Troca de Identidades: ANÁLISE TÁTICA VASCO 1×0 GRÊMIO

Por Ricardo Leite Maurício Wiklicky

Neste domingo, a equipe vascaína enfrentou em São Januário, o atual campeão da Libertadores, Grêmio.

Jogando em casa, o Vasco escolheu e conseguiu se impor no início da partida. É obvio que o gol logo aos dois minutos deu uma tranquilidade maior para o mandante, mas o Vasco continuou sendo objetivo e vertical com a bola. O cruzmaltino demonstrou evolução na aproximação entre os atletas (principalmente ofensivamente), e na boa troca de passes entre os jogadores de meio. Destaque mais uma vez para Breno e Andrey principalmente. O volante foi essencial no jogo. Participando dos momentos defensivos e transiçoes ativamente. Efetuou 5 desarmes, 3 interceptações e 3 cortes. Ainda deu um lindo lançamento para Pikachu, que foi parado por Grohe.

Mas aos 32 minutos, a expulsão do lateral esquerdo Henrique ameaçou a boa partida do Vasco e tirou a paz do torcedor vascaíno. A “sorte” é que por ter três zagueiros em campo e um lateral direito que estava jogando de meia extremado, Jorginho conseguiu arrumar a equipe sem precisar fazer alteração. Pikachu voltou para posição de origem, Luis Gustavo compôs a zaga ao lado do Breno e Ricardo foi deslocado para a lateral esquerda.

Apesar da pressão do forte time do Grêmio, o Vasco se mostrou organizado mesmo com dez em campo. A equipe cruzmaltina preencheu e povoou bem o seu setor defensivo, ora se defendendo com uma linha de 4, ora com uma linha de 5. Jorginho leu bem o jogo e foi bem nas substituições e variações dentro do jogo. Ora jogando com Pikachu na lateral, ora com três zagueiros. Assim como Ricardo, ora jogava de zagueiro, ora de lateral esquerdo. Thiago Galhardo foi o escolhido para fazer a marcação pelo lado esquerdo e foi muito bem.

Já a equipe tricolor, em momento algum conseguiu colocar em pratica seu jogo de troca de passes, infiltrações, triangulações. Abusou dos cruzamentos a partir do meio campo, resultado de uma marcação numerosa e combativa do Vasco, mas também de uma falta de inspiração e tranquilidade para impor seu jogo habitual. Até levou perigo em alguns lances, mas viu a linha defensiva e Martín Silva serem decisivos para a vitória vascaína.

Os 41 cruzamentos tricolores sendo apenas 7 certos não tem explicação para o time que tem o melhor toque de bola do Brasil, possui esse modelo de jogo e estava com um a mais em campo.

Renato fez três variações táticas no jogo, mas como sempre falamos, não adianta colocar atacantes e meias sem organização.

mw

mw2

mw3.jpg

 

 

A partida dá moral e esperança ao Vasco, que pode ser competitivo e agressivo. E que a organização defensiva vem evoluindo com os jogos e tende a crescer ainda mais com a entrada de Lennon e Ramon.

Para o lado gremista resta a lição e voltar a Arena no jogaço contra o São Paulo e voltar a mostrar o melhor futebol do Brasil.

@analisevasco e @mwgremio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s