SANTOS “REZATIVO” DE JAIR VENTURA – Pós Jogo Nacional 1 x 0 Santos

Por Charlton Júnior

 

Após mais uma partida tenebrosa do Santos fora dos seus domínios, o alvinegro viu o até então desesperado Nacional sair vencedor do confronto na noite da última terça-feira (01) no Estádio Parque Central, no Uruguai. O time da Vila Belmiro entrou em campo com o seu tradicional 4-3-3 (na teoria), com Alison, Léo Cittadini e Jean Mota como meio campistas, Rodrygo e Copete abertos (esquerda e direita respectivamente) e Gabriel Barbosa centralizado. Porém o que se viu na prática foi um 4-4-2 onde Jean Mota fazia a cobertura pelo lado esquerdo e Copete pelo lado direito, numa tentativa de anular o ponto forte do time uruguaio, as jogadas pelos flancos.

santos 1Imagem mostra o que seria a proposta de jogo do Santos para a partida

O Santos entrou em campo já sabendo que estava classificado, e aparentemente demonstrou um certo conforto no início da partida. Com uma mentalidade mais estruturada, o time preferia por manter suas linhas bem postadas, sem muita fluidez e assim tentar sair no contra-ataque, tendo em vista que o Nacional precisava do resultado para manter-se vivo na competição. A estratégia de Jair Ventura não funcionou.

No primeiro tempo, os Meninos da Vila foram completamente dominados pelo Nacional, que pressionava (colocando inclusive uma bola na trave) e o Santos só TENTAVA se defender, o que obviamente, é muito pouco para o time mais goleador da história do futebol.

santos 2As estatísitcas mostram o domínio do Nacional no 1º Tempo (Fonte: Sofascore)

Com o primeiro tempo muito abaixo por parte do time Santista, era esperado uma mudança de postura na equipe, para que a mesma resolvesse jogar futebol, o que de novo não aconteceu. A bola parecia queimar nos pés dos jogadores do Santos, eles não conseguiam manter uma sequência de 3 passes certos, era um deserto de ideias de um time desequilibrado taticamente, as maiores ações do Santos foi pelo esquerdo na dobradinha Dodô e Rodrygo (sem nenhuma aproximação dos meias), o lado direito com Daniel Guedes e Copete simplesmente inexistiu, pouco foram acionados, tornando um time totalmente previsível e novamente uma péssima partida do Gabriel Barbosa que não acertou absolutamente nada.

santos 3Scouts da ineficiência santista que só chutou ao gol uma vez durante todo o segundo tempo (Fonte: Sofascore)
 santos 4Imagem mostra como é “depressivo” até o pontapé inicial do time, David Braz tem 4 opções de passe, mas prefere o lançamento longo. Jogada ensaiada do Santos, não deu certo ainda este ano
 santos 5Imagem mostra a saída de bola do Santos, onde Dodô e Daniel Guedes dão amplitude para facilitar e dar mais opções, mas Alison prefere prender, perder a bola e gerar um lance de extremo perigo pro Nacional

Pela postura extremamente defensiva, o Santos sofreu o gol devido a uma falha coletiva de marcação, que foi da má sustentação das linhas até à desatenção dos zagueiros e do lateral Dodô que deixou livre o Leandro Barcia para abrir o placar.

santos 6Imagem mostra a liberdade que a defesa do Santos deu ao lateral Alfonso Espino, de modo que ele teve todo tempo para com extrema inteligência cruzar rasteiro (a bola corre toda grande área) para a chegada do Barcia por trás de Dodô e livre ele abre o placar

 Em suma, o Santos de Jair Ventura, não tem agradado em nada a sua torcida. Dentro de casa costuma apresentar um futebol sólido e fora tem mostrado um futebol pobre, sem ideias ofensivas, à base de ligação direta, com uma postura reativa, ou seria “rezativa”? Rodrygo é o grande destaque desse time, onde tem sido o principal desafogo Santista com suas jogadas brilhantes. Mas o Santos precisa de mais, Jair precisa extrair mais desse time. É inconcebível um time ficar dos 12 aos 47 minutos do segundo tempo, sem dar uma finalização ao gol. É inconcebível também mudar as características do time para tentar anular o ponto forte do adversário que eram as jogadas pelo lado de campo e ainda assim permitir 29 cruzamentos. Mostra que a sua estratégia de abdicar de jogar e focar apenas no outro time, não deu certo. Chega de apoiar-se na falta de um camisa 10. Ser treinador é achar alternativas para limitações no elenco, é uma obrigação, é a sua obrigação Jair.

@focosantos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s