Quem jogou melhor? PÓS-JOGO TÁTICO DE CORINTHIANS 0 X 0 ATLÉTICO-PR

Por Iúri F. Medeiros Teixeira e André Frehse Ribas

Em um jogo equilibrado, o Atlético conquistou um ponto importante em Itaquera. Já o Corinthians, que era o mandante, mostrou problemas em jogadas coletivas, se sobressaindo mais nos lances individuais. Agora, é hora de analisar o jogo e ver como os times se apresentaram na partida.

O Corinthians, como normalmente ocorre nos jogos em Itaquera, buscou comandar as ações do jogo, construindo suas jogadas desde trás. Porém, como também não é novidade, a equipe sentiu dificuldade desde os primeiros minutos em fazer dessa posse algo produtivo, concentrando os passes em seu campo de defesa com o Cássio e os zagueiros. Sendo assim, o time não conseguia se estabelecer no campo de ataque e suas melhores jogadas na primeira etapa nasciam de jogadas individuais do jovem ponta-direita Pedrinho.

Fatores que ajudam a explicar essa posse de bola pouco produtiva foram as ausências dos laterais titulares (Fagner e Danilo Avelar), que foram poupados para o jogo de quarta contra o Colo-Colo, pela Libertadores. Tanto Thiaguinho, que é volante de origem, como o jovem Carlos Augusto mostraram pouca desenvoltura para sair jogando e foram pouco participativos nas jogadas de ataque. Além disso, faltou em diversos momentos uma aproximação maior dos volantes e do Jadson para oferecer opção de passe e facilitar as triangulações, a grande marca da equipe no jogo contra a Chapecoense pela Copa do Brasil.

Outro ponto a ser destacado foi a instabilidade defensiva do conjunto alvinegro durante o jogo. Além da falta de segurança passada pelo zagueiro Pedro Henrique na saída de bola, por diversas vezes o Atlético-PR conseguiu acelerar suas jogadas no campo de ataque e chegar em superioridade numérica contra os laterais, fazendo mais uma vez o goleiro Cássio ser um dos destaques.

Corinthians 54

Corinthians 55

O Furacão começou o jogo no 4-2-3-1, com Lucho fazendo dupla com Wellington. Marcando em seu próprio campo (4-4-2), o rubro-negro ficou menos com a bola no primeiro tempo, mas, mesmo assim, conseguiu controlar as ações defensivas e ofensivas, sendo mais perigoso no ataque, principalmente com uma transição ofensiva forte e veloz.

Além de sair em velocidade no contra-ataque, o Atlético conseguiu construir e fazer sua saída sustentada, atraindo o time da casa para o seu campo e abrindo espaços para atacar.  Sempre com passes curtos e rápidos, para envolver o adversário.

Um time mais direto e vertical. No primeiro tempo, o rubro-negro trocou 191 passes e errou apenas 23, 89% de aproveitamento. Na segunda etapa, foram 138 passes, sendo 21 errados. 

Os lançamentos ao ataque (para o Pablo e Marcelo) se tornam cada vez mais comum no Atlético. Léo Pereira e Veiga são os que mais fazem essa ligação. 

Fique de olho! Veiga sempre se posiciona na entrelinhas. Ele também ajuda na construção das transições ofensivas. Tem um passe diferenciado. 

No ataque, se viu um time bem móvel, com troca de posições entre Marcinho e Marcelo, e com Renan Lodi e Jonathan trazendo amplitude ao time. Renan mais construtor e agudo, sendo o destaque do Atlético no jogo.

Marcelo sendo decisivo no 1×1:

 

ki

lad
Atlético criou suas principais jogadas pelo lado esquerdo. Renan Lodi se destacou no jogo. 

Na segunda etapa, o panorama do jogo não foi alterado e o Timão seguiu sendo um time de poucas ideias e pouco confiável em sua defesa. A equipe só foi se estabilizar na reta final, quando conseguiu ficar mais com a bola e ameaçar um abafa contra a meta do Santos, mas ainda sim com muita pouca efetividade.

O grande pecado do Atlético foi no último terço do campo. O jogo diminuiu de intensidade no segundo tempo, mas o Furacão seguiu bem na construção e sempre chegando com perigo ao gol de Cássio. Faltou apenas tomar as melhores decisões no momento de finalizar suas jogadas. Isso passou muito pelo Pablo, que não fez um bom jogo. Sentiu dificuldades para segurar a bola e dar sequência às jogadas, perdendo a maioria dos duelos individuais. 

Dentro dessa sequência de oscilação de desempenho do Corinthians, não chega a ser um resultado tão surpreendente, ainda mais com o time alterado devido ao compromisso do meio de semana, mas não deixa de ser preocupante que em Itaquera o atual campeão brasileira seja dominado pelo Atlético-PR como foi na noite de sábado.

O resultado foi importante para o Atlético. Além do ponto conquistado, se viu uma evolução da equipe sob comando de Tiago Nunes, que segue dando sua cara ao time.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s