MANTENDO UMA NOVA FORMA DE JOGO  – Análise tática Internacional 2 x 1 Corinthians

Por Luiz Martins

Em um momento que o país encontra-se em dificuldades, um suspiro de alívio e felicidade, pairou em uma tarde de Domingo, dentro do Estádio Beira-Rio.

Com a força da torcida, jogando contra a equipe do Corinthians um de seus maiores rivais a nível nacional e um dos melhores times do Brasil no mínimo a 2 temporadas, o Inter conseguiu uma vitória importantíssima, visando o restante da temporada.

Esta vitória não apenas é importante como resultado, mas também, visando o desempenho da equipe, que demonstrou evolução, pós jogo contra Chapecoense .

Neste jogo, notou-se que as transições (defensiva e ofensiva), foram muito bem utilizadas, no intuito de sempre buscar o gol, mesmo que desde o início do jogo o placar estivesse a favor do adversário.

A proposta utilizada de pressionar a saída de bola adversária, utilizar passes longos e cruzamentos, para ganhar a segunda bola com o centroavante, surtiu efeito positivo, consagrando a entrega dos jogadores, com o placar de 2-1. Mesmo que o segundo gol tenha ocorrido em uma falha do lateral corintiano, a equipe sempre levou perigo a meta adversária.

O jogo, além do fator anímico, consolida o entendimento da equipe e comissão, na aposta de um modelo de jogo mais direto, apostando na força física e rápida transição entre defesa e ataque. Este é o modelo que melhor casa com as características de hoje da equipe, visando o restante da temporada.

Outro ponto identificado é que com as 2 vitórias em sequência, a dependência incessante, na utilização de D´alessandro, mostra sinais de que pode estar no início de seu fim.

Análise do Jogo

 

int 1


Primeiramente destaco o posicionamento médio da equipe, que neste jogo, se postou em um 4-3-3, utilizando bastante os pontas por dentro, se juntando ao centroavante no momento ofensivo e aos meio campistas, no momento de construção de jogadas, muito por falta de um meia armador.

 int 2

A posse de bola é outro destaque da equipe. Desde o início da partida, o Inter tomou a iniciativa do jogo, tendo 59% de posse de bola em todo o jogo.  Notasse na imagem abaixo, que nos primeiro trinta minutos de jogo, a equipe Corintiana, entregava a bola ao Inter, por estar com o placar a seu favor, mas em contra partida, Inter realizou muito mais tentativas de ataque ao adversário, tendo realizado 8 chutes, contra a defesa adversária.

A equipe criou muitas jogadas, possuía volume ofensivo, mas era inoperante, diante da sólida defesa corintiana, e em muitas situações apostando muito em bolas cruzadas.

int 3

Consequentemente, Inter trocou mais passes, tendo um total de 574 e sendo preciso em 504. Isso refere-se a 88% de passes corretos. Corinthians obteve, 85% (480/406). Além dos passes em dribles equipe possui uma efetividade regular, conseguindo 58% de acerto (43/25).

Todo esse volume ofensivo no primeiro tempo não resultou em finalizações a gol e isso deve-se muito em função de o time ter tido a falta de um jogador que centralizasse o jogo, controlando a bola e também flutuasse entrelinhas adversárias, buscando desequilibrar a marcação adversária. Outro ponto é um jogador com melhor controle de bola, na função de Edenílson, que é um jogador que gosta de atacar o espaço e não possui a criação como sua principal característica.

int 4Falta de um jogador entrelinhas adversárias.

 

Neste ponto, Odair verificou estas carências e incluiu Nico López, primeiramente, pra ocupar este espaço e de uma combinação entre Edenilson, Nico e Lucca, Damião recebe um cruzamento e finaliza a gol.

Após o gol, Odair fez uma nova leitura da partida e vendo que alguns jogadores estavam cansados, trocou Pottker por Rossi, ganhando melhor profundidade e recomposição pelo lado, porque a alguns jogos Pottker não vem bem, parecendo desgastado fisicamente e optou por retirar Lucca, que se desgastou, e colocar Juan Alano, com isso ganhando uma opção de controle de bola no meio-campo, pra segurar a bola mais no ataque.
Desta forma a equipe conseguiu virar o placar e sair com a vitória.

Já na parte defensiva, mesmo tendo sofrido um gol, em uma falha individual, a equipe postou-se bem , não correndo muitos riscos, mantendo seu padrão defensivo, mesmo utilizando o zagueiro reserva Klaus, no lugar de Victor Cuesta Suspenso. Desta forma Rodrigo Moledo foi deslocado para o lado esquerdo, mas em diversas situações alternava posicionamento com o reserva, até porque Moledo saia em algumas situações a caça dos adversários, deixando Klaus na sobra.

Mais um jogo em que a dupla de Rodrigos (Dourado e Moledo), teve ótima participação defensiva, realizando desarmes e interceptações em momentos importantes do jogo, além de auxiliar a equipe também na parte ofensiva, principalmente Rodrigo Dourado, que cada vez mais se torna um líder do time.

int 5

Equipe ao se defender, baixava os pontas para a linha dos 2 meias, fechando espaços no 4-1-4-1, além de realizar algumas perseguições individuais, visando não dar espaços ao adversário.

Outra questão interessante visualizada é que na saída de bola, equipe busca sempre pressionar o portador da bola e fechar linhas de passe, sufocando o adversário e o impossibilitando de progredir no campo.

int 6

Este tipo de aspecto vem se tornando cada vez mais recorrente, sendo algo que aos poucos vai se tornando um padrão da equipe. Com este tipo de abordagem, o time conseguiu 13 recuperações de bola no campo adversário, em um total de 60. Número bastante expressivo, se compararmos com o número de contra-ataques realizados (14 ao total).

Que após este bom jogo e esta mini sequência de vitórias, a euforia seja controlada, que a utilização desse tipo de jogo seja mantida, respeitem todo o trabalho da comissão, para que o time possa demonstrar mais confiança e qualidade, para sua torcida, visando tanto a permanência na série A, quando quem sabe voos maiores em um futuro próximo.

Destaque da Partida

O jogador destaque da partida, fica por conta de Patrick, que é a grande contratação da temporada colorada, até o momento.

Neste jogo ele soube desempenhar bem a função que lhe foi concebida, sendo o motorzinho do time. Realizou diversos desarmes, dribles e carregou a equipe a frente, sempre envolvendo seus companheiros, para buscarem o ataque a área adversária a todo o instante.

Após substituição de Iago, foi deslocado para a lateral esquerda, mantendo o seu desempenho, no auxílio defensivo.

int 7

@junomartins

Anúncios

Um comentário sobre “MANTENDO UMA NOVA FORMA DE JOGO  – Análise tática Internacional 2 x 1 Corinthians

Os comentários estão desativados.