EVOLUINDO, VENCENDO E CONVENCENDO – Análise tática de América 1 x 3 São Paulo

Por Pedro Galante

O São Paulo venceu o América em uma excelente partida. As duas equipes mantiveram uma intensidade muito alta ao longo dos noventa minutos e jogaram muito bem dentro das suas propostas.

O América tinha 100% de aproveitamento até então, e o tricolor ainda não tinha vencido fora de casa no comando de Aguirre. Além da quebra desses tabus, outro motivo que engradece essa vitória é que o time teve uma atuação excelente, mantendo suas virtudes e corrigindo os erros. É uma partida para ilustrar a evolução da equipe.

O jogador que melhor personifica essa evolução é sem dúvidas Diego Souza. No início do trabalho de Aguirre ele estava em baixa, não conseguia desempenhar a função de centroavante. O clube chegou a cogitar a possibilidade de negociá-lo, mas Aguirre apostou na sua recuperação. Aos poucos ele foi sido inserido no time titular, e tendo uma função mais móvel, conseguiu contribuir muito para o time. É hoje o artilheiro do time na temporada e no Campeonato Brasileiro.

Outro jogador fundamental nesse processo é Everton. O meia esquerda chegou do Flamengo e é titular absoluto. Sempre dando opção de passe em profundidade, ajudando na recomposição, e usando o drible para abrir espaços, Everton tem ajudado muito o São Paulo.

sp 1Lance do primeiro gol do São Paulo. Diego Souza faz o pivô para Nenê, e na sequência Everton dá opção em profundidade. (Foto: Premiere/ Pedro Galante)

Apesar de jogar bem o São Paulo sofreu em alguns momentos. O América concentrava seus jogadores no lado do campo, principalmente do lado direito do seu ataque. Em inferioridade numérica, Reinaldo teve dificuldade para marcar aquele setor.

As principais dificuldades do São Paulo tem sido recuar sem chamar o adversário, e conseguir contra-atacar com velocidade. Contra o América, o time foi perfeito nos dois aspectos. A linha de defesa se manteve alta, mesmo quando o time estava ganhando. E a pressão na saída de bola do time mineiro foi constante, mais uma vez é preciso destacar a participação de Hudson nesses momentos.

sp 2Momento de pressão na saída de bola do América. (Foto: Premiere/ Pedro Galante)

Quanto aos contra-ataques, o time conseguiu criar vários – o primeiro gol saiu em uma jogada de contra-ataque. O grande responsável por isso é Nenê, que foi o melhor jogador em campo. Nenê teve liberdade para atuar por todo campo, por isso a bola sempre passava por seus pés. Quando não era ele fazendo lançamentos para pegar a defesa adversária desprevenida, ele estava dando opção de passe longo para quem estivesse com a bola.

sp 3

Mas é importante destacar que Nenê só teve essa liberdade toda pois Araruna jogou como uma espécie de ponta-volante, mesmo escalado pelo lado, ele dava apoio na marcação por dentro, gerando superioridade numérica.

É difícil para a torcida conter a empolgação após duas boas vitórias e um futebol convincente. Mas é preciso manter os pés no chão. O São Paulo, repito, deve se preocupar em somar quarenta e cinco pontos que o livrem do rebaixamento.

@pedro17galante

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s