O Grande pesadelo de Aguirre: propor o jogo – ANÁLISE TÁTICA SÃO PAULO 0x1 COLÓN

Por Pedro Galante

O São Paulo enfrentou o Colón-ARG nessa quarta-feira (02) e demonstrou mais uma vez, muita dificuldade em propor o jogo.

Aguirre sabia que enfrentaria uma defesa muito bem fechada, por isso fez uma alteração na escalação: Bruno Peres como volante. A ideia era fortalecer o lado direito, chegando com Militão, Peres e Rojas; deixar Nenê na entrelinha e fazer com que Everton flutuasse, ora aparecendo na área, ora dando opção pelo meio. Com superioridade pelo setor, ficaria mais fácil triangular e quebrar as linhas de defesa.

sao pauloTriangulação pelo lado, Nenê entre os volantes e Everton aparecendo na área. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

No entanto, essa estratégia não funcionou bem, muito em função de as características dos jogadores não se encaixarem nesse estilo de jogo. Militão quase não fez ultrapassagens, Peres não fazia a bola progredir em campo e Rojas mostrou que a associação é o seu ponto fraco.

O São Paulo de Aguirre tem problemas para propor o jogo, ainda mais contra defesas fechadas. Isso acontece, porque o uruguaio montou uma equipe que tem como melhor característica o ataque ao espaço, principalmente nas costas da defesa. E a defesa do Colón jogou próxima ao seu gol, não deixando nenhum espaço para ser atacado.

sao pauloO espaço atrás da defesa e entre as linhas e quase inexistente. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Shaylon entrou para oferecer novos recursos, um chute de média distância ou um passe que quebrasse as linhas, mas não adiantou de nada. Na busca pelo gol, Aguirre colocou o centroavante Gonzalo Carneiro para aproveitar cruzamentos. A esse ponto do jogo, a estratégia de ocupar um lado e buscar triangulações já havia sido descartada, o São Paulo apostava no volume, cruzava para a área e brigava pela segunda bola.

Em um raro momento de ataque dos argentinos, o chute de Mátias Fritzler desviou em Hudson, enganou o goleiro Jean e acabou na rede. Depois do gol, os argentinos se fecharam ainda mais e abusaram da tradicional catimba. Nervosos, alguns jogadores do São Paulo perderam a cabeça. Diego Souza chutou um adversário, não foi punido pois o juiz não viu, mas com as claras imagens da TV, um possível – e provável – julgamento na CONMEBOL pode punir o jogador. Brenner foi expulso por conduta violenta.

Além do amargo da derrota em frente a torcida, fica o alerta de que Aguirre deve buscar meios de furar defesas bem fechadas. Os próximos adversários no Brasileirão devem adotar uma postura parecida.

Uma possível solução, seria fazer uma saída de bola com mais jogadores, ocupando menos o campo de ataque e assim atraindo a defesa adversária. Uma vez que houver espaço a frente, por menor que seja, a equipe poderá atacar em velocidade e criar perigo.

@Pedro17Galante

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s