Resumo tático da 16° rodada

Por Felipe Henry

Chegamos com o Resumo Tático da 16ª Rodada do Campeonato Brasileiro. Uma rodada de contra-ataques mortais, alguns times mandantes com pouca objetividade no ataque e com o 4-2-3-1 novamente sendo o esquema mais utilizado pelos times.

15 equipes optaram por utilizar o 4-2-3-1, três utilizaram o 4-1-4-1 e apenas duas utilizaram o 4-3-3. Claro, cada equipe utilizando suas variações táticas em momentos ofensivos e defensivos conforme a circunstância de cada jogo.

CEARÁ 1 x 0 FLUMINENSE

Superior taticamente durante toda a partida mesmo com apenas duas finalizações no alvo, o Vozão foi armado no 4-2-3-1 por Lisca e teve bons momentos na parte ofensiva, principalmente no 1T com um forte lado esquerdo com as boas atuações de João Lucas e Juninho Quixadá e no 2T com uma transição defensiva que teve o zagueiro Tiago Alves como destaque. Já o Flu, foi armado no 4-2-3-1 (Migrando para o 3-5-2 no 2T) por Marcelo Oliveira e teve uma transição ofensiva lenta (mesmo com 63% de posse de bola), sentindo a falta da profundidade de Gilberto.

VASCO 1 x 4 CORINTHIANS

Armado no 4-2-3-1 com um falso nove, o Corinthians começou lento e sem efetuar nenhum desarme no 1T, mas com uma segunda etapa implacável principalmente nos contra-ataques para aproveitar os espaços na defesa vascaína, teve 100% de aproveitamento nas finalizações no alvo com quatro gols em quatro tentativas com destaque para o recital de Angel Romero. Já o Vasco, também armado no 4-2-3-1 por Jorginho, terminou a partida com onze desarmes e doze finalizações, mas sofreu com o desgaste físico e com as falhas individuais cruciais no sistema defensivo.

romeroNúmeros de Angel Romero na vitória sobre o Vasco em Brasília.

PALMEIRAS 3 x 0 PARANÁ CLUBE

Montado no 4-3-3 (Com variações para o 4-2-3-1), o Palmeiras do interino Wesley Carvalho foi superior do início ao fim com suas principais chances criadas pelo lado esquerdo com uma boa participação de Dudu e com outra excelente atuação de Bruno Henrique, que chega a quatro gols em três jogos. Destaque para as 24 finalizações do Alviverde na partida. O Paraná, por sua vez, armado taticamente no 4-1-4-1 (Com variações para o 4-3-3), não teve argumentos para reagir e sequer conseguiu finalizar dentro da área no 2T, contando ainda com uma boa atuação do goleiro Thiago Rodrigues para evitar algo pior.

bruno hNúmeros de Bruno Henrique na vitória sobre o Paraná Clube no Allianz Parque.

ATLÉTICO-PR 4 x 0 VITÓRIA

Armado taticamente no 4-2-3-1 por Tiago Nunes, o Furacão foi reativo e cruel nos contra-ataques, chegando aos gols em jogadas de velocidade para aproveitar uma frágil e desorganizada defesa do time baiano. Mesmo atuando na Arena da Baixada, o Atlético teve menos posse de bola (48%) e mesmo assim terminou a partida com 10 finalizações feitas dentro da área adversária, com destaque para o atacante Pablo, com um gol e uma assistência. Já o Vitória que foi montado taticamente no 4-2-3-1 pelo (agora ex-técnico) Vágner Mancini teve a bola, mas pouco soube o que fazer com ela.

CRUZEIRO 0 x 2 SÃO PAULO

spFoto/Reprodução: Avante Soberanos.

A bola. Tê-la ou não tê-la? O Cruzeiro optou por tê-la nos pés e mesmo com a boa atuação de De Arrascaeta e distribuído taticamente no 4-2-3-1 montado por Mano Menezes, abusou do baixo aproveitamento nos cruzamentos (27 tentados e apenas cinco acertados) e nas finalizações (14 ao todo com apenas três no alvo); Já o Tricolor, desfalcado e também armado no 4-2-3-1 por Diego Aguirre, novamente foi um time que soube se defender e matar o jogo em dois dos três contra-ataques que teve no jogo, além de surpreendentemente finalizar no alvo uma vez mais do que o adversário.

