O que esperar do Chelsea de Sarri?

Por João Cardoso

sarri

Depois de 3 memoráveis temporadas no comando do Napoli, Maurizio Sarri, trocou a cidade natal da Pizza pela úmida capital da Inglaterra. Sarri capitaneou a implementação de um estilo e modelo de jogo propositivo, esteticamente bonito e posicional, marcando época em Nápoles. Agora, no Chelsea, terá maiores ambições, melhores condições e maiores cobranças também, afinal o objetivo dos blues é a reconquista da Liga dos Campeões e da Premier League, após algumas temporadas longe da hegemonia europeia e nacional também. E é bem provável que muitos dos objetivos do clube, gerido por Roman Abramovich, sejam atingidos, afinal, com um elenco bem reduzido em Nápoles conseguiu fazer história, imagine o que não fará com um time bilionário…

Mas vamos recapitular o início do seu trabalho na casamata napolitana, para que o torcedor dos blues não cometa nenhuma injustiça em seu julgamento sobre o treinador:

maradona
“Com Sarri não teremos um Napoli vitorioso” (Maradona)

Ao chegar ao Napoli, em meados de 2015, Sarri sofreu muitas críticas (inclusive do grande ídolo napolitano, Diego Maradona) pelo fato de seus jogadores terem tido muita dificuldade em assimilar suas funções na nova sistemática da equipe. Depois de sofrer, principalmente na etapa defensiva, Sarri conseguiu consertar sua equipa, de modo a se lançar, nas próximas temporadas, a disputa do título do campeonato italiano.

Certamente veremos um Chelsea transformado, afinal houve uma mudança de metodologia gigantesca (passando de um Antonio Conte posicional, mas reativo, para um Maurizio Sarri também posicional, mas muito ofensivo e propositivo), porém dificilmente veremos um “tempo de adaptação” muito grande ao novo sistema, principalmente pela capacidade técnica individual dos jogadores. Entretanto, em Stamford esse problema de adaptação deve ser minimizado, pelo simples fato do elenco do Chelsea ser mais preparado mentalmente e individualmente para esse estilo de jogo. Com os jogadores que agora possui, o ex-bancário, tem tudo para se consolidar como uma das maiores figuras no cenário de futebol mundial.

Mas afinal, como jogam os times de Sarri?

     jorginho

A chave para o funcionamento das equipes de Sarri está no passe. Desde a saída de bola até a chegada ao gol adversário, tudo passa pelo passe certeiro e objetivo de seus jogadores. E vemos, o ítalo- brasileiro, Jorginho, como o principal representante dessa filosofia. O volante, que inclusive foi objeto de desejo de Pep Guardiola nessa janela, agrega todos os fatores necessários para fazer funcionar as engrenagens de todo o sistema de Sarri dentro de campo. Com uma visão de jogo privilegiada, Jorginho, dita o ritmo do meio-campo com passes e lançamentos perfeitos, movimentações como terceiro homem para quebrar a pressão adversária, inteligência para articular as linhas de marcação e funcionar como motor do meio, entre vários aspectos essenciais a um típico volante distribuidor.

A partir desse 1º jogador de meio podemos facilmente perceber como vai se comportar a equipe nos outros setores. Em etapa defensiva é comum ver os times “sarristas” atuar em bloco alto-médio praticando muito a pressão pós-perda da bola, para dar reinício a circulação da bola entre os interiores e 1º volante.  Na Premier  League isso deve se alterar um pouco, devido a alta qualidade dos adversários. Devemos ver o Chelsea se defender em bloco baixo também, e aí está outra carta na manga de Maurizio. Ao voltar para se defender em seu próprio campo, os times de Sarri costumam congestionar o meio de campo, liderados sempre pelo 1º homem de meio, de modo a fazer com que os adversários utilizem ao máximo as laterais do campo, de maneira com que o bote dos defensores fique facilitado.

E, finalizando, partimos para a etapa ofensiva: por serem, equipes muito associativas e verticais, normalmente, as vemos em transição ofensiva, mas sempre com uma superioridade tremenda, devido a compactação de seus setores em todas etapas (defesa, transições e ataque). Assim, em contra-ataques, por exemplo, sempre há situações de 4v2 ou até mesmo 5v2, justamente pelo fato de ser um time ditado pelo 1º homem (Jorginho) que ativa os interiores, extremas e centroavante para associações em progressão veloz e rápida finalização.

Abaixo um esquema exemplificando um pouco mais do funcionamento ofensivo dos times de Sarri:

chelsea

Normalmente, Jorginho se firma entre os zagueiros para começar a distribuição da bola, mas com muita liberdade para se movimentar. Os extremas caem por dentro, proporcionando superioridade numérica, enquanto os laterais oferecem amplitude e avançam com muito campo aberto. No Chelsea devemos ver muito isso, devido a grande aptidão ofensiva dos laterais (talvez, tirando Azpilicueta).

Enfim, o Chelsea ainda passará por inúmeras mudanças até o fim da janela de transferências. Inclusive, a chegada de Jorginho, pode ser um indicativo da saída de Kanté da equipe londrina. Não sabemos. Nos resta agora esperar para ver quem chega (especulações em torno de Golovin e Rugani surgem todos os dias) e quem sai. Mas a certeza é que veremos uma equipe muito competitiva, forte mentalmente e, esteticamente, muito bonita de se ver jogar. Esse deve ser o Chelsea de Sarri.

Imagens: Getty images

@jvcardoso05

Anúncios

3 comentários sobre “O que esperar do Chelsea de Sarri?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s