Saber dominar, propor e reagir: O EXCELENTE PRIMEIRO TURNO DO LÍDER FORTALEZA

Por Gêra Lobo

fortal

O Fortaleza fez um primeiro turno digno de um time que não veio a Série B 2018 a passeio. Na verdade, o Leão do Pici retornou a segunda divisão com ambições altíssimas, não só do acesso, mas também buscando seu primeiro título nacional. Isso ficou claro desde os primeiros 15 minutos da estreia na competição contra o Guarani, onde os comandados de Rogério Ceni já mostravam sinais de um time que iria propor e comandar as ações das maiorias dos seus embates. Dito e feito.

A estreia contra o Guarani é um bom exemplo do que é o Fortaleza na Série B 2018 até agora. O líder da competição dominou completamente os paulistas, com quase 64% de posse, além de chutar três vezes mais (12 x 4). Isso são apenas alguns números que destacam um pouco como um propositivo Fortaleza atuou durante quase toda a Série B até agora.

Para se ter uma ideia desse domínio territorial e vontade de ter a bola no pé, dos 19 jogos até agora, apenas contra Figueirense (V – 1 x 3), CSA (E – 0 x 0) e Juventude (V – 0 x 3), todos sendo partidas fora de casa, o Fortaleza não teve uma posse de bola maior que o adversário… e não perdeu. O que isso significa? Além de ser uma equipe que gosta da bola, como os números irão provar, a equipe de Rogério Ceni sabe sofrer quando precisa. Sabe aceitar a pressão adversária e continuar alcançando triunfos, o que é algo bem difícil de saber lidar.

MUDANÇA DE ESQUEMA? SEM PROBLEMA

O Fortaleza perdeu alguns jogadores importantes desde o início do campeonato, seja por contusão, como o artilheiro Gustavo, ou por negociação, caso de Edinho e Osvaldo. Além disso, suspensões também fizeram com que Ceni, que viu seu time cair de produção em um determinado momento do turno, mexesse as peças para achar a melhor forma do Leão atuar, seja fora ou dentro de casa. Isso não foi um problema para o ex-goleiro.

Por que eu digo isso? Seja no 3-5-2/3-4-3 ou no 4-3-3/4-2-3-1, o líder seguiu rendendo, principalmente no final do turno. A primeira formação começou a ser usada mais em jogos fora de casa, como uma forma de precaução, mas isso não quis dizer que o Fortaleza fosse um time defensivo. Longe disso. A amplitude que os pontas, além da melhor saída de bola foi importante para que o time rendesse. As variações durante os jogos foram essenciais, como mostra bem a imagem abaixo.

fortalContra o Juventude, 3-5-2 com a bola e um 5-2-1-2 sem a bola. Funcionou extremamente bem (Foto: Reprodução)

Fora de uma forma, em casa de outra. Em seus domínios, por ter que se impor ainda mais, e entrando de novo na filosofia de propor o jogo, o Fortaleza mudou sua estrutura. Isso foi um problema? Não, nem um pouco. Com mais aproximação, tabelas e velocidade, além de um jogo vertical mais incisivo, o Leão se comportou muito bem atacando no 4-4-2/4-2-3-1 e defendendo no 4-1-4-1.

fortalEm casa, outra postura tática, mas com a mesma qualidade (Foto: Reprodução)

Claro que essa mudança de esquema dependendo da partida não foi algo recorrente durante o campeonato, sendo mais utilizado na parte final do turno. Porém, volto a ressaltar que isso foi uma excelente demonstração de visão do jogo de Ceni. Soube mudar na hora necessária e o time voltou a render tudo que sabe (com a ajuda dos reforços também, claro).

A questão aqui é que o primeiro turno do Fortaleza foi quase perfeito, tendo em vista os vários problemas no elenco que a equipe teve durante todo o campeonato até agora. O domínio foi nítido, ainda mais para quem assiste os jogos da equipe. Sempre um time que quer jogar para frente e ficar com a bola, mesmo nas fases mais delicadas da partida. Esse domínio se resume nos números abaixo.

NÚMEROS DO FORTALEZA NO 1º TURNO

Média de posse de bola: 57% (1º)
Passes certos: 7096 (1º) – Média de 373.5 por jogo (1º)
Oportunidades criadas: 204 (1º)
Gols marcados: 28 (2º)
Assistências para gol: 19 (2º)
Dribles certos: 61 (2º) – Média de 3.2 por jogo (2º)
Cruzamentos certos: 123 (2º)
Gols sofridos: 13 (1º)
Menos faltas cometidas: 264 (1º)

Se essa postura se manterá durante o segundo turno, que trata-se da parte derradeira da Série B, onde os times precisam manter a regularidade, não dá para saber ainda. Porém, o Fortaleza tem todas as peças necessárias para seguir nas cabeças e garantir, no mínimo, seu passaporte para a Série A em 2019.

@gerinhalobo_

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s