MANO MENEZES NÃO É SÓ DEFENSIVO – Análise tática de Atlético PR 1 x 2 Cruzeiro pela Copa do Brasil

Por Davi Magalhães

Mano Menezes é um treinador conhecido por montar ótimos sistemas defensivos. Muitas equipes comandadas por Mano eram reativas, marcavam atrás da linha da bola e gostavam explorar os espaços deixados pelo adversário através de contra-ataques.

No Cruzeiro, Mano também montou um time muito organizado no momento defensivo, um time que sabe reagir e se defender. O time se defende com duas linhas de quatro bem compactas para não dar espaços ao adversário e procura encaixar contra-ataques quando retoma a bola.

Contra a equipe de Fernando Diniz, o Cruzeiro sabia que encontraria uma equipe que gosta de ter a bola, uma equipe ofensiva. Nenhum problema para a equipe de Mano, que fica muito confortável se defendendo, sabe muito bem se postar em duas linhas de quatro e negar espaços ao adversário. E foi justamente assim que começou a partida. A idéia de Mano é que o time seja equilibrado e atue compacto, com todos os jogadores participando do momento defensivo. Para ele a defesa não é responsabilidade dos jogadores mais recuados. Todos participam e ajudam.

cru 1Cruzeiro se defendendo no 4-4-2, negando espaço ao Atlético de Diniz. Exercendo uma marcação pressão média, começando a marcar a partir do meio-campo.

Porém, se engana quem pensa que o Cruzeiro de Mano Menezes sabe apenas reagir, se defender no seu próprio campo. O treinador sabe que conta com jogadores que possuem muita qualidade técnica, um bom passe e que pode muito bem propor o jogo. Sair jogando desde a defesa, procurar atacar por meio de triangulações pelos lados do campo, aproximações para conseguir criar chances de gol.

Após um início de jogo onde a equipe mandante teve mais a bola, o Cruzeiro também procurou propor o jogo. Com a bola o Cruzeiro contava com dois meio-campistas (Henrique e Lucas Silva) ajudando muito na sua saída e procuravam sempre dar opção passe aos companheiros.  Assim a equipe cruzeirense fez um bom jogo, alternando momentos com e sem bola, onde o equilíbrio era fundamental.

No primeiro tempo, ainda que não tivesse muito volume de jogo, foram 6 finalizações, 4 de dentro da área. No momento ofensivo, Robinho atuava como extremo-armador pela direita, saindo da direita em direção ao meio para ajudar na construção do jogo, principalmente para se aproximar de Sassá, Rafinha e Arrascaeta, que jogou por dentro, flutuando, recuando para ajudar Henrique e Lucas Silva na construção do jogo. Sempre que os dois associavam, o Cruzeiro dava prosseguimento ao ataque e conseguia criar uma oportunidade de gol.

cru 2Na imagem, Robinho saindo da direita para o meio, Lucas Silva se oferecendo como opção de passe e Arrascaeta infiltrando.

Mesmo fazendo um bom primeiro tempo, o Cruzeiro sofreu um gol em cobrança de falta. A partir daí, o Cruzeiro adiantou suas linhas de marcação e começou a pressionar a saída de bola do Atlético. Marcação pressão alta, que continuou na segunda etapa, equipe cruzeirense começou a segunda etapa como terminou o primeiro tempo, pressionando a saída de bola adversária. E deu muito certo. Cruzeiro criou dificuldades ao time de Diniz, pois era muito intenso sem a bola e não deixava a equipe atleticana controlar o jogo.

cru 3Cruzeiro marcando no campo de ataque. Marcação adiantada da equipe deu muito certo.

Com isso era superior na partida, pois era muito agressivo sem a bola. Já com a bola buscava girar o jogo com os jogadores se movimentando para dar opção de passe ao portador da bola e infiltrando no espaço vazio. O gol parecia questão de tempo e o gol veio em chute de fora da área de Henrique.  O empate era merecido pela boa partida cruzeirense. Atuando como Mano gosta, intenso com e sem a bola, uma equipe muito equilibrada. No segundo tempo, a equipe celeste 7 vezes, 3 de dentro da área.

Após o gol de empate o time cruzeirense continuou marcando no campo de ataque, com as linhas de marcação adiantadas. Porém, quando a bola passava do meio de campo a equipe marcava com duas linhas de quatro baixas, próximas ao gol de Fábio e deixava o centroavante (Sassá e depois Raniel) adiantado na intermediária ofensiva para receber uma bola esticada quando a equipe roubasse a bola. Isso tem sido um padrão, quando a bola passa do meio-campo, o Cruzeiro se defende com 9 jogadores, deixando o centroavante adiantado. E assim que veio o gol da virada, em uma bola esticada para Raniel.

cru 4Na imagem, 9 jogadores do Cruzeiro em seu campo de defesa. Somente Raniel fica no campo de ataque. O objetivo é fazer com que assim que o time roube a bola, estique bola para o atacante. Além de fazer com que o atacante segure a marcação, não deixa o adversário encurralar o time, colocando os 10 jogadores no campo de defesa cruzeirense.

A vitória coroou a boa atuação da equipe. Uma atuação no melhor estilo Mano Menezes, com um time intenso, organizado, efetivo tanto com e sem a bola. Onde todos participam no momento defensivo e ofensivo.

@magalhaesDavi_ do @PoucaMid_MtFut

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s