FLAMENGO 4 x 1 SPORT RECIFE

flaFoto/Divulgação: Clube de Regatas do Flamengo.

Armado no 4-1-4-1 por Maurício Barbieri, o Flamengo teve sua melhor atuação no Campeonato até aqui com uma posse de bola muito mais vertical e objetiva (57%), com uma transição ofensiva interessante pelos flancos e sendo superior durante toda a partida, principalmente nos vinte minutos do 2T com destaque para a excelente atuação de Everton Ribeiro, muito participativo pelo lado direito. Já o Sport, cedeu muitos espaços no setor defensivo com o 4-2-3-1 armado por Claudinei Oliveira e mesmo conseguindo o empate no final do 1T, produziu muito pouco ofensivamente.

fla2Números de Everton Ribeiro na vitória sobre o Sport no Maracanã.

 

INTERNACIONAL 3 x 0 BOTAFOGO

interFoto/Divulgação: Sport Club Internacional

Armado taticamente no 4-3-3 por Odair Hellmann, o Inter foi superior por todos os 90 minutos com destaque para as excelentes atuações de William Pottker (dois gols) e Nico López (Duas assistências) sempre muito perigosos nas jogadas pelos lados, complicando muito a vida da defesa adversária, terminando a partida com o mesmo número em desarmes e finalizações: Quinze, sendo nove no alvo. Já o Botafogo, armado no 4-2-3-1 por Marcos Paquetá, pagou pelo fraco 1T e pela falta de objetividade na escolha do jogo direto.

potkerNúmeros de William Pottker na vitória sobre o Botafogo no Gigante da Beira-Rio.

CHAPECOENSE 1 x 1 GRÊMIO

Armado no 4-2-3-1 por Gilson Kleina, a Chape jogou dentro de suas características apostando no jogo físico e direto mesmo com mais posse de bola (57%), apostando muito nos cruzamentos (31, com oito concluídos) e terminando a partida com 16 chutes ao gol contra o time que mais sofre finalizações no Campeonato; Destaque para Bruno Silva e seus seis dribles na partida. Já o Grêmio, armado no 4-2-3-1 por Renato Portaluppi com o time reserva, criou muitas chances no 1T com quatro finalizações no alvo, mas teve seu destaque maior nos desarmes (10) no 2T, já que não conseguiu finalizar nenhuma vez.

SANTOS 0 x 1 AMÉRICA-MG

58 cruzamentos e um aproveitamento de 21%. Esse foi o Santos na partida contra o Coelho na Vila, armado taticamente no 4-2-3-1 pelo interino Serginho Chulapa criou muitas chances, mas teve uma atuação lastimável ofensivamente, com 29 finalizações, quatro no alvo e 17 pra fora, com péssimas atuações de Gabriel Barbosa e Eduardo Sasha, mesmo com Victor Ferraz e Jean Mota fazendo um bom jogo; Já o América, armado no 4-2-3-1 por Adilson Batista, teve um dia de Celtic contra o Barcelona: 27% de posse de bola, duas finalizações e 59 cortes em sua defesa (18 do zagueiro Messias). Uma finalização no alvo: O pênalti convertido por Ruy.

BAHIA 2 x 2 ATLÉTICO-MG

Armado no 4-2-3-1, o Tricolor baseou o seu jogo na sobreposição pelos flancos, de onde nascem os gols de Gilberto e Régis, além de levar perigo nas bolas paradas. Isso sem contar o fato de finalizar 22 vezes ao gol sendo 16 dentro da área atleticana, com destaque para Régis que venceu seis dos nove duelos disputados, três dribles, um gol e uma assistência. Do lado atleticano, armado no 4-1-4-1 por Thiago Larghi, foi novamente reativo e contou com uma ótima partida de Yimmi Chará, mas falhou na criação e ainda cedeu muitos espaços na sua defesa.

@Lipe_Henry

rafa

rafa2

Acompanhe as estatísticas do Brasileirão aqui pelo Rafael Maciel.

#AprendemosJuntos!

Um comentário sobre “Resumo tático da 16° rodada

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s