QUE VENHAM AS OITAVAS! Análise tática de Cruzeiro 2 x 1 Racing

Por Davi Magalhães

Em busca de uma vitória para garantir o primeiro lugar do grupo, o Cruzeiro começou o jogo marcando com suas linhas mais adiantadas para atrapalhar a saída de bola do Racing, com bastante intensidade. E essa marcação em campo rival, gerou resultado: dois gols em 11 minutos.

 cru 1Cruzeiro adiantando suas linhas de marcação para roubar a bola mais próximo do gol. Frame do: @caldas_icaro

Com a vantagem no placar, a equipe cruzeirense adotou uma proposta reativa, entregando a bola ao adversário e apostando em contra-ataques. Jogando no tradicional 4-2-3-1, com Robinho no lugar de Rafinha.

cru 2No momento defensivo, o Cruzeiro marca em duas linhas de 4. Se posta no 4-4-2 sem a bola. Na imagem, Sassá fica mais adiantado para receber uma bola esticada quando o time roubar a bola. Frame do: @caldas_icaro

Com Robinho atuando como extremo-direito, o Cruzeiro ganharia em qualidade técnica, qualidade de passe, mas perderia muito no momento defensivo. Rafinha faz muita falta na recomposição defensiva e na transição ofensiva.

cru 3Robinho não se alinha aos companheiros para formar a segunda linha de marcação. Repare como o Lucas Romero fica sobrecarregado pela direita.

A partir do 20 minutos de jogo, o Racing começou a impor seu jogo ofensivo. Principalmente pelos lados do campo, a equipe argentina incomodou muito a equipe cruzeirense com os avanços.

cru 4Egídio e Romero sofreram com os avanços do Racing pelos lados. Arrascaeta e Robinho não ajudavam muito na recomposição defensiva, deixando os laterais sobrecarregados.

A aposta da equipe de Mano Menezes em contra-ataques era válida pelo fato do Racing jogar com suas linhas muito altas, deixando espaços para a equipe cruzeirense contra-atacar.

cru 5Robinho puxa o contra-ataque. Meia inicia o contra-ataque antes do meio-campo. Cruzeiro sendo vertical, com poucos passes chegando na área em condições de finalizar.
cru 610 segundos depois, Robinho entrando na área para finalizar o cruzamento. Cruzeiro tem um contra-ataque fatal. Jogadores tocam a bola e já procuram se posicionar para receber a bola.

O primeiro tempo acabou com o Cruzeiro sofrendo com as investidas do adversário pelos lados do campo. A recomposição ruim dos seus extremos (Arrascaeta e Robinho) permitia o Racing explorar muito os lados do campo. A equipe argentina teve 64% de posse e finalizou 5 vezes no primeiro tempo. O Cruzeiro após os dois gols marcados apostava em contra-ataques, finalizou 7 vezes, 5 de dentro da área, aproveitando o espaço que o adversário deixava.

O segundo tempo começou como terminou o primeiro. Com um Racing propondo o jogo e atacando pelos lados do campo.

 cru 7Robinho e Arrascaeta não se alinham a Lucas Silva e Henrique para formar segunda linha de marcação e sobrecarregam os dois laterias (Egídio e Lucas Romero). Que sofreram muito com os ataques do rival pelos lados.

A equipe de Mano continuava adotando a mesma estratégia, ser letal nos contra-ataques. Mano Menezes gosta de um time agressivo no último terço do campo, com muita movimentação dos jogadores, ocupação de espaços e finalização após rápida troca de passes.

cru 8Thiago Neves (muito importante na transição) puxando a marcação para que Sassá receba a bola de Arrascaeta, que puxou o contra-ataque.

Como era esperado, Thiago Neves não aguentou jogar os 90 minutos de jogo e acabou deixando o campo após boa partida. Além do gol, Thiago foi muito importante nas transições ofensivas. Rafael Sóbis entrou em seu lugar para ajudar na recomposição defensiva da equipe.

Ainda que a equipe não sofresse mais tanto quanto na primeira etapa com as investidas do adversário pelos lados, Mano colocou Bruno Silva no lugar de Robinho para fortalecer o lado direito.Com essa nova configuração, Sóbis foi atuar pela esquerda e Bruno pela direita, ajudando os laterais na marcação.

cru 9Arrascaeta mais á frente, sem responsabilidade de recompor pela esquerda. Uruguaio atua melhor assim, sendo fundamental nos contra-ataques, podendo chutar ao gol adversário ou deixar um companheiro na cara do gol. Na imagem, Arrascaeta se alinha com Raniel, que entrou no lugar de Sassá.
cru 10Arrascaeta, que fez boa partida, deixando Raniel na cara do gol.

O Cruzeiro acabou o jogo com 13 chutes no gol, sendo muitas dessas finalizações criadas através de contra-ataques. Um deles criado em ótimo passe de Henrique, que ao lado de Lucas Silva fez ótima partida. Mais uma boa partida dos dois meio-campistas, que têm sido muito importantes no momento atual da equipe. Principalmente, Lucas Silva, que após sua entrada no time titular o rendimento da equipe melhorou muito, consequentemente trazendo bons resultados.

@magalhaesDavi_

 

Anúncios

Um comentário sobre “QUE VENHAM AS OITAVAS! Análise tática de Cruzeiro 2 x 1 Racing

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s