O Grêmio de 2018 é mais parecido com o de 2016, por isso precisa mudar.

Por Maurício Wiklicky

São dois anos com o melhor futebol do Brasil. O maior campeão do Brasil nesse período, com Copa do Brasil em.2016, Libertadores 2017, Recopa e Gauchão em 2018. Nesse período o Grêmio teve cinco variações táticas e técnicas, mas mantendo sempre o mesmo sistema de jogo (4231) e seu modelo de jogo, a posse de bola.

Hoje os números do Brasileirão mostram essa nossa qualidade e manutenção das caracteristicas:

Mas como jogamos desde 2016?

• 2016:

Douglas como armador, o clássico 10, Maestro Pifador, com Luan de falso 9. Douglas é o centro do time, toda bola passa por ele. Na frente há a opção da excelente movimentação de Luan que tem total liberdade.

• 2017/A:

Luan e Miller Bolaños. Ambos tentam inverter de posição constantemente. Luan começa a a recuar par ao meio campo.

• 2017/B:

Barrios e Arthur entram no time, Luan o articulador que joga no espaço entrelinhas. Arthur é quem faz a saída se bola com qualidade. Ele que acha os espaços no campo, sempre sendo opção de passe, o que gera tranquilidade aos demais. Luan assume a posição de organizador do time no ataque.

• 2018/A:

Arthur e Maicon são os controladores da bola e dão o ritmo ao time. Arthur controla o espaço e Maicon o tempo, em especial na aceleração ou não do jogo. Maicon tem um bom passe de ruptura, o que Arthur ainda não tem, e se assemelha mais com o que Douglas fazia em 2016. Ambos revezam na saída de bola. Na frente Cícero, com mais mobilidade e por vezes invertendo com Luan, e Jael sendo mais próximo de Barrios revezam na titularidade. Os adversários em sua maioria recuam as linhas de defesa, próximas do gol, para assim ficqrem muito próximas uma da outra, não gerando espaço. Em outros momentos há marcação individual em Luan. E outra maneira de tentar evitar esse jogo entrelinhas de Luan é ter um jogador com movimentação entre essas duas linhas (4141).

• 2018/B:

Saída de Arthur. Cícero substitui o agora jogador do Barcelona. Renato tenta manter a qualidade na saída de bola, porém não há como substituir um jogador como Arthur. O time perde intensidade na marcação e na ocupação de espaços. Quando entra Jailson, temos mais intensidade na marcação, mas Maicon tem que fazer duplo papel, pois tem que fazer a saída de bola e organizar o time, junto com Luan, em uma linha mais a frente do campo. André entra no time para fazer a posição de centroavante “fazedor de gols”, mas com mobilidade. Seria a mistura do falso 9 exercido por Luan/Bolaños e o centroavante de referência como Barrios/Jael.

Renato executou muito bem as mudanças, se adaptou aos novos jogadores, lesões, mudanças em geral e evoluiu como treinador. E agora terá que mudar mais uma vez, pois infelizmente André não correspondeu até o momento.

Vejo o time jogando mais proximo do que era em 2016, pois Maicon mais avancado tenta o passe que quebra as linhas, Luan nao consegue mais o espaço que antes tinha, tanto pela saída Arthur, quanto pelo posicionamento dos adversários, e André que tenta se movimentar e sair mais da área do que ser a referência para “brigar” com o zagueiro dentro da área e fazer o pivô.

Quais opções que Renato teria?

• Substituição de André por Jael:

É a mudança mais simples, voltariamosa ter a referência como tínhamos com Barrios.

• Entrada de Douglas

Voltamos aos esquema de 2016 com Douglas no meio da linha de 3 e Luan de falso 9.

Não acredito que ocorra pelas condições físicas de Douglas, ainda mais em um time com Maicon e Leo Moura.

• Avanço de Maicon

Ele atuaria no meio da linha de 3, sendo organizador do time, pequena fez no passado em outros clubes. Com isso Luan seria o falso 9 e faria a movimentação para opção de passe. Cícero e Jailson fariama dupla de volantes.

Com essa formação, Maicon continuaria com algumas funções defensivas (não tantas como hoje), equilibraria suas ações e poderíamos ter uma opção mais aguda na direita (Marinho ou Alisson). Ramiro iria para a lateral direita ou para a reserva, pois não tem atuado muito bem.

E aí o que acham?

@mwgremio

Anúncios

9 comentários sobre “O Grêmio de 2018 é mais parecido com o de 2016, por isso precisa mudar.

  1. Belo texto Maurício! Muito bom! Hj os grupos de WhatsApp só falam das alternativas do jogo de ontem e não é pra menos, a derrota e eliminação foram doídas… Acredito que o lado direito tem que sofrer alterações. Entrada de Léo Gomes daria mais intensidade permitindo a entrada de Alisson no lugar do Ramiro dando mais uma opção no ataque e gosto também da alternativa de 3 volantes com Luan de falso 9, mas ainda acho que Jailson e Maicon com Luan deslocado para o ataque e Douglas na meia seria uma boa variação a ser testada.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Boa análise Maurício! Acho que a substituição de André por Jael é para ontem. O André infelizmente tem produzido pouquíssimo, para não falar nada. Jael é brigador e referência, tem até pifado em alguns jogos, faz o papel de pivô. Ontem entrou na fogueira, com o time já cansado fisicamente, não é a mesma coisa que iniciando uma partida. Ramiro parece que desaprendeu a jogar futebol, espero que ele e o André possam identificar os seus erros e trabalhar para evoluir. Acredito que a melhor opção para o momento seria: Grohe, Léo Moura, Geromel, Kannemann e Cortez; Jailson e Maicon; Alisson (Marinho), Luan, Everton e Jael. Como tu citaste no teu artigo. A eliminação de ontem foi dolorosa, mas não é o fim do mundo. Agora é trabalho para conquistarmos mais um grande título este ano! Vamos Grêmio!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Boa análise!
    Sugiro um 4-1-4-1
    Com Leo Gomes dando mais força e intensidade pela lateral direita. Matheuzinho dando mais movimentação e mobilidade ao meio. Marinho equilibrando os dois lados e dando velocidade, drible e tesão de fazer gol ao time. Luan voltando a ser falso 9. Jael seria alternativa ao Luan, Douglas ao Maicon, Alisson aos dois extremas, Cícero ao Matheus Henrique. Time ficaria assim:

    Grohe, Leo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez;
    Jaílson;
    Marinho, Matheus Henrique, Maicon e Everton;
    Luan.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Acredito que o Grêmio precise de uma mudança estrutural, pra se adaptar às características dos jogadores sem o Arthur.

    Então iria para um 4-1-4-1.

    Meu 11 inicial seria
    Grhoe
    Leo moura, geromel, kanneman e Cortez.
    Jailson.
    Marinho, Maicon, Cícero (luan) e Everton.
    Luan (jael).

    Tentaria recuar o luan pra linha de 4 pelo centro, mas isto demandaria uma evolução tática do jogador (seria bom inclusive pra carreira dele).

    Leo Gomes ou Ramiro poderiam ser testados na LD.

    Michel quando voltar também na do jailson.

    O maestro ficaria pra uma alternativa de esquema, contra times retrancados.

    Reservas espelhados:

    PV
    Leo Gomes, PM, bressan e MO.
    Michel.
    Ramiro, Thraciano, matheusinho e Alison.
    Andre.

    Ainda teríamos alteernativas no grupo como Pepe, Douglas, jean Pierre, Lincoln

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s