NA VILA BELMIRO, QUEM MANJA DO “PARANAUÊ” É O PEIXE! Análise Tática de Santos 3 x 1 Paraná

Por Charlton Júnior

Santos e Paraná se enfrentaram no último domingo no Santuário Santista, a Vila Belmiro e o Alvinegro Praiano fez valer toda a tradição do seu estádio, todo o seu investimento, e toda a sua posição de clube grande no cenário do futebol brasileiro e mundial. Pensando no clássico do próximo domingo contra o São Paulo, alguns jogadores foram poupados por Jair Ventura, uns por desgastes e outros por problemas clínicos leves, então, a equipe do jogo contra o Luverdense se repetiu, inclusive o seu tradicional 4-3-3 que ao que parece, o comandante santista entendeu que esse é o esquema que “cai como uma luva” para o Santos.

De início, já mostraremos o motivo pelo qual o Santos obteve um bom controle de jogo (sobretudo no segundo tempo), a postura, na verdade a mudança dela, o Jair Ventura parece ter absorvido as críticas e refletiu-as em campo da forma que a torcida quer ver, jogando de forma ofensiva e até mais organizada. É notória ainda a dificuldade do Santos em praticar esse futebol mais coeso, mas, acredito que seja pela falta de execução do mesmo e muito por culpa dele.

santos 1Com base na média de posicionamento, o Santos jogou praticamente no campo do Paraná (mesmo que nem sempre oferecendo perigo), a mudança de postura (dominadora) foi um fator determinante para dar este controle de jogo.

1º TEMPO x 2º TEMPO – O CHOQUE ENTRE DOIS SANTOS DIFERENTES

Assim como no jogo contra o Luverdense onde destacamos em que houveram dois Santos diferentes no mesmo jogo, no último domingo aconteceu a mesma coisa, vamos esclarecer alguns detalhes colocando frente-a-frente os “dois Santos”.

No primeiro tempo, o Alvinegro teve domínio em alguns aspectos do jogo em que para o comandante Santista parece ser fundamental, aspecto esse, a posse de bola, 60,47% ao fim do primeiro tempo (em alguns momentos o Santos chegou a ter 70% de posse), a equipe rodava por demais a bola (foram 291 passes trocados) em busca de espaços, geralmente pelos flancos, tendo em vista que a equipe do Paraná soube travar muito bem o jogo pela zona central, induzindo a equipe Santista a jogar pelos lados, resultado disto, foram 18 cruzamentos (sendo 13 deles errados), finalizações apenas 1, contra incríveis 5 do Paraná que era mais cirúrgico e soube aproveitar os espaços vazios (principalmente entre o meio e a defesa do Santos, no qual ficava um grande buraco, mostrando falta de compactação da equipe).

O time da Baixada parecia ainda não estar totalmente ligado e concentrado na partida, o que resultou em um primeiro tempo apático, de muita posse de bola e poucas oportunidades criadas, não teve nenhuma grande chance de gol no primeiro tempo.

santos 2Santos apresentou uma ligeira evolução no que tange ao aspecto jogo apoiado, muito defendido por Jair Ventura. Aproximação geralmente nos lados do campo, devido à dificuldade oferecida pelo Paraná pela zona central.

No segundo tempo o Santos “girou a chave” e abriu o placar logo no início, o que deu uma certa tranquilidade e fez com o Paraná buscasse mais o jogo e caísse numa armadilha que para muitos times é letal, o contra-ataque Santista. O Alvinegro deixou de ser aquele time burocrático de muitos passes, para ser um time mais vertical, essa postura adotada obviamente refletiu nos números e consequentemente no placar. O número de passes diminuiu (198), a posse de bola diminuiu (46,5%), os cruzamentos também diminuíram (6), as finalizações aumentaram (7) e os gols saíram (3).

O que podemos concluir diante disso, é que primeiro; o fator sorte pode também mudar o rumo da partida, visto que o gol do Santos foi antes do primeiro minuto de jogo e já quebrou a proposta de apenas se defender do Paraná; segundo, nem sempre a posse de bola massiva vai lhe render um bom desempenho, prova disso, é o choque dessas duas propostas na partida, que para o Jair teve o primeiro tempo como melhor e para muitos torcedores, o segundo tempo foi bastante superior, e terceiro; há sim possibilidade de jogar um pouco mais recuado sem sofrer tanto e ainda assim manter a partida sob controle.

santos 3Novamente a aproximação entre os jogadores com Victor Ferraz que voltou a atuar bem, cada vez mais “pisando na área” e oferecendo perigo ao adversário.
santos 4Marcação Santista bem encaixada no segundo tempo, dando poucos espaços para o Paraná e a única opção deles era o chute de fora da área, exceto o gol, geralmente os demais foram sem direção (apenas 1 finalização certa por parte do time paranaense).
santos 5Imagem mostra que a maioria das ações do Santos foram pelos lados do campo, confirma também um equilíbrio entre os dois lados, antes inexistente. A confiança no Victor Ferraz (pelo elenco e pelo treinador) parece maior.

CONCLUSÃO

O Santos não teve uma atuação brilhante, principalmente pelo futebol apático e burocrático do primeiro tempo, mas é interessante salientar a adaptação durante a partida para sair com o resultado positivo, com 2 gols do Gabriel Barbosa que voltou a mostrar o seu destemperamento já citado aqui no MW, simulou de forma “bizarra” um pênalti e colocou mais um cartão amarelo na sua conta. A sequência dessas duas últimas partidas trouxe um pouco mais de tranquilidade ao Jair Ventura que nas coletivas através da sua fisionomia, aparenta não estar satisfeito com o momento e traz um discurso até de superação da equipe, o grande teste virá contra a equipe do São Paulo no próximo domingo, vamos aguardar a postura do time Santista, no mais, é isso …

#AprendemosJuntos

@focosantos

Um comentário sobre “NA VILA BELMIRO, QUEM MANJA DO “PARANAUÊ” É O PEIXE! Análise Tática de Santos 3 x 1 Paraná

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s