PÓS JOGO LIVERPOOL 5 X 2 ROMA

Por Daniel Klabunde

O primeiro embate entre Liverpool e Roma terminou, e nele podemos ver a diferença entre um time que joga e um time que simplesmente ataca.

O Liverpool, que presa muito pela sua posse de bola e intensidade nas transições defesa-ataque, não conseguiu se sobressair no início da partida, sofrendo forte pressão na marcação alta da Roma, que iniciou num 3-4-3 e adiantava bem suas linhas, tanto que o primeiro lance de perigo foi dos romanistas, uma pancada de Kolarov no travessão, e por muitas vezes a única saída foi o lançamento direto dos zagueiros para o ataque, e sendo assim, perdendo a disputa pelo alto, até pela imposição física dos zagueiros romanistas.

Ox-Chamberlain, Henderson e Milner não conseguiam trabalhar a bola no meio campo muito por este motivo, e assim não conseguindo acionar o trio de ataque.

Mas aos 18 minutos da etapa inicial, uma lesão tirou Ox-Chamberlain da partida (pelo que tudo indica, a temporada terminou para o jogador), e foi nesta substituição que os Reds começaram a mudar o jogo.

liv 1Chamberlain (21)

Wijnaldum entrou atuando mais a frente e “pressionando” a defesa romanista, jogando entre Strootman,  Juan e Manolas, fazendo com que a defesa romanista ficasse mais presa e diminuindo a pressão, dando assim mais espaço para Henderson iniciar as jogadas com a bola no chão.

  liv 2Wijnaldum (5)

Além de ajudar na saída de bola, Wijnaldum deu mais poder de marcação no meio, forçando o erro de passe da Roma, e foi assim que saíram os dois primeiros gols dos Reds, roubando a bola e lançando Salah.

A partir da substituição a pressão passou a ser toda dos Reds, com marcação forte no meio para recuperar a bola e acelerar o ataque, jogando quase que de forma reativa, tanto que os Reds tiveram 4 contra-ataques cedidos pela Roma, em 3 deles saíram gols.

liv 3

Como colocamos no pré-jogo ( https://mwfutebol.com.br/2018/04/24/pre-jogo-liverpool-x-roma/ ) Liverpool pressiona muito no meio campo e quando recupera a bola usa bastante as laterais, e foi assim que saíram 3 gols da equipe, pressão, desarme, aceleração na transição para as pontas e conclusão de frente para o gol.

Com a saída de Salah aos 30 minutos da etapa final, os Reds perderam um pouco desta intensidade, gerando uma perda de concentração e cedendo espaços para a Roma, que conseguiu fazer um gol ao seu estilo, lançamento pelo alto para Dzeko marcar, e logo depois outro de pênalti.

Salah, Firmino e Mané:

O trio ofensivo do Liverpool mais uma vez confirmou porque é a sensação do momento, todos os gols foram deles, Salah 2x, Firmino 2x e Mané 1x, além de duas assistências de Salah e duas de Firmino.

O trio está sendo conhecido pela grande movimentação e velocidade no ataque dos Reds, além de serem muito reativos nas roubadas de bola.

Roubam a bola, visualizam o companheiro e aceleram a transição para o ataque.

Na próxima semana teremos o jogo de volta, e provavelmente será ainda melhor que este, com o Liverpool tendo mais espaços para jogar.

@DKTricolor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s