ACOMPANHAMENTO ESTÁTISTICO DO BRASILEIRÃO 2018

Por Rafael Maciel

O Brasileirão começou, e cada ano que passa estamos mais inseridos em um oceano de dados de todas as fontes: sites, aplicativos, softwares, etc (Ver o excelente trabalho do meu amigo Luiz Doering).

Mas como podemos nos situar diante de tantos números? Como saber se a Posse de Bola da minha equipe vem sendo útil? Como medir se minha equipe troca muitos passes, porém poucos são com sentido de progressão? Como avaliar se minha equipe está com sua pontaria afiada no ataque? Será que o líder realmente vem apresentando “o melhor futebol”?

Buscando responder e dar luz à perguntas como essas, resolvemos propor um QUADRO RESUMO, onde detalharemos (rodada a rodada), quais equipes vem se destacando em determinados índices.

gft

Através do quadro, podemos notar alguns pontos importantes, como:

  • Corinthians além de liderar tabela, lidera o Index Whoscored e a taxa de Conversão de Gols;

  • Grêmio e Atlético-PR são as equipes que mais são mencionadas nesta tabela;

Estas equipes citadas, realmente são as que vem entregando o “melhor desempenho” no Brasil, nesta temporada. A seguir detalharemos cada uma dessas métricas:

  • GERAL: Métricas globais para referência.

 

  • Index de Desempenho: Valor qualitativo, referente ao desempenho coletivo da equipe, baseado no site Whoscored;

 

  • Posse de Bola: Valor quantitativo que indica a proporção do tempo de jogo em que a equipe possuía a bola. Geralmente, fora de contexto, este índice pode se tornar uma armadilha para os analistas de plantão;

 

  • Ações por Jogo: Valor quantitativo que indica todas as ações com bola que a equipe exerceu durante uma partida. Trata-se de uma boa métrica para nos indicar o volume de jogo (não necessariamente ofensivo) de uma determinada equipe;

 

  • ESPAÇO: Métricas que indicam a distribuição e utilização do espaço de campo das equipes (Mais pra frente, iremos publicar um artigo que irá refletir mais sobre estas métricas).

 

  • Profundidade: Medida baseada no Posicionamento médio da equipe, que indica a altura vertical do homem mais avançado do time (medindo desde a linha de fundo defensiva até o homem mais avançado). Serve como noção, para indicar se o time trabalhou seu posicionamento centrado em profundidade ou não. Fora de contexto, este indicado não demonstra se uma equipe tem volume ofensivo ou não. Refere-se somente à questão espacial.

 

  • Compactação: Medida baseada no posicionamento médio da equipe, que indica a distância entre o defensor mais recuado e o homem mais avançado (desconsiderando o goleiro). Serve como base, para termos noção de qual é o espaçamento entrelinhas do time e se o bloco “viaja junto” no sentido vertical.

 

  • Amplitude: Medida baseada no Posicionamento médio da equipe, que indica a distância entre os jogadores “mais abertos em campo”, no sentido horizontal. Serve como base para identificar se o time trabalha com máxima, média ou mínima amplitude (de modo geral).

 

  • DISTRIBUIÇÃO: Métricas gerais que demonstram a qualidade e volume das distribuições (passes da equipe).

 

  • Passes Totais: Um dos scouts mais primários, porém que podem ser de grande valia ao se analisar equipes que valorizam a posse da bola.

 

  • Sequência de Passes: Valor quantitativo que indica a sequência média de passes que a equipe consegue encaixar ao longo de uma partida. Pode ser um bom indicativo para se avaliar a qualidade dos passadores e aproximação/movimentação dos receptores.

 

  • Passes no Terço Final: Valor quantitativo que indica quantos passes da equipe foram realizados buscando o terço final do campo (Passes no Terço Final / Total de Passes). Pode indicar se o time possui profundidade.

 

  • OFENSIVO: Métricas relacionadas ao desempenho das equipes no ataque.

 

  • Finalizações Certas: Valor quantitativo que representa a pontaria das finalizações. Proporção entre finalizações certas e o total de finalizações.

 

  • Conversão de Gols: Uma das métricas mais relevantes e impactantes no resultado de uma partida. A conversão de gols (total de gols / total de finalizações certas), além de ser baseada nas finalizações certas (pontaria), leva em consideração a qualidade das finalizações (expectativa de gol). Quanto maior for este índice , os gols da equipe surgirão de modo muito mais natural e frequente.

 

  • Finalizações com Bola Rolando: Valor que detalha o percentual de finalizações criadas pela equipe em jogadas construídas com bola rolando (excluindo bolas paradas e contra-ataques rápidos). Boa métrica para se avaliar o nível de jogo apoiado e senso coletivo da equipe.

 

  • CONSTRUÇÃO: Métricas relacionadas ao desempenho das equipes na fase de construção ofensiva.

 

  • Circulação de Bola: Índice de desempenho que confronta a posse de bola versus as trocas de passes, gerando um número que representa a quantidade de passes trocados por minuto de posse. Este valor consegue nos ilustrar a velocidade da circulação da bola e das trocas de passe da equipe.

 

  • Jogo Apoiado: Índice de desempenho que confronta a quantidade de passes trocados versus as finalizações no ataque, gerando um número que representa a quantidade de passes trocados por finalização. Quanto menor este índice, podemos interpretar que a equipe jogue de modo mais Direto/Vertical, em contrapartida, quanto maior seu resultado, maior será a evidência de que a equipe busca trabalhar bastante a bola antes de criar uma finalização.

 

  • Jogo Coletivo: Índice de desempenho semelhante ao jogo apoiado, porém com seu foco centrado na forma com que as finalizações são geradas. Este índice confronta a quantidade de assistências para finalização versus o total de finalizações (gerando um %). Quanto maior este índice, maior será a evidência de que a equipe possui maior qualidade no jogo coletivo na fase ofensiva.

  • DEFENSIVO: Métricas relacionadas ao desempenho das equipes na defesa.

 

  • Defesa do Goleiro: Indicador que demonstra a probabilidade de defesa do goleiro frente as finalizações certas do adversário. Quanto maior este índice, mais difícil será de marcar gols nesta equipe.

 

  • Fechamento de Espaço: Indicador de desempenho que confronta as Interceptações versus o total de passes do adversário, gerando um % de passes interceptados. Este valor consegue ilustrar bem se determinada equipe está fazendo boa leitura da jogada para fechar as linhas de passes adversárias.

 

  • Pressão na Bola: Indicador de desempenho que confronta o total de passes do adversário versus as tentativas de Desarmes da equipe, gerando um número de passes trocados pelo adversário por tentativa de desarme. Este resultado consegue nos dar uma boa noção de como está o nível e a qualidade de pressão na bola de uma determinada equipe. Quanto maior este resultado, pior será a qualidade da pressão.

A ideia é atualizar este quadro à cada rodada, para realizarmos um monitoramento contínuo das equipes que mais se destacam em nossa Análise Estatística do Brasileirão 2018.

Sempre quem alguém tiver dúvidas referentes à qualquer scout apresentado, favor entrar em contato com o site ou diretamente com @rafaellomaciel (twitter).

@rafaellomaciel

Base de dados: Whoscored

 

Anúncios