Virada e atitude de campeão – ANÁLISE TÁTICA: GUARANI 2 x 3 FORTALEZA

Por Gêra Lobo

A torcida do Fortaleza já tinha todas as razões do mundo para ficar “iludida” em relação a um possível acesso. A equipe não saiu do G-4 em nenhuma rodada e é o líder absoluto desde o início do campeonato. Porém, o último sábado deixou a torcida leonina ainda mais empolgada, quando a equipe saiu perdendo por 2 a 0, mas virou para 3 a 2 nos acréscimos contra o Guarani, em Campinas. Pode-se dizer que a virada aconteceu muito mais na emoção e “abafa” do que em mudanças propriamente táticas.

Bom, foram dois tempos bastante distintos para o líder do campeonato. No primeiro, o Tricolor até ficou bastante com a bola, mas sem muita criatividade e parando na boa marcação dos paulistas. Ceni veio, como de costume em jogos fora de casa, com um 3-4-3, mas sem tanta mobilidade assim na frente, já que Marcinho iniciou a partida no banco. Isso acabou sendo prejudicial para Ederson, que ficou bastante isolado na frente, com Marlon e Dodô mais recuados.

Mas o maior problema mesmo do Fortaleza na primeira etapa estava pelo lado esquerdo. Além de Adalberto e Bruno Melo não se entenderem, o lateral-esquerdo tricolor, que retornou ao time titular na partida, demonstrava que estava sem ritmo e não se entendia na marcação. Além disso, também ajudava pouco nos apoios. E foi pela esquerda que se iniciou os dois gols sofridos pelo Leão. Esse problema ficou tão nítido, que Rogério Ceni fez uma mudança ainda no primeiro tempo, tirando Adalberto e colocando Marcinho, retornando ao 4-4-2/4-3-3.

fortalBruno Melo e Adalberto, que estava na cobertura, não se entendem e deixam o adversário cruzar com liberdade para o gol. Diego Jussani também falha na marcação e Bruno Mendes cabeceia livre no meio da defesa (Foto: Reprodução)

Não tem muito mais do que falar de um primeiro tempo onde o Fortaleza foi bem mal. Na segunda etapa, Gustavo entrou na partida e parece que a presença dele deu uma nova vida ao tricolor, que voltou bem mais ligado. Não tem tanto assim para falar em termos táticos sobre o segundo tempo do tricolor, pelo seguinte fato: foi mais na raça que propriamente explorando erros do Guarani. Pela forma como saírem os gols da virada isso fica claro, com o primeiro sendo em um “contra-ataque do contra-ataque” e os outros dois em bolas na área, com Gustavo sendo importante.

fortalMais uma vez o Fortaleza abusou do jogo lateral (Foto: Footstats)

De uma maneira geral, pelo segundo tempo sufocante, a atuação do Fortaleza foi boa. Algumas coisas precisam ser consertadas, como alguns descuidos pelos lados na fase defensiva e, na fase ofensiva, uma maior movimentação do ataque, mais trocas de posições, como aconteceu contra o Coritiba, e apoios vindos da esquerda com Bruno Melo, que tem qualidade, mas precisa encontrar seu ritmo. Mesmo assim, o Leão continua caminhando a passos bem largos rumo não só ao acesso, mas também ao título.

@gerinhalobo_

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s