A experiência de Pékerman versus a juventude de Southgate: PRÉ-JOGO DE COLÔMBIA X INGLATERRA

Por Daniel Klabunde e Felipe Holanda

É comum no futebol o confronto de treinadores mais experientes contra os mais jovens em jogos decisivos. E é exatamente neste roteiro que a Colômbia do longevo José Pékerman, de 69 anos, e a Inglaterra do “novato” Gareth Southgate, de 47, se enfrentam em Moscou pela última vaga nas quartas de final da Copa do Mundo de 2018. Quem leva a melhor neste duelo de extremos?

Por registro, a Colômbia de Pékerman viveu na primeira fase o oposto ao que passou a equipe de Southgate. Os Cafeteros só garantiram a vaga no mata-mata na última rodada do Grupo H, quando venceram Senegal pelo placar mínimo. Já os Three Lions se asseguraram nas oitavas após uma sonora goleada por 6×1 no Panamá, ainda na segunda rodada do Grupo G, com três gols de Harry Kane.

Apesar de terminar no topo de sua chave (os ingleses ficaram com a segunda colocação), a Colômbia chega às oitavas de final em xeque. Isso porque James Rodríguez, com dores muscalres, é dúvida. Sem seu camisa 10, a equipe de Pékerman já demonstrou várias dificuldades de construção e organização de jogadas.  Além do talento natural do craque, os Cafeteros perdem muito taticamente sem James. Ele pode fazer a função de criação, formando uma dupla com Quintero. O que melhora consideralvemente a qualidade do passe colombiano.

narcosCom James e Quintero, Pékerman tem à disposição dois “camisas 10” (Reprodução/Football Bloody Hell).

Outra ótima alternativa com James são os contra-ataques. Saindo da defesa, por vezes, a Colômbia usa um 3-2-4-1, com o camisa 10 sendo a “cabeça pensante” e as subidas de Cuadrado pela direita do ataque como grande trunfo. A disposição tática foi vista na contundente vitória por 3×0 em cima da Polônia, ainda pela primeira fase.

narcos1Colômbia saindo para contragolpe no 3-2-4-1 (Reprodução/Football Bloody Hell).

A maior da hipoteses, porém, é que James inicie o confronto diante dos ingleses no banco de reservas. Sem ele, Pékerman deve optar por Muriel, que foi o substituto do camisa 10 contra Senegal. Outra possibilidade é colocar Uribe aberto na esquerda e Lerma fazendo dupla de volantes com Carlos Sanchez, o que torna a equipe mais protegida na defesa.

Do outro lado, o time Inglês chega às oitavas de finais do mundial com confiança pelas boas vitórias, mas ainda com uma certa desconfiança por parte de torcedores e imprensa, muito pelos times considerados mais fracos que enfrentou na fase de grupos (Tunísia e Panamá). Agora chegou a hora de realmente demonstrar se o esquema com três zagueiros e Henderson responsável pela distribuição das bolas irão funcionar, contra um adversário forte e que tem vários jogadores com capacidade para decidir uma partida.

Como a Colômbia deve explorar o meio de campo, com uma trinca de meias, a Inglaterra precisa dar outro exemplo de aplicação tática. Principalmente de Lingard e Dele Alli para auxiliar os laterais Young e Trippier na marcação, e ainda ajudar na transição rápida da defesa para o ataque, forma de jogar que os ingleses realizaram muito bem nos jogos do Grupo G e também em seus amistosos pré-Copa.

Os ingleses iniciam no esquema 3-1-4-2 quando estão atacando, utilizando muito Henderson na frente da zaga, jogador com maior qualidade no passe dentre os jogadores do grupo, e também já acostumado a essa função no Liverpool, clube que atua na Premier League, e este possa ser o maior trunfo dos Three Lions, utilizando os seus lançamentos precisos para encontrar os atacantes entre os zagueiros.

klabumEsquema inicial utilizado pela Inglaterra em momento de ataque.
klabum.jpg1Mapa de passes da seleção Inglesa contra Panamá, podemos ver a importância de Henderson na distribuição das jogadas.

Seu sistema defensivo é formado por um 5-3-2, com os laterais se juntando aos zagueiros e os meias à Henderson, deixando Kane para recuperar a segunda bola em caso de rebote de um cruzamento, protegendo-a e lançando para Sterling utilizar a sua velocidade em contra-ataque.

Mas o que os Ingleses vem executando muito bem é a pressão pós perda de posse ainda no campo de ataque, convertendo na maioria das vezes em gol para o time da terra da Rainha. E isto já se inicia com Harry Kane, o furacão Kane como é chamado, já possui 5 gols nesta copa, muitas vezes poderão achar que ele não está participando do jogo, mas é o primeiro a dar o combate na defesa adversária no momento de perda de posse, ou até mesmo no momento posicional de defesa quando a Colômbia estiver com a bola, não será nenhuma surpresa se Kane executar perseguições a Quintero e James no meio campo, evitando a distribuição de bola Colombiana, assim como aconteceu no amistoso contra a Nigéria.

perseguiçãoPerseguição de Kane a Mikel, dificultando a saída de bola nigeriana em amistoso antes da copa.

Será um jogo bem movimentado no meio campo, com ambas equipes trabalhando bem a bola na intenção de encontrar seus atacantes, mas acredito que o time inglês utilizará muito o jogo aéreo aproveitando a estatura de seus jogadores.

@dktricolor e @holandareporter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s