Arriscando, Japão vai do bom início aos velhos problemas para chegar às oitavas de final: ANÁLISE TÁTICA JAPÃO 0x1 POLÔNIA

Por Leonardo Hartung

Ainda sem garantir a classificação às oitavas de final da Copa do Mundo, o técnico Akira Nishino surpreendeu na escalação: time misto com seis reservas iniciando o jogo decisivo contra a eliminada Polônia. A equipe estava disposta em 4-4-2 com Shinji Okazaki e Yoshinori Muto à frente no ataque.

Do outro lado, a Polônia não tinha o que perder e foi para o jogo com cinco alterações em relação ao jogo contra a Colômbia. Adam Nawałka deixou o esquema com três zagueiros para retornar ao 4-2-3-1 utilizado na estreia contra Senegal.

O início de jogo mostrou uma Polônia ficando mais com a bola, mas se expondo aos rápidos contra-ataques japoneses. Gotoku Sakai, Muto e Okazaki assustaram a defesa polonesa. Grzegorz Krychowiak, o mais acionado no meio-campo polonês, era constantemente vigiado por Okazaki e Muto. A estratégia de Nishino estava funcionando.

O Japão manteve a sua saída de bola padrão com a dupla de meias auxiliando os dois zagueiros, fosse em saída de três ou com os meias apenas se aproximando. Desta vez, Tomoaki Makino, Maya Yoshida, Gaku Shibasaki e Hotaru Yamaguchi formavam o quarteto da saída de bola com os laterais Hiroki Sakai e Yuto Nagatomo gerando amplitude mais à frente no campo de jogo.

JAPON

O jogo ficou morno após intenso início japonês. A Polônia terminou com mais posse de bola e Kamil Grosicki quase abriu o placar em cabeçada defendida brilhantemente por Eiji Kawashima, mas o 0x0 permaneceu no placar e com o Japão defendendo muito bem a sua área. O quase gol de Grosicki foi a única finalização no alvo que a Polônia deu em 45 minutos.

Mas o jogo mudaria aos 12 minutos do segundo tempo. Rafał Kurzawa cobrou falta, a defesa japonesa cochilou e Jan Bednarek passou como quis no meio de três advesários para abrir o placar sem ser incomodado (imagem abaixo).

kuwarza

Precisando do resultado para se classificar, o Japão foi obrigado a sair para o jogo. Mas qualquer exposição poderia ser fatal. Tudo se inverteu e agora eram os poloneses quem tinham os contra-ataques. Na melhor oportunidade, Robert Lewandowski perdeu uma chance clara de gol frente a frente com Kawashima.

Se expondo ao subir para o ataque, o Japão novamente mostrou os seus tradicionais problemas para proteger a sua própria área. Cinco das seis finalizações polonesas no segundo tempo foram dentro da área japonesa. No ataque, mais (velhos) problemas. Os comandados de Akira Nishino mostraram a ineficiência do período pré-Copa no segundo tempo e não acertaram o alvo nenhuma vez em cinco finalizações.

Preocupado com as investidas polonesas, Nishino sacou Muto e colocou o capitão Makoto Hasebe num 4-1-4-1. O Japão parou de jogar e a Polônia também. O placar permaneceu 1×0 e os japoneses retornam às oitavas de final da Copa do Mundo após oito anos.

@HartungLeo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s