Venceu mas não convenceu – ANÁLISE TÁTICA NIMES 2 x 4 PSG

Por Alif Oliveira e Felipe Rodrigues

Neste sábado (01), contra o Nîmes, o PSG venceu como tem acontecido desde o início da Ligue 1. O placar elástico, talvez não explique muito bem como foi o desempenho de ambas as equipes. Como de costume até aqui, a equipe de Thomas Tuchel sempre deixa a desejar, seja na questão de ter-se intensidade no portador da bola, como para defender sua área quando pressionado.

De início, o PSG fez uma primeira etapa bem mediana como tem acontecido até aqui na competição. Com a mudança de esquema efetuado pelo treinador, a equipe passava o tempo com a bola, tanto é que teve 62% de posse contra 38% da equipe da casa. Mas não conseguia fazer efetiva a sua posse em chances criadas. Passando de um esquema de 3-5-2 para ir com um 4-3-1-2 com Marquinhos atuando como volante e Neymar como “enganche” do time.

O Nîmes entrou com postura de respeito para com o líder da competição, sempre atacando com rapidez e se defendendo bem compacto cedendo poucas situações de perigo para sua meta. Já a equipe de Tuchel vinha sendo bem burocrática, pouco se criava por causa da compactação da equipe mandante, e também defendia mal quando pressionado. Por ser pressionado em sua saída de bola a equipe errava passes quando tentava ser vertical para encontrar Neymar entrelinhas. Por isso, o camisa 10 teve que muitas vezes buscar a bola até os zagueiros para fazer a saída com mais qualidade fazendo assim com que ficasse longe do gol.

mwMapa de Neymar (SofaScore)

Mas aos 36 minutos da primeira etapa, Meunier acertou um belíssimo cruzamento encontrando justamente o camisa 10 da equipe invadindo a área para abrir o marcador fazendo com que a equipe do Nîmes deixasse mais espaços para atacar. Assim, 4 minutos mais tarde, eis que Di Maria cobra o escanteio chutando diretamente ao gol, marcando um gol olímpico.

mwSuperioridade numérica e pressão na saída do Nîmes

Na 2 etapa, o Nîmes veio com uma postura diferente já que estava em desvantagem no placar. A equipe mandante soube muito bem aproveitar a improvisação de Marquinhos como volante para oferecer perigos ao gol defendido por Aréola. Assim depois de uma saída de bola errada, Antonin Bobichon com categoria abriu o marcador. Isso motivou a equipe fazendo com que atacasse mais, oferecendo uma bola na trave e um chute perigoso para o goleiro parisiense. Com auxílio do VAR, o juiz marcou penalidade para o mandante mais uma vez igualar o placar.

O PSG continuou tentando controlar o jogo mesmo após o empate, e criou chances para virar o placar, mas parava na defesa do Nîmes. Até que Mbappé (antes de ser expulso) em um ótimo lançamento de Kimpembe virou o placar para dar tranquilidade para Neymar e companhia. Cavani nos acréscimos fechou o placar elástico em que pouco resumiu a partida ocasionado pelas duas equipes.

É cedo, obviamente, mas até aqui a equipe não convenceu seus torcedores da forma em que vem jogando na Ligue 1. A comissão técnica segue remando para encontrar a forma ideal da equipe jogar para enfrentar mais tranquilidade. Graças ao material e qualidade individual dos jogadores a equipe vem vencendo, mas até quando isso irá acontecer? Essa novela terá longas cenas ainda por vir.

@AlifOliveira14 e @_PasseEPosse_

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s