Planos Promissores – ANÁLISE TÁTICA PSG 3 x 1 ANGERS

Por Alif Oliveira

O líder PSG recebeu no Parc des Princes a equipe do Angers pela 3° rodada do Campeonato Francês. O técnico da equipe Thomas Tuchel, no primeiro tempo, desenhou um PSG no 3-5-2 variando de formação com o decorrer do jogo, e logo assim foi mostrando suas ideias com a equipe base titular ainda com os desfalques de Veratti e Kurzawa que estão em recuperação de lesões.

Como esperado pelo favoritismo da equipe, o PSG logo iniciou o 1° tempo com intensidade,assim com Neymar centralizado como o clássico 10 e com a volta de Cavani e Kylian Mbappé, o time tomou a iniciativa em busca de abrir o placar. O Angers veio com uma formação bastante fechada explorando os espaços deixados pela equipe local, e assim nas poucas vezes que chegou a meta de Aréola fez o seu jogo com certo perigo. Com muitas sociedades entre o trio de ataque principalmente, a equipe abriu o placar com Cavani em um passe de Neymar na sua volta ao time pós Copa do Mundo. O Angers chegava com perigo até que com a infelicidade de Kehrer em dar um carrinho dentro da área, a equipe visitante deu igualdade no placar.

mw

Paris em bloco alto com o DNA ofensivo do técnico e Marquinhos e Dí Maria jogando em funções improvisadas como primeiro volante e ala esquerdo, para quem estavam improvisados ambos fizeram uma boa partida. Meunier e o argentino abriram bastante o campo para a equipe ter uma participação maior de Neymar, tirando em conta também que Cavani e o jovem fenômeno Mbappé trocaram bastante de funções durante a partida para confundir a defesa da equipe do Angers.

mw

Neymar jogando como 10 foi o grande enganche do time, em campo a ideia principal da comissão técnica é que o líder da equipe tenha máxima liberdade posicional para deixar seus companheiros de clube na cara do goleiro adversário, assim ele pode escolher a melhor jogada para o time e ditar o ritmo da equipe como uma orquestra. O posicionamento dele não é só tático, mas sim técnico, até pelo fato do jogador ter o objetivo de ser número 1 do mundo pelas próximas temporadas, foi para ter essa liberdade dentro de campo, que o jogador saiu do Barcelona. O jogador se via muito na obrigação de voltar para marcar e agora neste posicionamento ele está no que diz ser essencial para seu objetivo: Fazer gols e jogadas dignas de um grande jogador como ele. Tuchel entende que seu líder tem uma capacidade rara de armar jogadas para os companheiros e de fazer gols assim como na imagem em cima.

palMapa do jogo de Neymar (SofaScore)

Mas Tuchel alternou bastante entre o 3-5-2, 3-4-3, 4-3-3 e 4-3-1-2 depois que Kehrer saiu para a entrada de N’Soki, adiantando também Dí Maria para jogar próximo do tridente de ataque para associar-se mais com Neymar pelo meio de campo. O plano do treinador em agrupar todos seus craques é um papel muito coletivo, mas que não foge de funções defensivas.

pal

Por enquanto está dando certo, o treinador tem tudo com seus conceitos, para saber muito bem gerir o talento dos craques do elenco. É início de temporada, muitos erros virão, mas por enquanto o plano do treinador é bem promissor para suas estrelas.

Ici c’est Paris

@AlifOliveira14 e @PSGTaticamente

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s