda que esteja em início de temporada.

mw

Sempre que possível, a Roma executa a saída de bola pelo chão, enquanto sustentada pelos meio-campistas. Alternando entre o 4-3-3 e o 3-4-1-2, o time de Di Francesco mostra-se bastante vertical e priorizando as transições rápidas, sejam elas ofensivas ou defensivas.

Adepto aos encaixes individuais e pressão intensa no portador da bola, o time incomoda em campo rival. Embora tenha perdido engrenagens importantes e não substituído à altura, o time faz um início de Serie A um tanto quanto agradável, passível de evolução tática e técnica.

Tendo em vista o alto nível técnico do torneio, por mais que o futebol seja imprevisível, a Roma, uma vez mais, não se coloca entre os favoritos, o que não significa que não possa chegar longe, muito menos não incomodar o Real Madrid em ambas as partidas.

CSKA Moscow

Responsável por interessantes e pontuais talentos individuais, o CSKA é uma equipe que se mostra bastante equilibrada em seu modelo de jogo, ainda que a reatividade se pese nas adversidades. Contra o Real, principalmente jogando fora de seus domínios, é inegável que sua postura deve ser em bloco baixo e contra-ataque puro, mas, quando necessário, o time de Viktor Goncharenko sabe manter a posse.

mwmw

Um dos argumentos bastante utilizados pelo time russo é o jogo direito a partir da bola longa. Assim que possui a posse, sempre buscando sair sobre o solo, o bloco avança sistematizado no 3-5-2, com os laterais Mário Fernandes e Efremov proporcionando amplitude total.

Defendendo seu campo, o CSKA se apresenta em um 4-4-2, sem muitas mudanças heterodoxas nesta fase de jogo. Buscando ceder pouco espaço entrelinhas, a equipe oferece encaixes individuais, mesmo que não pressione bruscamente o portador da bola, como acostumado atualmente no futebol mundial.

Embora não deva oferecer constantes perigos ao setor defensivo, especificamente, o CSKA conta com, além de Mário Fernandes, o uruguaio Abel Hernández como destaque e principal válvula de escape no ataque transicional.

Viktoria Plzen

Assim como o CSKA, o Viktoria Plzen, da República Checa, se mostra bastante híbrido em seu modelo de jogo, a depender do adversário e contexto em que se encontra. Embora seja refém do baixo nível técnico, a equipe mostra-se bastante inteligente taticamente, ainda que indecisa com a posse sob seu domínio.

mw
mw

Na fase defensiva, 4-4-2, às vezes sustentando a primeira linha com 5 jogadores, formando um 5-3-2. Evitando pressionar o portador da bola, o time compensa nos encaixes individuais, sempre fechando a alternativa de passe do adversário.

Enquanto isso, em campo rival, bastante presença física, sendo o espelho de seu centroavante. Por mais que tente executar uma saída mais posicional, com posse e passe, ativa o jogo direto com certa facilidade quando pressionado. Em Michael Krmencik, camisa 15, o Viktoria Plzen despeja seus argumentos ofensivos. Atacante de presença na área adversária, o checo é o artilheiro da equipe, além de protagonista.

É fato que, normalmente, pelo menos aos times mais superiores e de renome, a fase de grupos não costuma oferecer tanto tecnicamente. Ainda que tenha melhorado nesta edição, os espanhóis foram um dos privilegiados no sorteio. Pela Champions League 2018-2019, o Real Madrid enfrenta a Roma nos dias 19/09 (Espanha) e 27/11 (Itália), o CSKA em 02/10 (Rússia) e 12/12 (Espanha) e, por último o Viktoria Plzen nas datas 23/10 (Espanha) e 07/11 (República Checa).

@CaioAIves

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s