AZAR ACOMPANHADO DE DERROTA: Análise pós-jogo de Real Madrid 3×1 Liverpool

Por Daniel Klabunde

Tudo se encaminhava bem para o Liverpool na final da Champions League, marcação alta, perde pressiona funcionando bem, 7 conclusões a gol contra apenas 2 do Real Madrid, os Reds imprimiam seu jogo contra os merengues com sua marcação alta com muita intensidade e realizando o que melhor sabem executar, transição rápida para o ataque. Suas linhas bem adiantadas e compactadas faziam com que o Real errasse muitos passes, cedendo assim contra-ataques para os reds.

liv 1

Com a bola os homens de ataque do Liverpool se movimentavam muito, sendo muito apoiados pelo trio de meio campo, Henderson, Wijnaldum e Milner, que revezavam as subidas para o ataque, fazendo com que a zaga merengue desse muitos espaços por conta da grande movimentação. Por muitas vezes era possível notar uma certa desatenção, ou até mesmo sentir que os jogadores do Real pareciam meio perdidos no jogo, tamanha intensidade que o Liverpool imprimia na partida. Assim o Liverpool criava muitas oportunidades de gol e não corria riscos na defesa.

liv 25 jogadores do Real cercando a bola mas nenhum dá o combate, cedendo espaço para Wijnaldum pensar a jogada e Firmino e Robertson avançarem no espaço vazio.

Até que uma falta no meio de campo de Sérgio Ramos em cima de Salah aos 28 minutos da primeira etapa fez o egípcio sentir o ombro esquerdo e tirando o jogador da partida, a partir daí o jogo muda radicalmente, mexendo na parte anímica do time, claramente se notava que os jogadores sentiram a “dor” de Salah por sair da partida.

No lugar de Salah entra Lallana, ótimo jogador, mas que havia atuado em apenas 14 partidas na temporada por conta do alto número de lesões que sofreu. Na minha opinião Klopp deveria ter colocado Solanke no lugar do egípcio (escrevi um Twetter sobre isso), por entrosamento, ritmo de jogo e por abrir a alternativa de deslocar Firmino para o lado esquerdo ou até mesmo para o meio como no jogo contra o Brighton na última rodada da Premier League (falamos sobre esse esquema no pré-jogo).

liv 3

liv 4

O time de Liverpool sentindo o desfalque e a falta de ritmo de Lallana, começa a recuar as suas linhas e começa a ceder espaços para o Real Madrid, que melhora no jogo levando mais perigo para o goleiro Karius. Logo após a saída de Salah o Liverpool começa a se defender no 4-4-2 em seu campo, não exercendo mais a habitual pressão em cima da defesa merengue, sendo assim, dando espaço para que Kroos e Modric comecem a pensar o jogo.

liv 5

E com a bola chegando à estes dois jogadores, o poder ofensivo é muito maior para o Real, tanto que no fim desta jogada acima, Benzema cabeceia para fazer o gol mas é anulado por impedimento, e o Real criou mais depois da saída de Salah do que nos 30 minutos em que o egípcio estava em campo, como podemos ver neste gráfico de pressão.

liv 6Fonte: SofaScore

No segundo tempo as duas equipes voltaram da mesma forma, Real realizando maior pressão e Liverpool novamente mais recuado, tanto que aos 5 minutos Benzema marca para o Real em uma reposição de bola infeliz de Karius, conhecem a expressão “A pressa é inimiga da perfeição”?, exatamente o que aconteceu, Karius queria dar velocidade na reposição de bola e tentou tocar por baixo para Lovren, e Benzema só esticou a perna para tocar na bola e ela entrar vagarosamente no gol.

O Liverpool conseguiu reagir logo aos 9 minutos, mas não mudou a sua forma de jogar, deixando o Real pensar o jogo e tentando jogar de forma reativa, mas não pressionar a defesa merengue deixando Kroos e Modric com a bola, é ter a certeza que irão sofrer na defesa. A defesa de Liverpool, sempre tão criticada, neste jogo esteve muito bem, Arnold, Lovren, Van Dijk e Robertson foram muito bem na partida, não comprometeram em nenhum momento, apenas Karius em dois lances decidiu o jogo para o merengues, um deles foi um frango em chute de Bale de muito longe, este que entrou para decidir a partida, com mais um golaço de bicicleta.

A saída de Salah e entrada de Lallana foram preponderantes para a virada de domínio do jogo, pois Real Madrid já não sofria mais a pressão em sua defesa, e eu digo entrada de Lallana pois ele não está na mesma intensidade do resto do time, a entrada de Solanke poderia ter mantido este domínio do início do primeiro tempo, com Firmino atuando em sua posição de origem que é o meio campo, ou até mesmo pelo lado do ataque.

Uma noite de azar para Salah, que veio acompanhada de derrota do Liverpool para o Real Madrid.

@dktricolor

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s