Opinião: O QUE ESPERAR DESTE UM MÊS DO INTERNACIONAL?

Por Luiz Juno Martins

O mais importante neste momento é adquirir confiança, para o restante da temporada e pensando em 2019.

Os jogos mata-mata, pelas quartas-de-final do Gauchão, contra o maior rival, denotaram diversas dificuldades em vários aspectos no modelo de jogo que está tentando ser adotado, no Beira-Rio.

Odair Hellmann, demonstra estar buscando um jogo de mais posse de bola, para 2018. Este tipo de pensamento de futebol é algo totalmente diferente de tudo que foi realizado ao longo de 2 anos. Um jeito de jogar futebol muito mais casado com a cultura do clube.

Este tipo de busca, como já frisado em textos anteriores, demanda tempo de implementação por diversos fatores. Cito alguns importantíssimos abaixo:

  • Diretoria e corpo técnico estarem de acordo com a proposta;
  • Treinador que possua entendimento da forma de jogo;
  • Entendimento tático dos jogadores;
  • Busca por reforços que casem com o modelo;

Todas estas questões devem ser bem trabalhadas, dentro de um processor organizado, geram desempenho, resultado e consequentemente títulos.

O que ainda pode melhorar?

Construção de jogadas

A equipe possui dificuldades em jogadas de ataque construídas por meio de toques curtos e desmarque da pressão adversária na saída de bola, muito em função dos jogadores de meio-campo não possuírem características de jogo de passes curtos e preenchimento de espaços, optando pela utilização de bolas mais longas e condução de bola mais tempo que o necessário.

inter 1

Em vermelho no quadro acima, notasse que a interação entre os defensores ocorre em demasia, demonstrando dificuldades em trabalhar a bola em zonas mais próximas a área adversária. Já em laranja, no segundo jogo das quartas, a equipe já possui maior participação de jogadores de meio-campo, demonstrando que a o time buscou jogadas mais ofensivas durante à partida.

Neste caso, acredito que a contratação de meio-campistas que tenham como característica a aproximação, toques curtos e preenchimento de espaços, quando o time tem a bola, seja necessária, para um bom andamento deste processo, visto que assim, o time conseguir aumentar o arsenal de criação de jogadas e não depender apenas da genialidade de D´alessandro em acionar os laterais e pontas em jogadas de transição ofensiva.

Fase Defensiva

Neste quesito a o Inter demonstrou diversas dificuldades em realizar pressão na saída de bola adversária e o perde pressiona, ao devolver a posse para o adversário, principalmente no jogo da Arena e após “perder as pernas” no jogo do Beira-Rio.

Quando um jogador desgarra da primeira e/ou segunda linha de marcação, realizando pressão no portador da bola, os companheiros não entendem este movimento e não acompanham a decisão, gerando espaços, para que jogadores do time adversário ocupem este espaço, causando desordem no sistema de marcação.

Isso ocorre principalmente porque os jogadores parecem não possuir enraizado em suas mentes as tomadas corretas de decisão. Esse tipo de entendimento natural demanda tempo de treinamento e conhecimento do próprio companheiro, para que se torne orgânico, realizando de maneira automática qualquer ação.

inter 2

Jogador do Grêmio carregou a bola até a intermediária do time sem sofrer nenhum tipo de pressão, além de a primeira linha de marcação estar mal postada.

Outra questão notada que merece atenção, são as muitas perseguições individuais longas que ocorrem, principalmente dos jogadores da linha defensiva (laterais e zagueiros).Por serem realizadas em demasia, até contra times de menor expressão, acredito que isso seja uma orientação do técnico. Estar perseguições tem demonstrado a extrema dificuldade dos defensores em realizar a sua principal função dentro do jogo: Defender.

Nos Grenais, ficaram evidentes estas perseguições, tendo importância preponderante nos primeiros gols tomados nos confrontos.

Conclusão

Nesta Inter temporada forçada pela queda no Gauchão, todos os setores do clube entendam os erros e acertos ocorridos nos primeiros meses do ano, busquem aprimorar cada aspecto existente, visando sempre a obtenção de um ótimo desempenho, aliado a bons resultados, para que num futuro próximo, o clube volte a ter momentos de glórias e conquistas.

É o que até o torcedor mais cético e corneta espera daqui pra frente.

@ojunomartins

Um comentário sobre “Opinião: O QUE ESPERAR DESTE UM MÊS DO INTERNACIONAL?

  1. Parabéns pela análise!

    Esse elenco do Inter é mal montado. Tem bons jogadores, mas parece que a direção apenas contratou, contratou e contratou. Não existe uma ideia de jogo por trás de diversas contratações e que possam auxiliar o estilo de jogo do Odair, conforme citado no texto acima.

    Outro detalhe importante é que o time parece carecer de velocidade, dificultando infiltrações por acumular jogadores lentos na fase ofensiva, dependendo muito das passadas do Iago para criar oportunidades.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s