ANÁLISE TÁTICA:  O ÚLTIMO JOGO DE SANDRO FORNER

Por André Frehse Ribas

O Coritiba estreou com o pé esquerdo no Campeonato Brasileiro Série B. O Alviverde perdeu para o Sampaio Corrêa por 2 a 0. Devido aos resultados,  o técnico Sandro Forner foi demitido. Tcheco, auxiliar permanente do clube, assume o comando do time contra o Atlético-GO.

Hoje, irei analisar o desempenho do Coritiba no jogo.

Sandro Forner colocou em prática a única ideia que o Coritiba utilizou até agora. 4-1-4-1 (variações para o 4-2-3-1), com suas linhas médias/baixas, apostando no jogo reativo (esperar a ação do adversário para responder). Sem a bola, o Coxa jogou no 4-4-2, sem pressionar o adversário que tem a bola. O Time teve seis mudanças em relação ao time que jogou a final do estadual, mas mudou pouca coisa no seu desempenho. 

SAMPAIO 1
Coritiba se defendeu no 4-4-2. Note que ninguém pressiona o jogador do Sampaio. Ele tem liberdade para dominar e pensar na sua ação. Algo que você pode ver sempre nos jogos do Coritiba. 

Com  Júlio Rusch aberto pelo lado, o Alviverde não tinha um jogador que buscasse a bola dos zagueiros com qualidade, dificultando a saída de bola.  João Paulo e Vinícius Kiss tinham problemas para fazer com que a bola chegasse ao ataque.  Isso acontecia por vários motivos: ninguém dava opção de passe ao jogador com a bola,  pouca movimentação,  linhas desorganizadas e jogadores (João Paulo e Vinícius Kiss) não conseguiam dar passes-chave. Decisões erradas também prejudicaram a saída de bola, dando o contra-ataque ao Sampaio, como você pode ver abaixo. 

Animated GIF-downsized_large (3)

Animated GIF-downsized_large (2)

O Coritiba pouco criou e não deu nenhum chute ao gol no primeiro tempo. Quando conseguia (poucas vezes) chegar ao ataque, o Alviverde tinha suas linhas espaçadas e sem apoio. A bola aérea era a única chance de marcar, mas não funcionou também.

O Sampaio atacou, pressionou e mandou no jogo. Na defesa, o Cortiba mostrou sérios problemas. Jogadores tinham dificuldades na marcação, não pressionavam o jogador adversário e davam muitos espaços. Fizeram dois gols, mas poderiam fazer mais.

PRIMEIRO GOL

No primeiro gol, jogador do Sampaio aproveita a sobra do escanteio para avançar e cruzar, Thalisson Kelen tentou tirar, mas desviou para o gol. Desatenção na marcação que deixou o camisa seis do Sampaio  ter espaço para avançar e cruzar.

 

 

SEGUNDO GOL

Após recuperar a bola, o Sampaio abriu o jogo pelo lado-esquerdo,  Benítez foi driblado pelo adversário, que cruzou a bola na área, e Uilliam se livrou da marcação para ampliar: 2 a 0. O lateral Alviverde errou feio junto com Abner, que não acompanhou a movimentação do atacante.

 

Nos lados, Benítez e Abner foram muito mal. Os extremos do Sampaio  tinham liberdade e facilidade para avançar e criar suas jogadas pelas laterais. No meio, quebravam com facilidade as linhas Alviverde. Marcação frouxa, sem intensidade e que tomava as decisões erradas na hora de dar o bote.

Deu pra ver os diversos problemas que o Coritiba teve, né? Mesmo com várias mudanças, o Alviverde jogou muito mal. Isso se deve a ideia de jogo de Sandro, que não vem dando certo.  É mal executada por culpa do treinador e também dos jogadores, que cometem erros técnicos e de decisão. Sandro foi demitido, e o Coritiba já anunciou Eduardo Baptista como seu novo técnico. Eduardo gosta de montar seus times no 4-1-4-1 e procura muito mais o ataque do que Sandro. E, claro,  que aqui irei analisar o trabalho do novo comandante. 

@andre_frehse

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s