Um jogo equilibrado – ANÁLISE TÁTICA DE CEARÁ 0 X 0 ATLÉTICO-PR

Por André Frehse Ribas

Vídeos: Instat/Premiere FC

O Atlético encerra sua sequência de jogos fora de casa com um empate. O Cansaço e as viagens pesaram na atuação rubro-negra, que poderia ter se saído melhor em Fortaleza. É hora de analisar o desempenho do time nessa partida.

Em seu 4-2-3-1 habitual (4-4-2 sem a bola), o Furacão seguiu apostando na sua transição ofensiva rápida e eficaz para superar o Ceará. Além disso, na saída de bola com o goleiro Santos, o time rubro-negro apostou muito nos lançamentos ao ataque, principalmente para Bergson e Marcelo. Caso não ganhassem, sempre tinha um companheiro próximo para ganhar a segunda bola e armar o ataque.

O Atlético começou melhor no PV. Time teve mais a bola, conseguiu suportar a marcação pressão do Ceará na saída de bola, mas criou pouco no ataque, faltou profundidade. Já o Vozão, quando tinha a bola, buscava as inversões para trabalhar com Leandro Carvalho e Juninho Quixadá, que buscavam o chute de fora da área.

Furacão construiu uma boa jogada na primeira etapa. Construção não se repetiu no jogo, muito pelos erros no último terço. Marcação pressão do Ceará também dificultou a saída de bola do Atlético, que procurou um jogo mais direto. Veja:

 

Arthur, do Vozão, foi importante para os contra-ataques do Ceará.

Marcelo e Marcinho pouco fizeram no primeiro tempo. A bola não chegou para o extremos, que poderiam furar a marcação do Ceará e causar mais perigo no ataque.  Faltou infiltrações e associações entre eles, os meias e os laterais. 

Cirino conseguiu utilizar sua velocidade uma vez, bem no lance em que se lesionou e teve que sair. Uma jogada bem característica do Atlético de Tiago Nunes: recuperação da bola, passe-chave em profundidade e Marcelo Cirino explorando sua velocidade no 1×1.

Na segunda etapa, o jogo se manteve equilibrado, mas com o Atlético levando a melhor na disputa da segunda bola, principalmente em cobranças de escanteios.  O Furacão se manteve mais com a bola, mas  a intensidade do jogo caiu. A equipe Paranaense diminuiu o ritmo e procurou correr menos riscos.  

Nikão, que entrou no lugar de Marcelo, teve as melhores oportunidades para marcar no segundo tempo, mas não aproveitou. 

O zagueiro Wanderson não fez um bom jogo. Perdeu duelos individuais importantes e cometeu vários erros na saída de bola do Rubro-negro. Ele se mostrou inseguro na partida. 

Ofensivamente não foi uma grande atuação do Atlético. Time sentiu a sequência de jogos e não produziu contra o Ceará. Agora, o Furacão tem uma semana para se preparar e corrigir os erros para o confronto contra o Flamengo, no domingo, às 11h00.

@Andre_Frehse

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s