Isso é Libertadores! – ANÁLISE TÁTICA PALMEIRAS 0 x 1 CERRO PORTEÑO

Por Hugo Alves

dsaasdFoto: Divulgação/Palmeiras

Apesar da bagunça chamada futebol sul-americano, o Palmeiras passou de fase na Copa Libertadores nesta quinta-feira (30), mesmo após derrota por 1-0 para o Cerro Porteño do Paraguai. A partida ficou marcada por um juiz confuso e trouxe à tona, mais uma vez, os problemas do futebol do nosso continente, das federações até os juízes.

Antes de “entrarmos em campo” para analisar o Palmeiras, precisamos fazer uma breve reflexão. Muito se fala sobre um “futebol raiz” praticado aqui na América do Sul em detrimento dos outros continentes, em especial o Europeu. Mas, de verdade, você gosta disso? Juízes péssimos, jogadores violentos ao extremo, organização pífia…

Ao contrário do que falam, isso não é ser raiz, isso é ser ignorante. Esse modelo não favorece o nosso futebol, os torcedores passam pano para erros quando o prejudicado é o clube adversário sem se dar conta de que poderia ser o time dele, os clubes se sujeitam a atuar em verdadeiras espeluncas, algumas sem iluminação, por exemplo.

Precisamos parar de romantizar a total falta de estrutura. Valorizar a nossa competição é valorizar você, torcedor, que receberá um produto final de muito mais qualidade.

Agora, vamos ao jogo!

Já ao divulgar o time que iria à campo Felipão entregou o modo como pretendia atuar. Com Mayke sendo melhor na fase defensiva do que Marcos Rocha, a escolha do jogador não foi lá tão difícil. No meio-campo, Moisés manteve sua função de meia que influencia na fase defensiva e na fase ofensiva.

Logo nos primeiros momentos, percebemos um Palmeiras compacto, chamando o adversário para o seu campo. Mas, com apenas três minutos de jogo, Felipe Melo agrediu o jogador adversário e foi expulso da partida. O lance é de total irresponsabilidade do atleta que carrega a fama de ser agressivo não é de hoje. Esse merece um texto especial, vamos seguindo

dsaasdBorja não pressiona, só faz uma figuração

Com a desvantagem numérica, coube ao Palmeiras se compactar ainda mais, com duas linhas de quatro e apenas Borja fazendo eventuais pressões ao portador da bola, sem muito objetivo de roubá-la, apenas de atrapalhar. O camisa 9 chegou a recompor e formar uma linha de cinco, mas foram raros os momentos.

dsaasdPós expulsão: Palmeiras baixa as suas linhas e só começa a marcar a partir do seu campo.

A verdade é que nem mesmo a desigualdade em campo levou perigo ao Palmeiras. O Cerro, muito limitado, baseava suas jogadas em tentativas, sem sentido, pelo meio-campo, quando o lógico seria explorar as laterais palmeirenses para furar o bloqueio de oito jogadores.

Nesse momento do jogo o Alviverde tinha a oportunidade dos contra-ataques, que não foram poucos, puxados por Borja e Dudu. No entanto, o nervosismo do jogo gerado por uma arbitragem confusa e pela tentativa palmeirense de compensar a expulsão de Felipe Melo tomaram conta do final da primeira etapa.

dsaasdDudu livre correndo pela esquerda; os espaços surgiam com frequência

A segunda etapa começou dando um susto no torcedor. Arzamendia, em um claro golpe de sorte, pegou Weverton desprevenido e abriu o placar para os visitantes, que nesse momento utilizavam melhor a vantagem numérica e concentravam o jogo nas laterais.

Logo após Felipão sacou Borja e colocou Thiago Santos em campo para definitivamente se fechar. Willian passou a ser o comandante das ofensivas alviverdes, mas não por muito tempo já que em poucos minutos fora substituído por Deyverson, outro protagonista do confronto.

dsaasdDudu chegou a formar uma linha de cinco defensores, acompanhando o lateral até o fundo

Da entrada do atacante até o apito final não tivemos mais jogo. Se alguém retirasse a bola de campo, nem mesmo os jogadores iriam se tocar. O confronto ficou cada vez mais físico e explosivo. Deyverson, tentando demonstrar raça para a torcida, foi expulso após pedir o apoio do público presente no estádio, injustamente, é verdade, mas mesmo assim sem a menor necessidade.

Marcos Cáceres, volante ex-Flamengo que atua pelo Cerro também foi expulso ao tentar intimidade Deyverson. No final das contas, após muito tempo de acréscimo, três cartões vermelhos, seis amarelos e três “gandulas” expulsos, o Palmeiras conseguiu avançar para a próxima fase da competição.

O próximo adversário do Verdão será o Colo-Colo do Chile e proporcionará ao torcedor o reencontro com Valdívia.

@hgdca

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s